Febre aftosa: os impactos econômicos e os riscos para a saúde dos seres

Inicio » Veterinária » Febre aftosa: os impactos econômicos e os riscos para a saúde dos seres
02/02/2019 Por
Febre aftosa: os impactos econômicos e os riscos para a saúde dos seres

Febre aftosa tem impactado a economia nacional e prejudicado o desenvolvimento dos animais

A febre aftosa tem grande impacto na economia. Portanto, contaminando animais e humanos, a doença compromete a importação e exportação de bebidas e alimentos em países que passam pelo surto.

Os surtos de febre aftosa entre os animais prejudicam rapidamente todo o rebanho. Dessa forma, o grande problema dos surtos estão em torno do risco que eles oferecem para a economia da pecuária, atrapalhando o comércio exterior.

Febre aftosa contamina principalmente bovinos e suínos

O que é febre aftosa?

Febre aftosa é uma doença viral e contagiosa que afeta principalmente os animais suínos, ovinos, caprinos e bovinos. A doença é provocada pelo agente do vírus RNA, da família Picornaviridae de gênero Aphtoviru, através do contato com as secreções e excreções do animal infectado. A contaminação em humanos, por exemplo, é feita por meio do consumo de leite ou alimentos infectados pelos animais.

Tipos de sorotipos da febre aftosa

Ao todo, existem sete sorotipos do vírus da febre aftosa. São eles:

  • O
  • A
  • C
  • SAT (South African Territory) -1
  • SAT-2
  • SAT-3
  • Ásia–1

No Brasil, entretanto, os sorotipos mais comuns do vírus são o O, A e C.

Como é o contágio da febre aftosa?

Os animais infectados transmitem o vírus através do leite, saliva, sêmen, fezes e urina ou seja, pelas excreções e secreções. O vírus também pode ser conduzido pelo ar e pelas pessoas, transmitindo a doença para os animais, embora água, alimentos e leite também possam ser contaminados e transmitirem a doença.

Portanto, o vírus da febre aftosa é duradouro e pode resistir por muito tempo na medula óssea, no pasto e no couro, até mesmo após a morte do animal.

Sintomas

Os principais sintomas da febre aftosa são visíveis

Os sintomas da febre aftosa em animais se manifestam de maneiras distintas no organismo de cada deles. Os mais comuns são:

  • Febre alta
  • Calafrios
  • Aftas na boca, gengiva e língua
  • Muco nasal
  • Bolhas de líquido nas patas e nas tetas, com a possibilidade de estourarem e se transformarem em úlcera
  • Perda de apetite
  • Difícil locomoção
  • Perda de peso

Por outro lado, estes sintomas também podem resultar em pouca produtividade e imunidade baixa dos animais, tornando assim mais fácil o contágio de outras doenças. As vesículas nas tetas, por exemplo, fazem com que a produção do leite seja prejudicada.

Vacinação

A vacinação é de responsabilidade dos donos do rebanho e é obrigatória entre os animais, como o intuito de prevenção e eliminação da doença. Portanto, para que seja feita a vacinação é necessário que o proprietário dos animais preencha uma declaração e entregue junto a nota fiscal das vacinas ao serviço veterinário correspondente do seu Estado.

As estratégias de vacinação são divididas em:

  • Vacinação semestral em todos os animais; sendo a dose aplicada por 30 dias seguidos
  • Vacinação semestral em animais de até 2 anos
  • Vacinação anual em animais com mais de 2 anos; sendo a dose aplicada por 30 dias seguidos

Febre aftosa em humanos

A febre aftosa é considerada uma zoonose pela possibilidade (rara) de contaminar humanos. Regiões rurais, crianças e idosos com baixa imunidade, por exemplo, são os mais vulneráveis a serem contaminados pela doença.

O contágio se dá pelo consumo de leite não pasteurizado, consumo de carne contaminadas ou pelo contato com as secreções do animal infectado. Os sintomas da febre aftosa em humanos envolve:

  • Feridas na pele, na boca e nos dedos
  • Febre alta
  • Dores musculares
  • Dor de cabeça
  • Sede abundante

O diagnóstico da febre aftosa em humanos é feito através de exames físicos e exames de sangue. Dessa forma, o tratamento é feito a base de remédios analgésicos, ingestão de líquidos e repouso diário.

De fato, manter a vacinação em dia, higienização do ambiente de trabalho e das vestimentas são considerados fatores importantes para a prevenção da doença. A febre aftosa é prejudicial não somente para os animais, mas também para humanos, para a região que estão localizados e para a economia do país, ou seja, interfere na importação e exportação de produtos gerados por eles.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo