A importância dos grãos para a alimentação e agricultura industrial

Inicio » Agricultura » A importância dos grãos para a alimentação e agricultura industrial
03/02/2019 Por
A importância dos grãos para a alimentação e agricultura industrial

Como é a produção de grãos no Brasil e qual a sua importância em uma dieta equilibrada

Grãos são essenciais para uma alimentação saudável e balanceada. Ricos em nutrientes, os grãos trazem várias vantagens que agem diretamente no organismo de quem busca uma rotina alimentar mais regrada e benéfica para a saúde.

Além disso, os grãos secos possuem uma durabilidade maior, o que faz com que sejam próprios para a produção voltada para a agricultura industrial. Dessa forma, elas auxiliam no crescimento do mercado internacional de commodities – que destaca itens como arroz, soja, trigo e milho, por exemplo.

Diversidade de grãos

O que são grãos?

Colhidos para consumo humano e animal, os grãos são pequenas sementes (com e sem casca, dura e secas). Sendo também, fontes de nutrientes essenciais para uma alimentação mais saudável e balanceada.

Divididos em categorias, os grãos possuem a seguinte classificação:

  • Grãos de cereais: grãos que contêm quantidade considerável de amido (ou seja, carboidrato que oferece energia dietética)
  • Grãos pseudocereais: grãos ricos em amido
  • Pulsos ou leguminosas: grãos com o teor de proteínas mais elevado, contendo gorduras e carboidratos
  • Oleaginosas: grãos de semente oleaginosas que fornecem energia dietética, além de ácidos graxos essenciais

Tipos de grãos

Produção de grãos no Brasil

Os tipos de grãos mais comuns e indicados para uma boa alimentação são:

  • Milho: fonte de energia devido ao alto teor de carboidratos, é rico em sais minerais, fósforo e vitamina B1 e E. Além disso, fortalece o músculo cardíaco, ajuda na regularização do aparelho digestivo, do sistema nervoso e reduz o nível de colesterol.
  • Lentilha: rica em vitaminas do complexo B, minerais (fósforo, magnésio e potássio) e fibras alimentares. Dessa forma, também ajuda no combate ao câncer e na prevenção da anemia.
  • Ervilha: rica em sais minerais (fósforo, ferro, cálcio, potássio, cobre e enxofre), vitamina A e vitaminas do complexo B e C. Contribui com o metabolismo energético, auxilia no processo de cicatrização e fortalece o sistema imunológico.
  • Feijão: rico em proteínas, vitaminas do complexo B, potássio, ferro, magnésio e zinco. Além disso, é importante na regulação da construção e reparação muscular, pressão arterial, prevenção da anemia e defesa do sistema imunológico.
  • Soja: rica em proteínas, isoflavonas e fibras. Dessa forma, ajuda na redução do colesterol, no funcionamento intestinal e previne alguns tipos de câncer, como o de mama, por exemplo.
  • Grão de bico: rico proteína, potássio, zinco, magnésio e cálcio, também possui hormônios vegetais e ácido fólico. Além de  ser importante na precaução contra a osteoporose, no combate ao câncer de colo e doenças do coração.
  • Quinoa: rica em cálcio, ácidos graxos, vitaminas do complexo B, ferro, ômega 3 e 6. Assim, ajuda no processo de emagrecimento, contribui no ganho de massa muscular, na prevenção de doenças cardiovasculares e redução do colesterol.

Portanto, estes grãos podem ser utilizados em alguns pratos como saladas, sucos, vitaminas, sopas e acompanhados de iogurte. No entanto, é aconselhável uma porção, ao menos, de um tipo de grão na alimentação diária, para que então ela seja completa e tenha os nutrientes necessários.

Produção de grãos no Brasil

A alta produção de grãos no Brasil colocou o país como um dos maiores produtores do segmento no mundo. Segundo a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a produção de grãos terá um aumento relativo na safra de 2018/19. Alcançará 237,3 milhões de toneladas com um crescimento de 4,2% em comparação a safra de 2017.

Contudo, a produção no Brasil tem se desenvolvido e tido alta produtividade dentro da agricultura brasileira. Assim, com a inserção de novas tecnologias mais sustentáveis e que não poluem o meio ambiente, o país garante um crescimento para o mercado internacional de commodities dos grãos. Além disso, também garante aplicações eficientes para o agricultor.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo