Óleo de canola é vendido como alternativa saudável, mas merece atenção

Inicio » Agronegócio » Óleo de canola é vendido como alternativa saudável, mas merece atenção
05/08/2020 Por
Óleo de canola é vendido como alternativa saudável, mas merece atenção

Óleo de canola: será que ele realmente faz bem?

Óleo de canola é, com certeza, uma das coisas mais faladas atualmente dentro da gastronomia. No entanto, muitas pessoas se questionam se esse óleo realmente faz algum bem para a saúde. Para muitas pessoas, utilizar outros óleos seria algo bem mais vantajoso para o corpo humano.

Segundos diversos especialistas, o óleo de canola é uma excelente opção para os agricultores, especialmente no caso dos que possuem grandes áreas, permitindo assim o cultivo de sua matéria-prima em larga escala. Mesmo assim, esse óleo apresenta alguns processos de extração um tanto quanto diferentes, merecendo um pouco de atenção dos interessados nesse ramo.

Óleo de canola

O que é óleo de canola?

Óleo de canola é um líquido usado paras frituras e diversas receitas. Atualmente, essa solução é derivada da planta de colza, sendo o principal responsável por esse óleo tão usado mundialmente.

Mesmo assim, antes de chegar ao consumidor final, esse óleo precisa passa por processo de refinação. Nele, será retirado o ácido erúcico, um componente muito tóxico para a saúde.

Para que serve o óleo de canola?

Apesar de apresentar diversas vantagens, poucas pessoas sabem para que serve o óleo de canola.

Em suma, esse óleo serve para alimentação, especialmente em dietas mais liberais em questão de gorduras. Assim, pode ser usado em saladas e no preparo de frituras, embora precise ser utilizado com bastante cuidado e em pequenas quantidades.

Já em questão de micronutrientes, esse derivado da canola apresenta uma boa quantidade de ácidos graxos, ômega 6 e 3.

Óleo de canola

Como é feito o óleo de canola?

Os óleos normalmente são extraídos com muita facilidade das suas plantas, sempre sendo retiradas das sementes para melhor qualidade do produto. No entanto, o modo como é feito o óleo de canola é bem diferente do convencional.

A extração ocorre de forma totalmente química através do processo de lixiviação, sendo adicionado solventes e hexano para ganhar as propriedades que conhecemos hoje.

Após o processo de extração, o óleo é exposto a altas temperaturas, mas especificamente 300 graus. Apesar disso, esse processo tão rígido tem como objetivo retirar qualquer impureza e os ácidos presentes no óleo enquanto ainda é considerado apenas um extrato de colza.

Óleo de canola ou girassol?

Segundo especialistas, ambos os óleos apresentam benefícios para a saúde em questões nutricionais. Assim, não importa tanto se será óleo de girassol ou canola caso seu foco seja a dieta.

Por outro lado, caso sua prioridade seja a saúde na totalidade, você deve ficar atento ao processo de fabricação desses óleos.

Isto porque o óleo de girassol apresenta uma melhor qualidade na sua extração, enquanto o produto de canola é feito através de altas temperaturas, fato que pode render alguns problemas para a saúde.

Óleo de canola

Óleo de colza

Óleo de colza é uma opção bem mais agressiva para o corpo humano quando comparado a outros produtos, especialmente por não contar com um processo de filtragem tão adequada.

No Brasil, a colza é originada da planta conhecida como couve de nabiça, da família das brassicáceas. No entanto, essa planta recebe diversos nomes variando da região. Dentre os mais conhecidos podemos citar “planta de colza” e “planta de nabiça”, ambos bem comuns de serem usados.

Considerações finais

Em suma, o óleo de canola ainda é uma opção bem viável para substituir alguns produtos. No entanto, esse óleo está longe de ser algo natural, principalmente por apresentar diversos componentes tóxicos para o corpo humano, embora grande parte seja eliminada ainda no processo de filtração.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo