T-Bone: conhecida pela suculência, peça ganha o prato dos brasileiros

Inicio » Agronegócio » T-Bone: conhecida pela suculência, peça ganha o prato dos brasileiros
26/02/2019 Por
T-Bone: conhecida pela suculência, peça ganha o prato dos brasileiros

T-bone ganha popularidade no setor de carnes bovinas brasileiras e corte passa a ser requisitada por boa parte do mercado exterior

O t-bone é uma peça muito popular no Brasil. Conhecida por seu ótimo sabor e suculência, o corte bovino é muito utilizado na grelha e em churrascos.

Visto este alto consumo, o t-bone abocanhou um lugar entre os favoritos por ser diferente de todas os outros cortes de carne, pois o seu é metade contrafilé e outra metade filé mignon. Além do mais, seu grande reconhecimento ocorre, também, por conta de sua aparência característica – no formato da letra T.

A alta popularização do t-bone (um dos principais cortes bovinos da atualidade) no Brasil fez com que a carne também fosse percebida fora do país. Com isso, os primeiros pedaços do corte passaram a ser exportados para a Coreia e os Estados Unidos. De acordo com Junil Park, varejista coreano, a peça foi bem aceita desde sua chegada no país asiático e só cresce em popularidade.

T-bone

Características do t-bone

Embora seu formato em T seja a sua característica mais marcante visualmente, o t-bone tem mais pontos a serem notados. Entre eles podemos citar:

  • Aspecto fino: Seu aspecto fino faz com que a carne seja cozida de maneira extremamente rápida. No churrasco, por exemplo, ela fica pronta para o consumo em poucos minutos. E o único cuidado que se deve tomar é em relação ao tempo de virá-la na grelha. Isso porque, caso haja demora, a peça perderá parte das suas características de sabor.
  • Facilidade na execução: conhecido entre os melhores cortes bovinos para churrasco, o t-bone pode ser preparado tendo apenas o sal grosso como tempero. Pois a carne obtém ótimo sabor sem o uso de  condimentos adicionais.
  • Versatilidade: Por obter características de duas carnes diferentes, o t-bone agrada a diferentes paladares. Enquanto o contrafilé é uma carne magra e macia, o filé mignon é conhecido por sua capa de gordura característica.

Do mesmo modo que todos os diferentes tipos de cortes bovinos têm características e formas de uso específicas, a peça também pode ser utilizada de maneiras criativas, compondo pratos de inúmeras formas e gostos.

Cortes bovinos brasileiros

Segundo dados do Ministério da Agricultura, o Brasil tem margem para um crescimento ainda maior no número de exportações de carne. Em 2016, o país exportou cerca de 64,8 milhões de toneladas de cortes bovinos, inclusive o t-bone.

Em 2018 o Brasil começou a exportar carne ”in natura” para os EUA. Produzidos de forma natural e sem processamentos para comercialização, os cortes abriram um espaço importante. Isso porque negociar com os norte-americanos é uma boa porta a abrir, já que facilita negócios com outros países.

Hoje, no Brasil, o t-bone está entre as 10 peças de cortes bovinos especiais mais consumidas. Embora seu preço seja consideravelmente alto quando comparado com outros cortes que não fazem parte dos classificados como nobres (podendo chegar a R$ 55,00 kg), a peça é extremamente requisitada.

T-bone

Para os adoradores de carne, o seu preço é justo pela qualidade e suculência que a carne oferece. Isso porque a peça pode ser extraída de uma das melhores partes do boi: o traseiro, região ímpar em sabor no bovino.

Por fim, é cada vez maior a procura por informações e pelo consumo de carnes nobres como o t-bone. Isso porque, com o mercado em expansão, fica mais fácil incentivar a curiosidade e o consumo de carnes de qualidade. E, com isso, as ações para movimentar a economia do setor bovino brasileiro também são influenciadas.

Agro20 | Portal Vida No Campo