Tipos de farinha mais comuns no Brasil vão muito além do trigo

Inicio » Agronegócio » Tipos de farinha mais comuns no Brasil vão muito além do trigo
14/10/2020 Por
Tipos de farinha mais comuns no Brasil vão muito além do trigo

Entre os diferentes tipos de farinha, a mais conhecida pode ser, sem dúvida, a farinha de trigo. Afinal de contas, ela é uma das mais utilizadas no preparo de receitas e pratos. No entanto, existem outros tipos de farinha no Brasil que estão ganhando cada vez mais popularidade como alternativas saudáveis e integrais.

Essas farinhas, além de agradarem ao paladar, possuem importantes ingredientes para aqueles que necessitam diminuir o colesterol ou apresentam restrições alimentares. Vamos conhecer esses tipos de farinha que estão ganhando destaque no consumo brasileiro? Confira!

Tipos de farinha

Quais são os tipos de farinha?

Tipos de farinha são um conjunto diverso de pós desidratados e ricos em amidos. Existem muitas variedades que levam esse nome, mas, em geral, “farinha” se refere a um produto obtido através da moagem de cereais.

Os tipos “integrais” são aqueles elaborados com a moagem inteira do grão, ou seja, gérmen, cascas e núcleo interno.

Tipos de farinha mais consumidos no Brasil

  • Farinha de trigo

A farinha de trigo não poderia faltar, pois embora existam diversos tipos de farinha, ela ainda domina o consumo do país. Afinal, há milênios o trigo configura como base alimentícia da grande maioria das civilizações ocidentais. Para se ter uma noção, o uso da farinha de trigo em receitas remonta à Antiguidade grega e romana.

Não é à toa, portanto, que essa variedade tenha tanta popularidade no mercado brasileiro e seja a mais consumida. De fato, a vantagem maior dessa farinha à base de trigo é seu teor altíssimo de glúten. Isto é, a substância cuja composição se dá por um conjunto de proteínas. Essas proteínas, por sua vez, conferem à massa da farinha de trigo uma consistência mais elástica, tornando bolos e pães mais fofos e macios.

  • Farinha de rosca

Outra que não poderia faltar no pódio de vendas e consumo no mercado brasileiro é a farinha de rosca. Embora muitos desconheçam, essa farinha é preparada a partir da moagem do pão seco.

Em suma, pode ser utilizada em diversas receitas, sempre com o objetivo de engrossar ou cobrir os alimentos com uma crosta. Esse é o caso comum, por exemplo, dos empanados confeccionados com farinha de rosca, bem como os pratos à milanesa, que são deliciosos e inconfundíveis.

  • Farinha de centeio

A farinha de centeio é como uma prima da farinha de cevada e da farinha de trigo. Ela é bastante utilizada no Brasil, embora o grão seja tradicionalmente presente em países eslavos e em outras partes europeias. O uso da farinha de centeio em maior escala nesses locais se deve ao clima, pois o grão se adapta melhor às temperaturas mais baixas.

Embora não seja tão antiga quanto a farinha de trigo, é estimado que o centeio seja cultivado desde aproximadamente a Idade Média. Em suma, o ingrediente é usado para fabricar pães com uma textura e composição mais rústica, como o típico finlandês e alemão.

De fato, é adequado dizer que, em comparação à farinha de trigo, a farinha de centeio possui um teor maior de nutrientes e fibras. Por exemplo, ela contém uma quantidade menor de glúten.

O centeio, assim, é conhecido por produzir um pão mais estruturado, com um melhor crescimento quando não há uso de fermentos industrializados. Isso acontece porque os industrializados possuem uma acidez menor em relação aos fermentos naturais.

Tipos de farinha

  • Farinha de feijão branco

Um dos tipos de farinha muito usados no Brasil é a de feijão branco. Embora o feijão preto e o feijão carioca sejam os favoritos absolutos no país, o feijão branco é ótimo para a saúde.

Ele é rico em uma proteína (faseolamina) responsável por reduzir os carboidratos absorvidos pelo corpo. Sendo assim, é muito indicado para a inclusão em dietas restritivas em carboidratos!

Contudo, a farinha de feijão branco não pode ser levada ao fogo no momento do preparo caseiro. Do contrário, a substância acaba perdendo todas as suas propriedades. Por isso, é indicado polvilhar essa variedade de farinha em iogurtes, sucos, saladas ou frutas. Ou então, se preferir, introduzir em receitas de panquecas, tortas e bolos, substituindo as farinhas convencionais.

  • Farinha de linhaça

A farinha de linhaça é muito consumida no Brasil por parte da população que leva uma alimentação e estilo de vida mais saudável. Afinal de contas, ela contém muitas fibras e reduz significativamente o colesterol ruim. O uso da linhaça pode incrementar empenados e massas de tortas e bolos. Além disso, cai muito bem com saladas e frutas.

  • Farinha de aveia

A farinha de aveia é conhecidíssima por todos os brasileiros. O grão é muito saudável, trazendo diversas vantagens em todas as suas formas. Assim como a linhaça, a aveia é rica em fibras e diminui o colesterol. Ela pode ser usada em receitas de biscoitos, tortas, bolos e panquecas!

Tipos de farinha

  • Farinha de mandioca

A farinha de mandioca talvez seja a farinha mais tipicamente brasileira! De fato, ela é um alimento que garante muita energia e benefícios à saúde.

Na questão culinária, a farinha de mandioca é prática de incluir em receitas. Ela pode substituir a farinha de trigo e, de quebra, conferir um sabor distinto ao prato!

  • Farinha láctea

A farinha láctea é um produto de grande alcance no país. A mistura se trata de uma fortificada combinação de leite com cereal e vitaminas com zinco e ferro. O produto foi desenvolvido em 1867, pela Nestlé.

No país, a farinha láctea da Nestlé iniciou sua comercialização e circulação no mercado no ano de 1876, quando foi importada pela Suíça.

  • Farinha de arroz

Não menos importante entre as farinhas consumidas no Brasil, está a farinha de arroz. Ela é utilizada largamente na culinária daqueles que possuem intolerância a glúten. Afinal, a farinha de arroz é uma substituta excelente para a farinha branca e outras derivadas.

A farinha de arroz também pode ser consumida na sua versão integral. Nessa variação, existem índices glicêmicos muito baixos e, por isso, ela acaba sendo tão benéfica para a saúde quanto a branca. Entre os tipos de farinha, a de arroz cai bem em sobremesas deliciosas quando combinada à farinha de coco.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo