Tomate italiano, de formato alongado, é ótimo para fazer molhos

Inicio » Agricultura » Tomate italiano, de formato alongado, é ótimo para fazer molhos
20/10/2020 Por
Tomate italiano, de formato alongado, é ótimo para fazer molhos

A utilização do tomate italiano pode ser o segredo para fazer um molho perfeito. Considere, por um momento, como seria a culinária italiana sem os tomates. Por certo, não teríamos delícias como o spaghetti carrettiera, a salada caprese, a pizza margherita, entre tantos outros pratos marcantes. Aliás, o tomate italiano, na verdade, é de origem americana.

Precipuamente, ele só chegou ao país europeu no apagar das luzes do século XVI e, como sabemos, revolucionou a sua gastronomia. Enquanto o tomate italiano, originário das Américas, foi sendo paulatinamente incorporado aos hábitos alimentares do povo italiano, a princípio, os europeus pensavam se tratar de um fruto venenoso.

Tomate italiano

O que é tomate italiano?

Tomate italiano é um fruto com formato alongado e cilíndrico, revestido por uma espécie de película transparente, responsável por exaltar a tonalidade de sua poupa. A princípio, quando se encontra em plena maturação, ele tem a coloração de um vermelho intenso.

Em conclusão, o tomate italiano possui poucas sementes, sendo menos ácido que os demais tipos de tomate e muito usado para produzir molhos, uma vez que sua polpa é considerada muito concentrada.

Além disso, no momento de escolher, o tomate italiano que você comprará deve estar bem vermelho, maduro e sem apresentar sinais visíveis de manchas ou machucados. Dito de outra forma, os frutos devem ser maduros, firmes e totalmente vermelhos.

Então, ao armazenar os seus tomates, não se esqueça de lavá-los e enxugá-los com esmero, para só depois guardá-los na parte inferior da sua geladeira. Assim, ao tomar essas medidas, eles poderão ser conservados por cerca de 7 dias, os seus molhos contarão com um ingrediente perfeito, saboroso e muito saudável.

Posto que os frutos serão consumidos diretamente em saladas ou utilizados na preparação de molhos diversos, você terá menos semente e mais polpas suculentas à sua disposição.

Como plantar tomate italiano?

De fato, o cultivo de tomates italianos pode se mostrar algo desafiador. Todavia, o horticultor (amador ou profissional) deve estar ciente de que, para ter como plantar tomate italiano, é praticamente impossível manter todos os fatores sob o seu estrito controle, mesmo que se tenha conhecimentos aprofundados e prática no assunto em questão.

Conforme mencionado, o tomateiro, nativo das Américas, consiste em uma planta perene. Dessa forma, em climas temperados, a planta cresce, porém, pode vir a durar menos tempo, à medida que, em certas ocasiões, pode morrer em decorrência do frio extremo.

Outrossim, verificou-se que, quanto mais seco e quente for o clima de sua região, maiores serão as chances de que os tomateiros superem um ano de duração. Inegavelmente exigente, um pé de tomate necessita de, pelo menos, 3 meses com muito sol e clima quente.

Em virtude de poder ser plantado por mudas ou sementes, caso você tenha bons frutos de tomates italianos orgânicos, bastará colocar as sementes no solo, ficando sempre atento para evitar enterrá-las demasiadamente.

Decerto, a profundidade não poderá exceder, em 2 vezes, o tamanho das sementes. Portanto, se você desejar armazenar para esperar um momento mais propício, tenha em mente que elas podem ser guardadas junto ao próprio suco em recipientes de vidro por 8 dias.

Em suma, as sementes devem ser fermentadas posteriormente, além de lavadas e devidamente secas com o auxílio de tecidos ou peneiras próprias, sempre ao abrigo da luz.

Com efeito, os tomates italianos adquiridos nos comércios convencionais, como supermercados, podem ter sido colhidos verdes, refrigerados ou tratados à base de gás (para acelerar seu amadurecimento). Sobretudo, essas práticas podem reduzir as chances de germinação das sementes.

Tomate italiano

Tempo de frutificação

Assim sendo, os tomates italianos são mais adequados à preparação de molhos. Isso porque demoram um pouco mais de tempo para a sua frutificação (cerca de 5 meses). Principalmente, ele tende a dar mais trabalho, uma vez que deve ser monitorado a fim de impedir que os frutos entrem em contato com o solo.

Em síntese, é possível, no Brasil, plantar o tomate italiano em quaisquer épocas do ano. Similarmente, durante a estação de inverno, a utilização de protetores (tais como telas, caixas plásticas, garrafas e estufas) é de grande importância.

Surpreendentemente para muitos, os tomates italianos plantados ao final do inverno tendem a demorar ainda mais para frutificar, por exemplo, no verão (caso este período tenha grandes concentrações de chuvas). Afinal, isso ocorre nas regiões Centro Oeste e Sudeste.

Conforme essas observações, o mais indicado é diversificar os locais de plantio. Nesse sentido, é uma boa ideia manter algumas mudas de tomate em:

  • Vasos adequadamente protegidos;
  • A pleno sol, no solo;
  • Com mudas semissombreadas entre os cultivos, como o almeirão, manjericão, salsa e alface.

Tomate italiano

Cuidados com o tomate italiano

A saber, o pé de tomate italiano exige, além de luz, muita água. Enfim, é preciso regá-lo quase que diariamente, salvo a necessidade de molhar excessivamente os frutos e as folhas. Desse modo, o solo deverá apresentar boa drenagem, tendo cobertura de palha ou cascalho, a fim de preservar os nutrientes e a umidade.

É imprescindível saber o nível de drenagem do solo e regar sempre para deixar a água fluir. Acima de tudo, verifique se não estão sendo formadas muitas poças na terra. Entretanto, isso deve indicar que a água foi efetivamente absorvida e as plantas terão a umidade necessária.

Após cerca de 5 meses, os tomateiros começam a envergar devido ao próprio peso, você deve escorá-los com varas de madeira (tutores). Sem dúvida, essa medida é salutar para incrementar a penetração da luz solar nos frutos. Deixá-los esparramados sobre a terra fará com que sofram mais desgastes com o clima.

Ou seja, a partir das podas, os frutos emitem raízes adventícias pelos ramos que permanecem em contato direto com o solo. Assim, é aprimorada a absorção de nutrientes por toda a planta. Dessa forma, um tomateiro sem tutor se esparramará por toda a extensão do terreno.

Conforme é comum verificar em terrenos baldios, ele parece ser uma planta mais resistente e em estado natural. Em resumo, isso dificulta, na realidade, o cultivar de hortaliças e, também, o controle e manejo de ervas invasoras.

Isto é, o tomate italiano é muito sensível aos fungos. Da mesma forma, ele é um dos frutos que, nas lavouras, recebe a maior quantidade de agrotóxicos. Primordialmente, os pequenos horticultores perceberam que o cultivo doméstico é a melhor alternativa para produzir tomates mais saudáveis, orgânicos e livres de pesticidas.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo