A tuberculose bovina é um dos principais inimigos dos pecuaristas

Inicio » Veterinária » A tuberculose bovina é um dos principais inimigos dos pecuaristas
12/03/2019 Por
A tuberculose bovina é um dos principais inimigos dos pecuaristas

A tuberculose bovina é uma das bactérias mais letais que atacam a saúde e a produtividade animal

A tuberculose bovina é causada por uma bactéria muito popular. Assim, sendo um dos principais inimigos dos fazendeiros de todo o mundo. O vírus age de maneira tão eficaz que torna o animal um ser incapaz de dar sequência em suas atividades produtivas.

Prevenir a  tuberculose bovina é mais que necessário para manter  a rentabilidade do trabalho. Uma vez que a doença é caracterizada pelo fato de não ter cura.

Tuberculose bovina

O que é tuberculose bovina?

A tuberculose bovina é causada por um vírus conhecido pela sua alta eficácia em degenerar a vida do animal. Dessa forma, quando instalada, ela vai tirando sua capacidade aos poucos. Afeta desde a respiração até a capacidade de produção de leite, por exemplo.

A doença também pode ser transmitida para seres humanos. Consumir produto de animais portadores da tuberculose bovina pode desencadear problemas sérios ou até mesmo levar a morte. O vírus geralmente se instala no pulmão e, desse modo, vai tirando a capacidade respiratória da pessoa.

Pecuaristas interessados na produção bovina, antes de comprar qualquer animal devem checar se já foram feitos os testes necessários para ver se o animal possui a doença. Caso não haja sinais de contaminação, é importante que o pecuarista contrate médicos especialistas para realizar o trabalho e mostrar se o bovino possui ou não a bactéria.

Esse é um exame mais que necessário. Pois, caso o pecuarista compre algum animal que seja portador do vírus, ele poderá transmitir a doença a todo o rebanho, assim levando a perda total dos lucros da fazenda.

Além disso, o mercado das exportações está cada vez mais ligado no cuidado com os bovinos. Antes das negociações, é necessário a comprovação de saúde por meio de exames feitos no animal, para assim efetivar o transporte. De acordo com a Embrapa, cerca de R$ 11 bilhões são perdidos anualmente por conta da tuberculose bovina em todo o mundo.

Controle da tuberculose bovina

Além de checar a saúde dos bovinos com exames, também é necessário que o pecuarista tenha periodicidade nas colheitas de sangue para ter controle dos animais. Geralmente, animais adultos fazem diagnósticos anualmente e, animais pequenos, semestralmente.

Outras formas de controle:

  • Higiene: A falta de cuidados pode acarretar na proliferação de bactérias nesses ambientes, de modo na qual os bovinos acabam contraindo o vírus. Por isso, é necessário que a limpeza do local seja feita regularmente. Desse maneira matando vírus que estão ali presentes.
  • Sacrifício: O sacrifício também é uma forma de controlar a tuberculose em bovinos. Como a doença é crônica, a bactéria torna o animal inapto para qualquer serviço lucrativo no setor. Outro ponto é que a doença é altamente transmissível, podendo atrapalhar o desenvolvimento e a vida de outros animais. Assim, para evitar transtornos – já que não há tratamento para a tuberculose bovina – caso um animal seja diagnosticado com o vírus, o sacrifício pode ser recomendado.

Tuberculose bovina

A importância dos exames também está relacionada ao fato de a doença ser silenciosa em seu estágio inicial. Então, para obter cuidado e sucesso, o principal modo de prevenção são as análises. Em suma, a tuberculose bovina é uma das doenças mais perigosas do setor rural, pois ela tem a versatilidade de proliferar em animais e, em seguida, na vida humana.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo