Vinho quente é tradicional nas festas juninas brasileiras

Inicio » Agronegócio » Vinho quente é tradicional nas festas juninas brasileiras
06/12/2020 Por
Vinho quente é tradicional nas festas juninas brasileiras

Vinho quente é uma bebida de origem egípcia que pode ser feito com vários tipos de uva. A bebida foi trazida ao Brasil pelos imigrantes alemães que se estabeleceram na região Sul do país. Entretanto, curiosamente, eles a chamavam de quentão.

Vinho quente pode ser elaborado tanto com o vinho tipo tinto quanto o tipo branco, dependendo da cultura e tradição de cada país.

Vinho quente

O que é vinho quente?

Vinho quente é uma bebida alcoólica elaborada com vinho tipo tinto, frutas cítricas e especiarias.

De acordo com historiadores, o vinho quente tradicional já era consumido no Antigo Egito há mais de 3.000 séculos a.C. para fins terapêuticos e medicinais.

Mas também são encontrados relatos que a bebida era consumida durante o Império Romano. Entretanto, levava vinho tipo branco em seu preparo, além de especiarias, ervas e adoçada com mel.

No Brasil, o vinho quente chegou com os imigrantes alemães que passaram a povoar a região Sul do país.

O vinho quente é tradição na Alemanha, Suíça e Áustria, entre outros países europeus, e conhecida como Glühwein.

O Glühwein é muito consumido durante o inverno europeu, principalmente durante o Natal, onde pode ser encontrado facilmente em mercados de rua.

A escolha do vinho faz a diferença

Os ingredientes do vinho quente são simples e amplamente produzidos no Brasil como, por exemplo, laranja, abacaxi e maçã.

Além das frutas, outras especiarias também são utilizadas em seu preparo, como canela e cravo-da-Índia.

Entretanto, a escolha pelo vinho de qualidade, sem dúvida, é a chave para que a receita seja um sucesso.

A produção de vinhos no Brasil, em comparação a outros países, ainda é pequena. Mas mesmo assim é possível encontrar vinhos nacionais de excelente qualidade.

As uvas, matéria-prima para a produção de vinhos, são cultivadas principalmente no estado do Rio Grande do Sul, região conhecida como Serra Gaúcha.

O cultivar é feito principalmente por pequenos proprietários, onde predomina a mão-de-obra familiar.

As propriedades possuem aproximadamente 15,5 ha, sendo que 2,8 ha são destinados aos vinhedos.

Vários tipos de uva são produzidos na região como, por exemplo, Cabernet, Merlot, Tannat e Riesling Itálico.

De acordo com dados da Embrapa, a produção de uvas na Serra Gaúcha 2019/2020 pode atingir entre 550 e 590 milhões de quilos.

Vinho quente

Maçã não pode faltar no vinho quente

Mesmo que algumas receitas de vinho quente apresentem outros tipos de frutas entre seus ingredientes, a maçã não pode faltar.

A produção de diversos tipos de maçã no Brasil ultrapassa 1,3 milhões de toneladas, gerando uma arrecadação de mais de R$ 5 milhões.

A maior cidade produtora de maçãs do Brasil é São Joaquim, localizada na Serra Catarinense, com uma produção estimada para a safra 2019/2020 de 350 mil toneladas.

De acordo com estimativas do Cepea, o volume de produção da maçã tipo gala deve ser superior à fuji.

A maçã, fruta adocicada com um toque ácido, é fundamental para que o vinho quente se transforme em uma bebida levemente açucarada, mas também com um toque cítrico.

Como fazer vinho quente?

O vinho quente e quentão, bebidas tradicionais das festas juninas, levam ingredientes simples para o seu preparo, como frutas, cascas de frutas e de especiarias.

Entretanto, os ingredientes devem ser de qualidade, para que não interfira no resultado da bebida.

A escolha da panela em que a bebida será preparada também é importante para que os ingredientes se misturem facilmente.

Dessa forma, a escolha por panelas altas e de paredes grossas, bem como chaleiras em ferro fundido ou esmalte, é ideal para o preparo da bebida.

Primeiramente, a base para a bebida é feita com uma calda que leva açúcar, especiarias, água e frutas, de um ou mais tipos.

Assim que a calda ferver por alguns minutos e absorver os sabores das especiarias e das frutas, deve-se retirar do fogo, acrescentar o vinho e então voltando ao fogo.

Mas como tudo tem um segredinho, o vinho quente também o tem. Para que a bebida não se torne amarga, o ideal é não deixar o vinho ferver por um longo período.

Então, logo depois que a bebida voltar a levantar fervura, deve-se retirá-la do fogo imediatamente.

Outro detalhe não menos importante é o recipiente em que a bebida será servida para que se mantenha aquecida por um maior período.

Dessa maneira, as canecas como as de cerâmica e esmalte são perfeitas.

Entretanto, é bom frisar que a bebida deve ser servida imediatamente após ter sido preparada.

Além disso, ela não dever ser requentada, pois tanto o vinho quanto as especiarias perderão aroma e sabor.

Então, o ideal é preparar a quantidade exata para que o vinho quente seja consumido assim que estiver pronto.

Vinho quente

Vinho e maçã fornecem nutrientes ao organismo

O vinho e a maçã são fontes de nutrientes importantes para o organismo.

O vinho é consumido há milhares de anos pela humanidade e uma bebida altamente nutricional.

Fonte de minerais como ferro e manganês, por exemplo, além de vitaminas do complexo B, o vinho é rico em resveratrol, polifenol presente nas uvas.

A bebida, quando consumida moderadamente, auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares e controle do diabetes, por exemplo.

A maçã, por sua vez, é rica em minerais como ferro e fósforo, vitaminas do complexo B, além de fibras e pectina.

Por isso, ela auxilia no controle dos níveis de colesterol, previne o diabetes, combate a prisão de ventre e fortalece o sistema imunológico, entre outros benefícios.

Receita de vinho quente

Agora já sabe como preparar um delicioso vinho quente, além dos benefícios que a bebida proporciona ao organismo.

Em seguida, selecionamos uma receita simples de ser elaborada, mas deliciosa.

Vinho quente com frutas

Você irá precisar de:

  • 400 ml de água;
  • 300 gramas de açúcar;
  • 1 xícara de chá de abacaxi cortado em cubos;
  • 2 maçãs cortadas em cubos;
  • 200 ml de suco de laranja;
  • Cascas de 1 limão;
  • 1 litro de vinho tinto seco;
  • 2 paus de canela;
  • 3 cravos-da-Índia;
  • Cascas de 1 laranja.

Como preparar:

  • Primeiramente, em uma panela alta e de paredes grossas, adicione a água e o açúcar;
  • Logo depois, leve ao fogo e, assim que levantar fervura, acrescente os demais ingredientes, exceto o vinho;
  • Em terceiro lugar, abaixe o fogo e deixe ferver por 8 minutos;
  • Depois que passado esse período, retire do fogo, acrescente o vinho e misture delicadamente;
  • Então volte ao fogo e, assim que levantar fervura, retire em seguida;
  • Por fim, sirva o vinho quente em canelas aquecidas.

Vinho quente tradicionalmente é uma bebida alcoólica. Entretanto, existem algumas variações que levam suco de uva integral em seu preparo, mas as frutas e especiarias não podem faltar.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo