Algas são responsáveis pela produção de boa parte do oxigênio da Terra

Inicio » Meio Ambiente » Algas são responsáveis pela produção de boa parte do oxigênio da Terra
13/10/2019 Por
Algas são responsáveis pela produção de boa parte do oxigênio da Terra

Algas são caracterizadas como seres eucariontes, que vivem em ambientes marinhos, mas também podem ser encontradas fora da água

As algas são organismos encontrados, principalmente, em ambientes aquáticos. No entanto, algumas espécies que habitam a superfície terrestre, sendo que para sobreviver no solo precisam estar expostas à luz solar e umidade.

As algas são conhecidas por apresentar diferentes morfologias e serem classificadas em filos. Além disso, estes organismos podem se reproduzir de maneira sexuada ou assexuada. Além destas características, estes seres têm importância econômica em diferentes locais; sendo utilizadas tanto como matéria prima para produção de produtos como na culinária.

algasO que são algas?

As algas são seres autotróficos, ou seja, que conseguem obter energia e nutrientes por meio da realização da fotossíntese e da exposição à luz solar. No entanto, também existem algumas espécies que são heterotróficas e sobrevivem mesmo tendo pouca exposição à luminosidade.

As características das algas são bastante particulares. Devido a quantidade de espécies encontradas na natureza, a diferença de morfologia entre elas, a coloração e tipos de ambientes que habitam são muitos.

Os organismos são unicelulares, ou seja, possuem apenas uma célula em sua formação. Mas existem, ainda, caso de seres multicelulares; que são formadas por mais de uma célula, porém não formam tecidos.

As algas também se caracterizam pela presença de cloroplasto, o que permite a realização da fotossíntese e obtenção de energia e nutrientes pela luz solar. Além de ser classificadas como seres eucariontes, tendo como habitat tanto a água doce quanto a salgada.

Contudo, existem espécies encontradas em ambientes terrestres úmidos, como é o caso das que se desenvolvem nos troncos de árvores.

Antigamente, esse seres vivos eram classificados como pertencentes ao Reino Plantae mas, atualmente, sabe-se que elas pertencem ao Reino Protista. A ciência possui uma área específica destinada ao seu estudo, conhecida como ficologia ou algologia. 

Classificação das algas

Existem seis diferentes tipos de algas:

  • euglenas
    São unicelulares e flageladas, e podem viver em colônia ou não.  São encontradas em ambientes de água doce, além de serem classificadas como autotróficas. No entanto, quando há pouca disponibilidade de luz, se tornam seres heterotróficos e não conseguem produzir seu alimento e nem sua energia.
  • algas verdes

    Conhecidas desta maneira pela coloração esverdeada, ela costuma ser encontrada em ambientes terrestres úmidos ou aquáticos. Além disso, podem ser unicelulares ou pluricelulares. Outro aspecto importante é que existem cerca de 17 mil espécies de algas verdes.

  • dinoflageladas

    As dinoflageladas, ou dinophyta, são aquelas que possuem apenas uma única célula e dois flagelos. Elas respondem pela formação das marés vermelhas, que acontecem quando há um aumento no número dos organismos.

  • algas vermelhas

    Também chamados de rhodophytas, estes exemplares possuem como particularidade uma coloração avermelhada característica. Além disso, habitam exclusivamente  os ambientes marinhos, além de contarem com mais de uma célula em sua formação e não terem flagelos.

    Esses organismos são também ricos em vitamina C, e são mais conhecidos do público em geral por serem presentes na preparação de pratos da culinária japonesa. Depois de desidratadas, elas costumam ser usadas para a composição de sushis ou temakis.

  • diatomáceas

    As diatomáceas – ou bacillariophytas – são caracterizadas por apresentar parede celular sem celulose. Elas também têm a capacidade de habitar tanto a água doce quanto a água salgada.

  • algas pardas

    Outro tipo de organismo são as algas pardas, comumente encontradas nas águas brasileiras. Seu grande diferencial é o tamanho, uma vez que pode atingir de 60 a 70 centímetros de comprimento. Além disso, esse tipo também prefere regiões temperadas para se desenvolver, sendo denominado como kelps.

Há ainda um outro grupo, também conhecidas como cianófitas ou cianobactérias. No entanto, não há um consenso quanto a essa classificação.

Classificação das algas azuis

Chamada de cianófitas por muitos, essa espécie não é considerada “verdadeira” por muitos. Isso acontece porque as cianobactérias são procariontes; ou seja, suas células não possuem núcleo e nem mitocôndrias.

Sendo assim, há alguns autores discordam da existência deste grupo específico; já que classificação das algas define que elas são eucariontes (ou seja, possuem células com núcleo).

Algas

No entanto, existem cientistas que discordam do posicionamento em razão do fato de que os organismos realizam fotossíntese e, portanto, poderiam ser classificados como algas.

Tais organismos são conhecidos como algas azuis porque as primeiras cianobactérias encontradas eram desta cor.  Uma particularidade deste seres é sua facilidade de adaptação em ambientes diversos e até mesmo extremos.

Pulmão do mundo

As algas marinhas possuem uma característica essencial para a vida terrestre já que, ao realizarem a fotossíntese, produzem mais oxigênio do que precisam. E o excedente produzido por elas é liberado para a atmosfera, o que corresponde a mais de 50% do oxigênio da Terra. Logo, são consideradas como o pulmão do mundo.

As algas também são consideradas como o pulmão do mundo porque dispersam mais oxigênio para o planeta que a própria Amazônia. Isso acontece porque, apesar de a floresta produzir bastante oxigênio, ela consome uma parcela significativa do elemento; diferente das algas, que liberam mais oxigênio do que consomem para a atmosfera.

Benefícios das algas marinhas

Além de serem consideradas o “pulmão do mundo”, as algas marinhas proporcionam outros benefícios quando consumidas. Confira abaixo alguns dos benefícios das algas marinhas:

  • Elas protegem nosso corpo de possíveis envenenamentos por radiação, graças a presença de iodo;
  • Possuem importância significativa para a tireoide;
  • Ajudam as mulheres em questões hormonais, inclusive, na diminuição dos sintomas da menopausa;
  • Auxiliam o sistema imunológico e previnem o desenvolvimento de enxaqueca e asma;
  • São anti-inflamatórias e antioxidantes;
  • Atuam como anti-hemorrágicas, devido a presença de vitamina K;
  • Auxiliam na prevenção do câncer;
  • São utilizadas no tratamento de doenças de cabelo e pele

Porém, vale ressaltar que para aproveitar dos benefícios das algas é preciso saber quais tipos de algas podem ser consumidas.

As nuris (algas vermelhas), os kelps e as algas lithothanium são exemplos de organismos comestíveis. De maneira resumida, as algas são extremamente benéficas para o nosso organismo porque são ricas nos seguintes nutrientes:

  • cálcio
  • iodo
  • fósforo
  • magnésio
  • ferro

algas

Qual a relação dos organismos com a agricultura?

As algas marinhas não proporcionam benefícios apenas para o organismo humano, mas também para as plantas. Isso porque elas conseguem aumentar a resistência da vegetação ao estresse. Além disso, contribuem com o aumento da clorofila na formação de raízes e diminuem o envelhecimento das suas células; e ainda podem servir como fertilizantes e atuar para corrigir o pH do solo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo