Energia de ativação: reações que interferem diretamente no cotidiano

Inicio » Meio Ambiente » Energia de ativação: reações que interferem diretamente no cotidiano
12/03/2019 Por
Energia de ativação: reações que interferem diretamente no cotidiano

A energia de ativação faz parte de nossa rotina e convivemos com o fenômeno das reações químicas todos os dias.

As reações químicas causadas pela energia de ativação podem parecer processos distantes, mas estão presentes na nossa rotina. Na cozinha, nos veículos, nos objetos que entram em combustão – muitos equipamentos não funcionariam sem este fenômeno.

A energia de ativação é, portanto, o que dá o “start” nos processos e permite que as reações entre as moléculas ocorram. Um dos seus usos mais comuns e importantes para o homem é a combustão da gasolina, permitindo com que o carro rode. Esta combustão fornece energia suficiente para ligar o motor e mantê-lo em funcionamento.

Energia de ativação

O que é energia de ativação?

Energia de ativação é a quantidade mínima de energia necessária para que uma reação química ocorra. Sem ela, portanto, as reações não podem acontecer. Ela também pode ser chamada de complexo de ativação.

Além da energia que promove uma reação, ocorre também o contato entre as moléculas dos reagentes. Quando esse contato acontece, então, se forma o composto intermediário chamado de complexo ativado.

A velocidade da reação, ou seja, o tempo de reação química, depende desta colisão das moléculas e da energia de ativação.

Exemplos de energia de ativação

As reações químicas podem parecer distante do nosso cotidiano. Porém, basta pensar um pouco para perceber que as reações acontecem todos os dias, ao nosso redor. Conheça alguns exemplos de energia de ativação:

  • Fogão: o gás de cozinha e o fósforo (ou isqueiro) são bons exemplos. Quando os dois reagem e são colocados em contato, ocorre a combustão. Entretanto, a combustão depende de uma faísca para ter início. Sendo assim, a faísca promovida por fogões elétricos, no isqueiro ou fósforo, é o princípio do fenômeno.
  • Água oxigenada: neste caso, o “start” acontece em contato com a luz – que dá início a decomposição da água oxigenada. Por esta razão, geralmente o produto é armazenado em frascos escuros. Quando entra em contato com a claridade, portanto, ele é ativado.
  • Armas de fogo: o ato de uma bala ser lançada de uma pistola. O que movimenta estas moléculas é o choque mecânico, promovido por um composto explosivo. Quando o detonador ou o gatilho é puxado, isso causa a combustão deste composto.

É possível aumentar a velocidade de reação?

Sim, é possível fazer com que os elementos reajam mais rapidamente entre si. Quanto menor for a energia de ativação, mais rápido a reação química acontece.

Explicando melhor: se a energia de ativação é muito lenta, demorada, o complexo formado entre os produtos consequentemente será mais lento.

Energia de ativação

Entendendo a relação com os produtos

Uma forma de tornar este fenômeno mais veloz é utilizando um catalisador – um produto químico que irá ajudar e acelerar os processos de reação. Ele participa da formação do complexo, mas não altera o produto final.

Para compreender a relação da energia de ativação com os produtos, basta observar alguns objetos. A explosão dos fogos de artifícios é instantânea, muito veloz. Já a formação de um diamante também acontece devido à reações, mas estas são extremamente lentas.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo