Estepe é formação vegetal importante para o meio ambiente

Inicio » Meio Ambiente » Estepe é formação vegetal importante para o meio ambiente
27/02/2019 Por
Estepe é formação vegetal importante para o meio ambiente

O estepe é popularmente conhecido por ser uma região onde animais podem andar livremente e ter o solo fértil

Estepe é uma espaço de área aberta e conhecido por suas grandes proporções. Essa formação vegetal é composta, principalmente, por gramíneas e outros tipos de vegetais baixos.

Além disso, o estepe é conhecido por se desenvolver em regiões onde o clima semiárido é predominante. Por isso, no Brasil, o Rio Grande do Sul é uma das principais regiões a apresentar esse tipo de formação campestre.

Região de estepe

O que é um estepe?

O estepe é um tipo de formação vegetal. Geralmente, este modelo pode ser encontrado em regiões planas, possibilitando um melhor desenvolvimento do processo vegetativo. Além disso, em alguns casos, as regiões de estepes contam com a presença de pequenos bosques para as manadas que por ali transitam.

As manadas presentes nessas regiões, normalmente, estão procurando abrigo para fugir de possíveis predadores. Animais mamíferos, por exemplo, usam o estepe para levar seus filhotes de uma região até a outra, em busca de evitar cruzar com situações de perigo.

Estes solos, mesmos desabrigados, são vistos como férteis. Ali, a situação climática geralmente é favorável a diferentes tipos de cultivo. Por ser uma área aberta e, dessa forma, exposta; os estepes costumam sofrer com incêndios ocasionados pela própria natureza.

A alta retenção de calor faz com o fogo se espalhe rapidamente pela área. Por um lado, isso é visto com bons olhos, já que estes incêndios são capazes de renovar todas as gramíneas do local e afastar problemas que possam estar se instalando na região.

Porém, queimadas ilegais também são muito comuns nessas regiões, o que pode trazer um efeito reverso; pois, nesse caso, muitos herbáceos ainda podem estar em seu estágio inicial – perdendo a vida.

Vale lembrar que o estepe não é uma mata. Alguns agricultores plantam árvores nessas regiões, geralmente, após grande perda de plantações em função de queimadas. Com isso, ao invés de o ciclo se renovar e as gramíneas ressurgirem, a região abre espaço para novas plantações.

Embora a prática tenha boas intenções, ela é prejudicial para a saúde do meio ambiente, pois, com isso, é muito provável que não seja mais possível a renovação de ciclos na área especifica.

Estepes e pradarias

Mesmo sendo relativamente parecido com estepe, a pradaria – ou pampa, como é conhecido no Brasil – diferencia-se; principalmente por se fazer presente em regiões de climas considerados subtropicais. Desse modo, a pradaria pode ser encontrada, principalmente, em países como:

  • Brasil
  • Argentina
  • Estados Unidos

Por estarem expostas a climas subtropicais, as plantas são afetadas e sobrevivem por menos tempo que o normal. No entanto, seus nutrientes permanecem na terra, fazendo com que novos herbáceos se desenvolvam no local.

Diferentemente de outros países, o Brasil utiliza o estepe para o manejo das cabeças de gado. Assim, se destacando como uma terra versátil para este tipo de prática. Entretanto, mesmo sendo utilizado para esse tipo de criação, outros animais também usam do local para caminhar e fazer outros tipos de atividades, como é o caso de raposas e lebres.

Vale lembrar que, por ser um local de espaço aberto, em épocas de fortes trovoadas é recomendável que as cabeças de gado não fiquem sem abrigo no ambiente; já que há o risco de que sejam atingidas por um raio, por exemplo. Por isso é importante não plantar árvores nesse locais. Além de prejudicar o ciclo do local, as árvores podem ser grandes responsáveis pela atração de raios.

Assim como em qualquer outro ambiente de produção, é necessário que haja coerência na hora de aplicar qualquer atividade que possa impactar a região de forma negativa. Isso porque o estepe é de suma importância para o bom funcionamento do solo e, principalmente, do ecossistema.

O cuidado com o gado nessas regiões é importante, visto que o Brasil é responsável por liderar as exportações bovinas em todo o mundo. Feito que ocorre também por conta do estepe; afinal, todo um trabalho bem executado só acontece quando a linha de produção está alinhada, para que tudo saia  de acordo com o planejado.

Hoje, grandes organizações estão tomando medidas importantes para a preservação do meio ambiente, o que é de suma relevância para o mundo. Animais precisam de regiões como as do estepe para viverem de forma produtiva e dando continuidade ao bom funcionamento do ecossistema.

Gado em região de estepe

Vegetação de estepes

A vegetação é algo de suma importância para o meio ambiente. Dessa maneira, locais como espaços tão amplos – como no caso do estepe – permitem possibilidades variadas. Entre os diferentes tipos de estepe e as condições que proporcionam para o manejo, podemos citar:

  • Estepe alto: Os mais altos são composto por pelo mesmo tipo de gramínea, que podem chegar a aproximadamente 2 metros de comprimento. Feito que dificulta a passagem dos animais e o melhor fluído do bosque. É muito comum em regiões onde o tempo de chuva é predominante.
  • Estepe misto: Geralmente, é conhecido por compor infinitos tipos de gramíneas. Entretanto, mesclando entre as mais altas e mais baixas. Feito que também dificulta a passagem de manadas.
  • Estepe baixo: É o tipo mais popular. Apresenta menor variedade de plantas, porém, é de fácil locomoção por qualquer área. As plantas deste local medem ago próximo de 20 centímetros. Essa região possui menor variedade de plantas. Além disso, são consideradas baixas em relação as outras.

Este solo, que é considerado fértil, é extremamente sensível e, na maior parte das vezes, sua degradação acontece em função do pisoteio do gado. A remoção de terras – por humanos – também é responsável pela falta de plantas e pelas queimadas que trazem infertilidade ao solo.

Alguns agricultores usam a área para fazer diferentes tipos de plantio para comercialização, entre eles, os cereais. A prática, que popularizou-se pelo mundo, teve inicio na América do Norte. O solo altamente fértil permitiu que os cereais crescessem de forma rápida e saudável, o que tornou a área um ponto importante para este tipo de trabalho.

O estepe, portanto, é importante para o bom funcionamento de diversas produções, tanto da agricultura como da pecuária. Isso porque, além de oferecer boas condições para alguns tipos de cultivos, ainda permitem que os animais da fazenda aproveitem um espaço maior para caminhar e que as manadas se desloquem livremente de uma região para a outra.

Agro20 | Portal Vida No Campo