Exsudato é um dos fatores que auxilia na agilidade da cicatrização

Inicio » Veterinária » Exsudato é um dos fatores que auxilia na agilidade da cicatrização
18/03/2019 Por
Exsudato é um dos fatores que auxilia na agilidade da cicatrização

Exsudato é um processo que pode ocorrer em animais e vegetais

O processo inflamatório de exsudato, causado por lesões e contusões na pele humana e animal, também ocorre de modo diferente em algumas espécies de vegetais.

Sendo um dos fatores que auxiliam no processo de cicatrização da pele, o exsudato ocorre de maneiras diversas e é importante para agilizar as ações cicatrizantes dos tecidos e membranas celulares.

Exsudato em animais

Significado de exsudato

Exsudato é o nome dado a evasão de líquidos orgânicos por meio das membranas e paredes celulares. Isto acontece devido a algum tipo de contusão ou inflamação, em plantas e animais. Quando ocorre exsudação no sangue, através de algum machucado ou ferimento, por exemplo, proteínas das plaquetas, hemácias, plasma e leucócitos acabam saindo. Os animais exsudam todo os elementos do sangue e do sistema linfático, já as plantas fazendo a exsudação de resinas (látex, por exemplo) e da seiva.

Em outras palavras, o exsudato é praticamente o resultado de uma inflamação. Ou seja, se não ocorrer a inflamação, não haverá exsudato. A gravidade da inflamação corresponderá diretamente na quantidade de exsudato esvaído. Este líquido direciona as células unidas das membranas e paredes até o local do ferimento.

A formação do exsudato em alguns tipos de úlceras (diabéticas, vasculares ou por pressão) , por exemplo, é diferente em relação à outras feridas agudas. Assim, a formação do exsudato é caracterizada como sinal indicativo do processo de cicatrização.

Uma das questões patológicas é o que difere transudato e exsudato. Transudato refere-se a quantidade mínima de proteínas, sendo resultado pela elevação da pressão hidrostática ou pela moderação das proteínas plasmáticas. Sendo assim, difere-se do exsudato pois não decorre de um algum tipo de inflamação. A barriga d’água, por exemplo, é um dos transudatos.

Condições do exsudato

Alguns dos fatores e propriedades do exsudato são, basicamente:

  • Umidade: ambientes úmidos facilitam e agilizam o processo de cicatrização das feridas. Isso acontece porque ele é propício e adequado para beneficiar a composição de colágeno, agilizando o processo de desintegração e epitelização (formação de um novo tecido de coloração rosada, a partir da cicatrização).
  • Seca: o tecido que encobre a ferida, quando exposto ao ar, seca mais rapidamente. No entanto, necessita-se de um reparo sobre a ferida, uma vez que não é adequada a regeneração dos tecidos ocorrer com eles desidratados. Assim, o que deve ser feito é deixar com que a ferida retorne a condição de umidade.
  • Úmida: fazer com que a ferida esteja úmida é um dos passos para melhor tratamento, pois a falta de umidade pode danificá-la e retardar o processo de cicatrização.
  • Umidade intensiva: devido a infecção ou inflamação, as feridas podem encontrar-se altamente úmidas. No entanto, a umidade intensiva pode ser nociva ao processo de cicatrização. Isso faz com que seja necessário absorver todo o excesso de líquido (exsudato) na ferida, para que ela volte a condição apropriada de umidade.

Características do exsudato nas inflamações

Todas as inflamações agudas são classificadas e identificadas a partir das características do exsudato. Assim, as principais são:

  • Serosas: grande parte formada por líquidos, têm insuficiência de células e apresenta-se como pericárdio ou bolha formadas por queimaduras. A condição inicial das inflamações é formada por esta concentração de líquidos.
  • Fibrinosas: grande parte formada com proteínas plasmáticas e fibrinogênio. Apresenta-se formando várias camadas de tecido, como é o caso da traqueíte fibrinosa.
  • Hemorrágicas: apresenta-se com a destruição das paredes celulares devido a um grande agravo vascular. Sendo que as hemácias são uma das maiores características de constituição hemorrágica.
  • Supurativa ou purulenta: caracterizada como exsudato purulento ou exsudato neutrofílico, ocorre quando há abundância de neutrófilos. A digestão dos tecidos infectados e dos agentes pelos neutrófilos é chamada de pus (nome dado a inflamação). Nela, o líquido do exsudato é amarelo nas secreções e no interior dos tecidos. Apresenta-se como vergão, empiemas (como na pelve renal, vesícula biliar, pericárdio, etc) e abscessos (como as espinhas e furúnculos).

Tratamento de exsudato em animais

O controle e tratamento do exsudato é essencial para que o local volte a condições favoráveis de umidade, facilitando e agilizando o processo de cicatrização. Dessa forma, quando o local está muito seco ou muito úmido, a disseminação de células e a cicatrização podem ser inibidas ou dificultadas.

Para que o tratamento seja realizado de forma adequada, faz-se necessário retirar o excesso de líquido do exsudato, utilizando algum curativo ou gaze de absorção. Esta etapa é importante por evitar que a lesão se agrave, ou então, que a cicatrização demore ainda mais para ocorrer. Além disso, também é importante para dificultar o aparecimento de dermatites na pele dos bichos.

Assim, a epitelização é favorecida quando o excesso de exsudato é controlado. Este processo resulta  no equilíbrio das bactérias e na retirada do tecido obstruído. Ou seja, é importante que o ferimento permaneça úmido para que a epitelização seja mais eficiente.

No entanto, faz-se necessário o uso de alguns produtores específicos caso a pele em volta do local da lesão esteja em contato direto com o líquido da inflamação.

Muitas vezes o exsudato é importante para o processo de cura da lesão, infecção ou inflamação. Isso porque ele é responsável por retirar todas as substâncias resultantes de processos infecciosos que alojam-se nos tecidos e afetam o exterior da pele.

Exsudação em plantas

Exsudato em plantas

Diferentemente do processo de gutação nos vegetais, que refere-se na retirada a água em forma de gotas por meio de poros hidatódios, a exsudação que ocorre nas plantas refere-se ao processo de absorção de água. Ou seja, ocorre quando o caule de uma planta é cortado ou extraído, resultando uma elevação na quantidade de nutrientes que, consequentemente, serão esvaídos pela abertura do corte.

O processo de exsudação nas plantas acontece principalmente no início da primavera, quando algumas espécies de pereiras e videiras são podadas. A pressão existente na raiz das plantas é o fator que permite a exsudação.

Na exsudação as plantas expelem uma solução açucarada em determinados pontos das folhas. Elas são capazes de produzir uma grande quantidade de exsudato por dia. Esta solução, quando fermentada, pode servir para a fabricação de algumas bebidas.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo