Macadâmia é muito cultivada, mas pouco conhecida no Brasil

Inicio » Agricultura » Macadâmia é muito cultivada, mas pouco conhecida no Brasil
02/06/2019 Por
Macadâmia é muito cultivada, mas pouco conhecida no Brasil

Cultivo de macadâmia é negócio lucrativo devido à adaptação da planta ao Brasil

A macadâmia é um dos sabores mais surpreendentes de sorvete, ajuda a emagrecer e fortalece os músculos. Mesmo assim, nem todo mundo conhece esta oleaginosa tão poderosa. Entretanto, se na mesa de muitos brasileiros este produto ainda é desconhecido, no universo do agronegócio sua popularidade é grande.

A plantação de macadâmia ocupa nada menos que 6 mil hectares no país, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). São Paulo é o principal produtor do país, concentrando 2 mil hectares. Em 2018, a produção brasileira desta noz foi de 7 mil toneladas de noz com casca.

A macadâmia, no entanto, é um investimento de longo prazo, uma vez que a produção começa apenas entre quatro e cinco anos após o plantio. Além disso, a árvore chega à idade adulta e de maior produção somente a partir de 12 anos.

Macadâmia

O que é macadâmia?

Macadâmia é o nome dado à noz e ao fruto de árvores nativas de florestas da Austrália. O fruto é constituído por um revestimento de cor verde, com a noz no interior, de casca marrom com uma amêndoa. Além disso, a macadâmia  é o gênero da plantaque, pertence à família Proteaceae.

As espécies de relevância comercial são a Macadamia integrifolia e a Macadamia tetraphylla . A integrifolia produz nozes com casca mais suave. Já a tetraphylla, nozes com casca áspera. Mas, as outras espécies não são comestíveis ou são venenosas.

Origem da macadâmia

A macadâmia é da Austrália, mas fez sucesso no Havaí, que se tornou o maior produtor mundial da castanha até 1997. A macadâmia foi trazida ao Brasil em 1935, pelo engenheiro agrônomo João Dierberger. Árvores da espécie ternifolia foram plantadas inicialmente em Limeira (SP), onde se iniciou a produção de mudas. Porém foi no final da década de 80 que o comércio de macadâmia começou a crescer no país.

Como a Austrália apresenta a mesma latitude do Brasil, a macadâmia se adaptou muito bem ao nosso país. A planta pode ser cultivada em diversos tipos de solo, mas deve ser profundo e bem drenado. Além disso, a árvore não suporta geada e ventos fortes, e requer índices pluviométricos acima de 1.200 milímetros anuais. Por causa das chuvas, o verão é a melhor época para o plantio.

No Brasil, o cultivo da Macadamia integrifolia está presente na região Sudeste, Paraná, Mato Grosso do Sul e Bahia.

Benefícios da macadâmia

Para perder peso, uma boa alternativa é evitar alimentos pouco nutritivos na hora do lanche, como bolos e biscoitos. Sendo assim, a macadâmia é uma boa alternativa, já que é rica em fibras e proteínas que ajudam no controle do apetite. Isso acontece porque as fibras promovem uma sensação de saciedade. Desta forma, é nesta categoria que se enquadra a macadâmia, entre outras oleaginosos.

O consumo das nozes ajuda a produção de energia, que é requerida tanto na contração como no relaxamento muscular. São riquíssimas em tiamina, vitamina importante para a geração de ATP via respiração aeróbica. Ajuda ainda a prevenir a aterosclerose. Graças à atividade antioxidade dos flavonoides, macadâmia é eficaz no combate a diversos tipos de câncer, como o de estômago, pulmão, próstata, útero e mama.

Esta noz também concentra uma boa quantidade de ferro e, por isso, evita a anemia. Como constituinte da hemoglobina, uma proteína presente nas hemácias, o mineral se liga às moléculas de gás oxigênio, provenientes da respiração, para que ele seja distribuído a todas as células do nosso corpo. Contribui para a síntese de neurotransmissores, compostos químicos responsáveis pela sinalização celular.

Macadâmia

Casca da macadâmia

A macadâmia também é utilizada na botânica. A casca da macadâmia serve ainda como substrato para orquídeas, que crescem mais firmes e viçosas com a estratégia.  Logo, é  destinado a orquídeas que necessitam de maiores períodos de seca ou regiões que sofrem com a alta umidade atmosférica. Pode ser misturada com sphagnum.

Receitas com macadâmia

Esta oleoginosa pode ser consumida ao natural ou incorporada em diversas receitas. Além disso, é saborosa quando acrescentada na massa de pães, tortas, bolos, cookies, trufas, bombons e sorvetes. Também é apreciada como tira-gosto. Basta adicionar sal e consumir, como se faz com do amendoim, por exemplo. Dá origem a produtos como o óleo de macadâmia, que é semelhante ao azeite. O óleo também é bastante utilizado pela indústria de cosméticos.

Bolo Delicia de macadâmia

Ingredientes

  • 3 gemas
  • 3 claras em neve

Ingredientes – massa bolo

  • 3 gemas
  • 3 claras em neve
  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 3 colheres de sopa de óleo
  • 1 xícara de chá de leite morno
  • 2 xícaras de chá de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento

Ingredientes – cobertura

  • 1 lata de doce de leite
  • 2 xícaras de macadamia moída
  • 1 xícara de chá de macadamia moída
  • Unte uma forma

Modo de Preparo

  • Bater as claras em neve bem firme. Coloque as gemas, depois vá acrescentando aos poucos o açúcar, óleo, leite e a farinha. Por último coloque a macadamia e o fermento.
  • Unte uma forma ( forma de buraco) e leve para assar em uma temperatura de 280 graus por cerca de 25 minutos – até o bolo ficar dourado.
  • Deixe o bolo esfriar um pouco, depois cubra com o doce de leite e salpique com a macadâmia.
    Sirva com um bom cafezinho ou chá e bom apetite.

Macadâmia

Propriedades da Macadâmia

Com relação às propriedades da macadâmia, 100 g de nozes apresentam 718 calorias e 13,82 g de carboidratos. Também conta com fibras, proteínas e 75,77 g de gorduras. As nozes ainda são uma excelente fonte de minerais, tanto em termos qualitativos como quantitativos. Cem gramas suprem do produto em 180% de recomendações diárias de manganês. Ainda são ricas em cobre e contém 46% as de ferro, 32,5% de magnésio e 27% de fósforo.

É uma fruta rica em vitaminas do complexo B. Posto que 100 gramas fornecem 100% dos níveis diários recomendados de tiamina, 21% dos de piridoxina, 15% dos de niacina e ácido pantotênico. Além destas vitamina, também possui pequenas quantidades de vitaminas C e E. Zinco, cálcio, potássio e selênio também estão presentes.

A macadâmia é rica em vitaminas do complexo B. Cem gramas do produto  fornecem, por exemplo 100% dos níveis diários recomendados de tiamina, 21% dos de piridoxina, 15% dos de niacina e ácido pantotênico, 12% dos de riboflavina e 3% dos de ácido fólico. Além disso, ela também contém quantidades de vitaminas C e E.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo