Pavão tem cores exuberantes e pode ser fonte de renda no agronegócio

Inicio » Agronegócio » Pavão tem cores exuberantes e pode ser fonte de renda no agronegócio
23/07/2019 Por
Pavão tem cores exuberantes e pode ser fonte de renda no agronegócio

O pavão é uma ave de origem asiática de extrema beleza que pode se tornar uma excelente fonte de renda

Por ser uma ave exótica e de rara beleza, o pavão foi por centenas de anos uma ave ornamental. Na Índia, seu país de origem, já foi considerado uma ave sagrada.

A criação de pavão como ave ornamental pode se tornar uma excelente fonte de renda. Por ser de fácil manejo, se torna uma alternativa para quem quer trabalhar com aves ornamentais.

Pavão

O que é pavão?

Pavão é uma ave que foi introduzida na Mesopotâmia há mais de 4 mil anos. Pertencente à família Phasianidae (faisão), ordem Galiforme, gêneros Pavo e Afropavo, pode-se dizer que o pavão é um faisão grande.

O macho chama a atenção pela colorida e longa cauda que pode chegar a 2 m de comprimento. Já a fêmea possui penas predominantemente na cor cinza. Seu peso pode variar entre 4 a 5 kg. A maturidade sexual ocorre entre 2 a 3 anos e a estimativa de vida é em torno de 20 a 25 anos.

O pavão é uma ave onívora. Embora sua alimentação seja principalmente composta por sementes, frutas e hortaliças (exceto alface), a ração para galinha também pode ser oferecida. Em média, a ave ingere 100 gramas de alimento por dia.

Quando criada em liberdade, a ave sobe em arbustos ou árvores para passar a noite e se sentir protegida. Ao perceber a presença de predadores, emite seu som característico para avisar outras aves, bem como para afugentá-los.

Embora o pavão não alcance uma longa altura e nem consiga voar por grandes distâncias, ainda assim ele pode voar.

Tipos de pavão

Atualmente são encontradas três espécies de pavão:

  • Pavão verde;
  • Pavão do Congo;
  • Pavão indiano.

Pavão

Pavão verde

O pavão verde (Pavo muticus muticus), conhecido também como pavão javanês, é nativo da ilha indonésia de Java. Porém, pode ser encontrado na Tailândia, no Camboja, em Miamar e na Malásia.

É uma ave onívora e se alimenta principalmente de sementes, frutas, répteis, insetos e algumas hortaliças.

O macho é polígamo, ou seja, possui várias fêmeas na época de reprodução, podendo variar entre 2 a 5 parceiras. Pode medir até 86 cm e, a fêmea, 202 cm, incluindo a cauda. Já o peso pode chegar a até 5 kg.

Sua plumagem é grande, de cores vibrantes e que utiliza nos rituais de cortejo à fêmea. A cabeça e a crista são mais esverdeadas do que azuladas, o que o distingue do pavão indiano.

Da mesma forma, a fêmea dessa espécie também é colorida, mas com tons mais suaves em comparação ao macho. Por outro lado, a fêmea não tem cauda verde.

A postura pode variar entre 4 a 8 ovos, com um período de incubação entre 28 a 30 dias.

Pavão do Congo

O pavão do Congo (Afropavo congensisi) é nativo da Bacia do Congo, na África, uma espécie endêmica, pouco estudada e conhecida, muito semelhante a um faisão.

De estatura pequena, o macho pode medir entre 64 a 70 cm de comprimento. Sua coloração é azul-esverdeada e violeta metálico. Seu pescoço é vermelho, seus pés cinza e sua cauda preta.

Diferentemente do macho, a fêmea possui uma coloração castanha e o ventre preto. Assim como o macho, sua estatura também é pequena, podendo variar entre 60 a 63 cm. Igualmente como o pavão verde, é uma ave onívora e se alimenta frequentemente de frutas e insetos.

Pavão indiano

O pavão indiano (Pavo cristatus) é nativo da Índia, do Sri Lanka e também de outras partes da região leste da Ásia. Também chamado de pavão azul, é a espécie mais conhecida e característica entre os pavões.

O macho utiliza a plumagem de coloração brilhante e azul, bem como as grandes penas de sua cauda, com o objetivo de intimidar outros pavões.

Da mesma forma, o macho abre a sua cauda colorida em forma de leque para atrair a fêmea. Possui aproximadamente 215 cm de comprimento e 60 cm de cauda. Assim como a espécie verde, também é polígamo e possui várias fêmeas no período de reprodução.

Já a fêmea possui coloração castanha escura, cabeça verde ou azul e uma cauda bem menor que o macho. A fêmea dessa espécie utiliza a cauda para se camuflar.

A postura varia de 8 a 10 ovos. O período de incubação é de 28 a 30 dias.

Pavão branco

Ao contrário do que muitos imaginam, o pavão branco (Pavo cristatus) não é uma espécie. Ele é uma derivação do já mencionado pavão azul, ou seja, um resultado de diversos cruzamentos com aves de pouca melanina.

Já o cruzamento entre um pavão branco e um pavão azul resulta em outra subespécie: o pavão arlequim. Diferentemente de outros pavões, essa espécie possui a cauda toda branca e parte do peito e pescoço azuis.

Seu tamanho é parecido ao de outros pavões, chegando a 200 cm de comprimento. Sua cauda é responsável por 60% de seu tamanho e seu peso pode variar entre 4 a 5 kg. A postura varia de 8 a 10 ovos. O período de incubação é de 28 a 30 dias.

Criação de pavão

A criação de pavão é uma excelente alternativa para quem quer começar a trabalhar com aves ornamentais. Um negócio que pode ser bastante lucrativo, uma vez que o preço de um filhote de pavão, dependendo da raça, pode variar de R$ 80 a R$ 180.

Já a comercialização do ovo de pavão, por sua vez, tem se transformado em fonte de renda para pequenos criadores. Grande e bastante nutritivo, tem demanda no mercado, embora menor que o da galinha, que é bem mais popular.

Pavão

O pavão é uma ave dócil que se adapta bem em cativeiro quando o manejo é adequado. Quando criado em clima quente e seco, fica mais resistente a doenças. De acordo com criadores, a ave necessita de um espaço mínimo de 4 m² por 3 m de altura.

O piso deve ser plano, de terra seca batida, forrado com serragem grossa ou palha. Esse procedimento garante que o chão fique livre de umidade. Assim, não fica escorregadio e também mantém as doenças mais longe.

A alimentação do pavão é basicamente composta por verduras e hortaliças isentas de agrotóxicos. Ração, frutas e sementes também podem ser oferecidas, além de água limpa e fresca, é claro.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo