Pitaya é uma espécie de cacto e, curiosamente, só floresce à noite

Inicio » Agricultura » Pitaya é uma espécie de cacto e, curiosamente, só floresce à noite
01/06/2020 Por
Pitaya é uma espécie de cacto e, curiosamente, só floresce à noite

São Paulo e Santa Catarina são os principais produtores de pitaya no Brasil

A pitaya ainda não é uma fruta muito conhecida pelo brasileiro em geral, embora o seu consumo esteja aumentando gradativamente nos últimos anos. Esse aumento pela procura da fruta é perceptível ao conferir os números do segundo maior estado produtor da fruta no país: Santa Catarina.

O Censo Agro 2017 revelou que, onze anos antes, a oferta comercial da pitaya no estado era inexistente, mas que em 2017 registrou 328 toneladas. A maior produção se encontra no extremo-Sul catarinense nas cidades de Turvo, Sombrio e Jacinto Machado.

pitaya

O que é pitaya?

Pitaya é uma fruta originária de países da América Central e do Sul, em especial o México.

Naturalmente é muito consumida nesses lugares, mas também faz um extremo sucesso nos países asiáticos. Isto porque a pitaya também é conhecida como “fruta do dragão”. Esse nome vem do fato da fruta ser semelhante aos famosos ovos de dragão.

É sabido como na cultura oriental a figura do dragão é muito venerada, portanto, não é de se admirar que desperte atenção nesses lugares. Mas claro que não se vive só de aparência. O que ajuda também é o fato da fruta ser considerada doce e apesar disso não ter muitas calorias.

Os principais tipos de pitaya

São três tipos de pitaya existentes e elas se diferenciam pela cor:

  • pitaya rosa com polpa vermelha;
  • a Pitaya rosa com polpa branca (ou pitaya branca);
  • pitaya amarela com polpa branca.

A mais popular no Brasil é a rosa com polpa branca, pois as condições climáticas favorecem o seu plantio – diferente da pitaya amarela de polpa branca que não se adapta bem ao território brasileiro, embora seja produzida na Colômbia.

A pitaya tem aspecto exótico e cores vibrantes. Apesar de apresentar variações, todas têm sabor semelhante.

Além disso, há pouca diferença na quantidade de nutrientes entre as versões. Portanto, consumir qualquer das espécies de pitaya é consumir praticamente a mesma fruta em termos nutricionais.

Benefícios da pitaya

É uma fruta indicada para integrar dietas com objetivo de emagrecimento, pois como dito anteriormente, apesar de naturalmente doce, a pitaya não é uma fruta altamente calórica.

Outro aspecto que colabora nesse sentido é o fato da pitaya ser um alimento termogênico, o que significa que atua na queima de gordura.

Mas, é claro que se concentrar somente na pitaya não irá resolver a questão do peso.

Parece óbvio (na verdade, é mesmo), mas muita gente insiste em querer acreditar em Papai Noel, coelhinho da Páscoa e que é possível emagrecer sem fazer exercícios. O único caminho possível sem recorrer à navalha é a combinação de atividades físicas e dieta balanceada.

Portanto, não deposite na pobre da planta todas as esperanças para um corpo e saúde dos sonhos.

Além do visual atrativo e do baixo valor calórico, os elementos que constituem a pitaya ainda proporcionam diversos benefícios à saúde.

Veja quais são os principais benefícios da pitaya a seguir.

Evita enfermidades como a diabetes

Frutas como a pitaya são ricas em antioxidantes, ricas em vitaminas. Esses antioxidantes são úteis para reduzir os efeitos dos radicais livres.

O nome é a descrição literal desses radicais. São células de má formação estrutural que vagam sem função pelo corpo na busca de recuperar a melhor forma. Para tanto, recorrem às células de formação correta e as parasitam, para tentar ajustar as próprias deficiências.

Nesse processo, os radicais acabam impedindo a boa célula de executar a sua função e também deformam-na para que, no final, se transforme em um novo radical livre.

pitaya

Esse processo acarreta mais células deixando de fazer sua função, mais células mortas produtivamente e quem sofre com as consequências é o corpo – principalmente a pele, que tem o seu envelhecimento acelerado.

Os radicais livres são responsáveis pelo desenvolvimento de algumas doenças como a diabetes e vários tipos de cânceres. Por isso, quanto menos existirem e agirem, menor o risco de sofrer desses males.

Reforça a imunidade

Um dos principais aliados do sistema imunológico é a vitamina C. Não à toa, medicações voltadas para tratar de tosses e resfriados ressaltam a presença da vitamina em suas fórmulas.

Calcula-se que 100 gramas de pitaya equivalham a 35% da vitamina C diária que nosso corpo necessita.

Com o sistema imunológico bem fortalecido, as ações de vírus e bactérias terão seus efeitos reduzidos ou inteiramente anulados, diminuindo o risco de se contrair doenças e ficar fora de combate por alguns dias.

Reduz colesterol ruim

Faz parte dos nutrientes da pitaya as vitaminas do complexo B. Uma das ações dessas vitaminas é melhorar o fluxo sanguíneo e reduzir os níveis de colesterol ruim.

Reduz a compulsão alimentar

Outro aspecto que torna a pitaya uma fruta amigona para lidar com os problemas da balança são os seus componentes que reduzem a compulsão alimentar.

Um desses componentes são as famosas fibras. As fibras dão maior sensação de saciedade, ou seja, sensação de corpo bem nutrido apesar de se consumir quantidade menor de calorias.

Isso se explica pelas fibras formarem um gel ao entrarem em contato com o suco gástrico. Esse gel se dilata, causando a sensação de estômago cheio. Além disso, as fibras diminuem a absorção de açúcar e gordura no organismo.

Fora as fibras, a pitaya tem a tiramina, conhecida por inibir o apetite, e o glucagon, que acaba com o desejo por doces.

Como plantar pitaya?

Para os que desejam ter uma produção de pitaya em casa, é possível que esteja se perguntando: como plantar pitaya? Será muito complicado?

A floração da pitaya dura de 8 a 12 horas e ocorre somente no período noturno, um verdadeiro espetáculo para quem tem conhecimento dessa particularidade da planta.

Por se tratar de um cacto, a pitaya é muito resistente ao calor, consegue se desenvolver em climas tropicais como o nosso. A temperatura ideal de cultivo é de 18 °C a 26 °C e com baixa umidade do ar.

Nas regiões menos favorecidas de calor, pode-se cultivar a pitaya em estufas. A planta necessita de exposição direta no sol por 10 horas por dia.

pitaya

Como se trata de uma planta de regiões secas, o solo deve ser leve, com um pouco mais de areia para ter baixa retenção de água. Mas não confunda leveza com pobreza, pois o solo precisa ser fértil e ter pH entre 6 e 7.

A irrigação deve garantir a umidade, mas não o encharque.

As sementes começam a germinar de 8 a 12 dias e, após essa etapa do plantio, a rega deve ser diária. Ao surgimento das mudas, o intervalo de rega deve ser maior, pois essas plantas apodrecem com facilidade.

Decorridos 5 meses após o aparecimento das mudas, as mais vistosas, de 15 a 20 cm, devem ser replantadas em vasos que tenham profundidade mínima de 40 cm.

Percebe-se o momento de colheita da pitaya pela casca. Se estiver vermelha, rosa ou com tonalidades chamativas, é sinal de que estará pronta para a colheita.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo