Respiração branquial é realizada por peixes, crustáceos e muitos animais

Inicio » Veterinária » Respiração branquial é realizada por peixes, crustáceos e muitos animais
02/12/2020 Por
Respiração branquial é realizada por peixes, crustáceos e muitos animais

A respiração branquial é o processo utilizado por peixes e outros animais aquáticos para capturar oxigênio. De fato, a maioria dos seres vivos depende do oxigênio para viver. Porém, nem todas as espécies usam o mesmo processo para levar esse gás até as células. Existem animais que respiram através da pele ou não precisam de sangue para transportar o oxigênio, bem como aqueles que fazem respiração branquial.

Nesse artigo, vamos aprender sobre a respiração branquial. Vamos entender como ela funciona e por que essa informação é importante para os piscicultores. Então, continue conosco e tenha uma boa leitura!

Respiração branquial

O que é respiração branquial?

Respiração branquial é a forma que a maioria dos animais aquáticos captura oxigênio para viver. Esse tipo de respiração é feita por meio de um órgão ricamente vascularizado chamado de brânquia. É nas brânquias que acontece a troca de gases entre o corpo do animal e água.

A respiração branquial é realizada por peixes, crustáceos, moluscos e também vários anelídeos.

Como funciona a respiração branquial?

A respiração branquial ocorre com a troca de gases entre o sangue do animal e a água. Assim como nos serem humanos, os animais aquáticos absorvem o oxigênio e liberam gás carbônico. Para isso, a água entra pela boca e sai pelas brânquias, formando um fluxo unilateral.

As brânquias são formadas por filamentos, que por sua vez contém projeções denominadas lamelas secundárias. Cada filamento branquial tem duas artérias: uma responsável por levar o sangue até o final do filamento (aferente) e outra que garante o retorno do sangue (eferente).

De forma simplificada, os vasos eferentes recolhem o oxigênio da água e o leva as células, enquanto os vasos aferentes capturam o gás carbônico liberado pela célula e deposita na água.

Para garantir que a maior quantidade de oxigênio seja captado pelo animal, o fluxo sanguíneo das brânquias é o oposto ao da água. Esse processo é conhecido como troca contra corrente. De fato, com a respiração branquial os animais conseguem  captar cerca de 80% do oxigênio presente na água.

A água pode chegar até as brânquias de duas formas diferentes: através do bombeamento bucal ou por ventilação forçada. No caso dos animais que fazem bombeamento bucal, as cavidades operculares e a boca criam uma pressão positiva sobre as brânquias, funcionando como uma espécie de aspirador. Por outro lado, na ventilação forçada, uma corrente respiratória é criada quando o animal nada e continua com a boca aberta.

Respiração branquial

Animais e os tipos de brânquias

Como vimos, as brânquias têm um papel muito importante na respiração branquial. Porém, elas podem ter formatos diferentes de acordo com a espécie. Por exemplo, nos peixes, elas aparecem nos dois lados da cabeça, formando arcos branquiais de onde partem duas fileiras de filamentos, formados por placas achatadas denominadas lamelas.

Em contrapartida, as brânquias dos crustáceos são longas, plumosas e cobertas por exoesqueleto. Já nos equinodermos, esse órgão aparece em forma de projeções tubulares na pele.

Além de variar no formato de acordo com a espécie, as brânquias também podem ter funções diferentes. Além da respiração branquial dos peixes e dos caranguejos, por exemplo, ela também ajuda na regulação osmótica. Por outro lado, na classe dos bivalves, as brânquias têm a função principal de alimentar. Nesse caso, elas retêm as partículas que ficam suspensas na água e as leva até a boca no animal. No entanto, ainda não é claro se esses animais usam o órgão para respirar.

A importância da concentração de oxigênio na piscicultura

Saber como funciona a respiração branquial é de suma importância para a manutenção dos tanques e aquários, pois a concentração de oxigênio dissolvido é o parâmetro mais importante na piscicultura. Embora os processos de oxigenação da água sejam naturais, é preciso fazer o monitoramento diário para detectar a ocorrência de níveis críticos.

A falta de oxigênio na água pode ser medida através de um equipamento chamado Oxímetro. Além disso, se o piscicultor notar que os peixes estão amontoados na entrada do viveiro, ou que eles estão nadando na superfície com a boca aberta, deve-se aumentar o fluxo de água ou ligar o sistema de aeração de emergência; pois esse é um sinal que a concentração de oxigênio está em níveis críticos.

Contudo, a medição com o aparelho correto pode evitar essa situação. O ideal é que a concentração de oxigênio seja sempre maior do que 5mg/L. Caso contrário, os peixes podem ficar irritados e morrer, caso sofra exposição abaixo de 2mg/L.

De fato, para que os peixes possam realizar a respiração branquial, a água precisa ter oxigênio suficiente. Para isso, é importante respeitar a quantidade máxima de animais por metro cúbico recomendada pela Embrapa, bem como tomar o cuidado de instalar os viveiros em locais bem ventilados. Além disso, como a principal fonte de oxigenação da água de viveiros é realizada através da fotossíntese, é importante que exista uma boa quantidade de microalgas de plâncton.

Respiração branquial

Tipos de respiração

A respiração branquial está diretamente relacionada a vida aquática. Contudo, existem outros tipos de respiração que são observadas principalmente em animais terrestres. Por exemplo, na respiração pulmonar, todo processo acontece por meio do pulmão. Ela a é forma como todos os animais vertebrados terrestres trocam gases com o ambiente.

Por outro lado, os anfíbios respiram através da pele, o que chamamos de respiração cutânea. Já os insetos, obtém oxigênio através da respiração traqueal. Nesse caso, pequenos tubos chamados traqueias se ramificam por todo o corpo e atinge a superfície de todas as células, sem a necessidade de sangue para transportar os gases.

De fato, o oxigênio é o responsável pela manutenção de boa parte de seres vivos no planeta. Dependendo do seu habitat, um animal pode precisar absorver esse gás de formas diferentes, como no caso dos animais aquáticos, como vimos ao longo desse artigo.

Dessa forma, fica claro que a respiração branquial permite que os seres vivos capturem o oxigênio da água e o leve até as células. Por isso, é sempre muito importante manter os tanques, viveiros e também os aquários com um bom nível de oxigenação.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo