A toada contemporânea e o seu papel como patrimônio cultural no Brasil

Inicio » Pecuária » A toada contemporânea e o seu papel como patrimônio cultural no Brasil
11/02/2019 Por
A toada contemporânea e o seu papel como patrimônio cultural no Brasil

O som da toada entre as pastagens e currais

A toada no Brasil é vista como patrimônio cultural imaterial. Presente no cotidiano dos vaqueiros, a toada – ou aboio – faz parte das atividades exercidas por eles ao cuidar e pastorear todo o gado.

A mudança na interpretação do que, de fato, é a toada, foi alterando-se ao longo dos tempos. Isso porque passou a ser usada para referir-se aos vaqueiros. Além disso, foi introduzida ao dia a dia dos trabalhos nordestinos, junto ao manejo dos animais.

Pratica da toada em pastagens e currais

Afinal, o que é uma toada?

Toada – ou aboio – é o nome dado para o ritmo cantado pelos vaqueiros aos conduzir os bois, equinos e ovinos pelo curral ou pelas pastagens. A toada é composta por onomatopeias repetitivas como a “era boi, era boi”. Além disso, é cantada entre assobios com um canto lento, fazendo referência ao ritmo dos animais. Já as toadas sobre temas agropastoris são todas cantadas em versos.

O aboio de trabalho, ou seja, as formas cantadas que traçam relação entre os vaqueiros e a comunicação direta com os animais, tem como significado as melodias improvisadas para a condução do gado.

A toada diz respeito a esta manifestação cultural e musical quando há a presença de rimas e versos memorizados, sem a necessidade de instrumentos musicais como o violão e a sanfona.

História da toada

Na década de 80, a toada consistia em música com letras que celebravam o boi e a cultura cabocla. No Amazonas, especificamente em Manaus, a toada foi adotada como um dos símbolos da cultura estadual. No entanto, passou a ser cantada dentro e fora das áreas rurais, como em eventos turísticos na capital do Estado.

Nos festivais estão presentes os levantadores de toadas, que são responsáveis por sustentar o espetáculo através da graça e harmonia. Assim, sua característica principal é a amplitude da voz afinada.

Além disso, sua função é cantar os versos que exaltam o gado, trazendo declarações de amor a ele. Há também as toadas folclóricas, que cantam sobre a imaginação presente na Amazônia, através de magias e mistérios, por exemplo.

Aboios e toadas contemporâneas

Vaqueiro praticando a toada

Os aboios e toadas contemporâneos são cantos nordestinos que trazem em suas letras a vida dos vaqueiros e dos seus amigos e familiares. Presente no cotidiano dos homens que vivem em função do gado, o aboio de vaqueiro – ou toada – faz parte da rotina diária desses trabalhadores ao reunirem o gado.

A toada é considerada uma profissão e há uma prática comum entre os vaqueiros quando estão reunidos: o chamado aboio de vaquejada. Ele consiste na improvisação de toadas em versos complementadas por outro vaqueiro. No país, a toada é ensinada de pais para filhos, dos mais velhos para os mais novos.

O aboio e toada atuais são considerados parte da indústria cultural e fazem parte do patrimônio imaterial do Brasil. TV, rádio, gravações e festivais são espaços em que a prática da toada está inserida, e isso tem propagado os vaqueiros como heróis nordestinos, contribuindo para a base econômica agro pastoril.

Agro20 | Portal Vida No Campo