Azeitona oferece diversos benefícios e possibilidades de uso

Inicio » Agronegócio » Azeitona oferece diversos benefícios e possibilidades de uso
16/04/2019 Por
Azeitona oferece diversos benefícios e possibilidades de uso

Azeitona e o sabor peculiar que a tornou popular em todo o mundo

Azeitona é uma fruta e poucos sabem disso. Ela está presente nas pizzas, em saladas e em muitos outros pratos de consumo diário no Brasil e no mundo. Sua origem deu-se na Grécia antiga e, desde então, tem muita importância tanto para os gregos para as outras regiões do Mediterrâneo.

O sabor e aroma peculiares da azeitona agradam muita gente. Este fruto pode ser encontrados em diferentes tipos e possibilita a produção de diferentes azeites. Além disso, a quantidade de benefícios e nutrientes que ela proporciona é muito extensa.

Azeitona em conserva

O que é azeitona?

Azeitona – também chamada de oliva – é o fruto retirado da árvore oliveira. Há também quem chame o fruto de verde-oliva. Na região mediterrânea, principalmente, ela tem uma grande importância agrícola e econômica, pois é fonte para a produção de azeite e também base para comércios como a olericultura.

Origem da azeitona: a oliveira

As pessoas já comentavam sobre a oliveira na Grécia Antiga. De acordo com a mitologia, antigamente, durante as disputas pela terras na cidade de Atenas, Poseidon (Deus supremo do mar) fez surgir um formoso e resistente cavalo com uma batida em seu tridente (uma espécie de garfo com três pontas).

A Deusa Atena – também chamada de Palas Atena – levou uma oliveira que era capaz de produzir óleo para iluminar durante a noite e amenizar a dor dos que foram feridos, oferecendo também um alimento rico em energia e sabor.

No entanto, do outro lado da região mediterrânea, conta-se, segundo os italianos, que os irmãos gêmeos Reno e Rômulo (primeiro rei de Roma), pertencentes à família dos deuses criadores de Roma, foram pela primeira vez à luz do dia utilizando galhos de uma oliveira.

No entanto, a história mais concreta sobre a origem da oliveira – logo, a origem da azeitona – foi o encontro de resíduos fósseis de oliveiras na Itália, em pinturas das montanhas do Saara Central e no Norte da África. No Saara Central, as pinturas tinham idade de seis mil a sete mil anos.

Múmias da dinastia egípcia XX foram encontradas vestidas de granalhas com traças de oliveira. Já em Creta, relevos e relíquias foram encontradas em registros da época minoica, em 2500 a.C.

Alguns estudiosos concluem que a oliveira tem origem no sul do Cáucaso, das planícies mais altas do Irã e do litoral mediterrâneo da Palestina e da Síria, com expansão posterior para o resto das regiões mediterrâneas.

Tipos de azeitona

Oliveira: árvore que dá azeitona

Existem muitos tipos de azeitona espalhados pelo mundo. A partir dela, por exemplo, fabrica-se azeites dos mais variados gostos, com particularidades diferentes. Os principais tipos desse fruto são:

  • Arbequina: é um tipo de azeitona espanhola, original da região Arberca na Catalunha;
  • Picual: é uma das espécies mais consumidas mundialmente, representa 50% da produção do setor espanhol, sendo a Espanha seu país de origem. É uma azeitona preta com sabor um pouco amargo;
  • Arbosana: é um tipo de fruto também original da Espanha e que tem fácil adaptação aos solos tropicais do Brasil;
  • Koroneiki: tem origem grega e é uma das mais conhecidas. Além de adaptar-se bem ao solo e clima das regiões brasileiras. É levemente picante com sabor um tanto amargo;
  • Arauco: a espécie é produzida em maior quantidade na Argentina, especificamente no Vale de Arauco, norte do país. Sua exportação é responsável por grande parte da renda na região. É uma azeitona verde clara, com formato oval, sabor forte e agradável. É a mais consumida no Brasil pois agradou o gosto dos brasileiros;
  • Verdial: este tipo é original de Portugal e muito utilizada na extração e produção de azeites. Tem coloração verde, produz azeites com sabor persistente, levemente amargos e picantes.

Azeitona preta

azeitona preta é a versão mais saudável deste fruto. Ela passa por um processo de maturação natural e tem nutrientes importantes para a saúde do coração e dos ossos, entre outros aspectos. Além do mais, seu sabor marcante é uma ótima combinação para diversos tipos de prato.

Para que ela fique com a forma como as pessoas conhecem e comem, a produção de azeitona passa por vários processos e etapas. O processo começa nas oliveiras, daí elas são colhidas e passam por uma limpeza, onde as impurezas são retiradas e há a seleção dos frutos.

Em seguida, elas são cozidas e são armazenadas em salmouras para retirar o sabor amargo que as acompanha. Logo após este processo, acontece uma nova fermentação e uma nova seleção dos frutos. Portanto, somente depois dessas etapas é que elas podem ser comercializadas.

O que muda das pretas para as verdes é, na verdade, o tempo de maturação de cada uma. No caso das verdes, elas possuem esta coloração porque não chegaram ao ponto de serem classificadas como maduras. Ao contrário, as de coloração preta já atingiram este ponto.

No entanto, há no mercado azeitonas que são pretas devido processos artificiais. Quando é o caso, elas ficam até um máximo dois meses em fermentação e salmoura, passando por um processo denominado de oxidação. Este processo retira o gosto amargo e possibilita a coloração preta dos frutos.

Este tipo de azeitona é rico em ferro, o que ajuda no bom funcionamento dos glóbulos vermelhos presentes no sangue. Ela contém antioxidantes, que auxiliam na prevenção de doenças do coração, na hidratação dos cabelos e da pele, além de contribuir para a saúde da visão.

Por terem alta quantidade de fibras, ela ajuda na boa digestão. Além disso, também é boa para reduz os riscos de asma, osteoporose e artrite reumatoide.

Benefícios da azeitona

Tipos de azeitona

A azeitona, de forma e em todos os seus tipos, é rica em nutrientes e, por isso, oferece inúmeros benefícios à saúde. Ela protege contra o envelhecimento, pois possui compostos bioativos antioxidantes. Tem alto grau de prevenção contra doenças do coração pois é composta por mais de 70% de ácido oleico (gordura que reduz o colesterol ruim – LDL).

Além disso, este fruto é um grande aliado no processo de emagrecimento. Isso porque é uma ótima fonte de fibras e gorduras boas, possibilitando sensação de saciedade. No entanto, seu consumo deve ser feito moderadamente, aliado à uma dieta equilibrada e a uma alimentação nutritiva.

A azeitona também pode ajudar na proteção contra o câncer, pois é fonte de polifenóis (substância com alto poder antioxidante que combate a formação de radicais livres no organismo). Entre os seus nutrientes essenciais, podemos citar a vitamina C, fibras, fósforo, cálcio, ferro, magnésio e potássio.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo