Brachiaria humidicola é resistente a seca e solos alagados

Inicio » Agricultura » Brachiaria humidicola é resistente a seca e solos alagados
29/09/2020 Por
Brachiaria humidicola é resistente a seca e solos alagados

Brachiaria humidicola pode ser plantada junto com outras brachiarias para germinar mais cedo. Como todas as brachiárias, a brachiaria humidicola é nativa do leste e sudeste da África, de áreas com altas precipitações. Essa gramínea se popularizou em vários países para pastejo e cobertura de solo. Por ser uma planta de crescimento rápido, não é recomendado seu consórcio com leguminosas.

De ciclo perene e com uma ampla adaptação climática, a brachiaria humidicola pode ser cultivada desde o nível do mar até 1.800 metros de altitude, com índice pluviométrico que pode variar de 800 mm até 4.000 mm por ano.

brachiaria humidicola serve como pastagem para animais

O que é brachiaria humidicola?

Essa gramínea apresenta um bom desenvolvimento mesmo em solos que não tenham alta fertilidade, se adaptando inclusive em solos ácidos e argilosos e com altos índices de alumínio. Apesar de formar uma cobertura de solo de forma mais lenta, depois de estabelecida a humidícola forma uma boa proteção contra erosão do solo.

A humidicola é uma cultivar que apresenta boa tolerância, tanto para a seca quanto para pragas e doenças. Seu crescimento é estolonífero, ou seja, a partir de um nó no colmo, os caules crescem ao nível do solo, e são desenvolvidas as raízes que dão origem a uma nova planta. Também apresenta boa tolerância ao frio.

  Principais características da humidicola

  •  é uma planta rústica com boa adaptabilidade, de baixo porte, podendo atingir até 1m de altura;
  •  suporta solos bastante úmidos e até alagados por um período;
  •  apesar de também resistir bem a seca, seu rendimento baixa à medida que as chuvas diminuem,
    principalmente em solos mais arenosos;
  • se adapta bem a solos ácidos e de baixa fertilidade;
  • utilizada como pastejo direto, suportando altas cargas animais.

Porém, por ter baixo teor de proteína (cerca de 5 a 7% é o teor de proteína da matéria seca), o consumo em pastejo por equinos e bovinos ainda precisa ser complementado com minerais ou ração para evitar problemas fisiológicos.

Se manejada com níveis adequados de nutrientes, cresce de forma rápida. Sua formação leva de 150 a 180 dias, sendo recomendado o primeiro pastoreio aos 150 dias, com ciclos curtos de até 20 dias para pastejo, quando as plantas estão com aproximadamente 15 centímetros. Caso contrário, ela perde sua palatabilidade e seu melhor período passa, e os animais já não vão consumir grandes quantidades.

brachiaria humidicola se adapta bem a solos alagados e é tolerante a seca

A brachiaria humidicola também apresenta boa tolerância contra a cigarrinha das pastagens. O ataque dessa praga reduz a capacidade produtiva da planta, pois a praga acaba sugando a seiva dos capins, danificando as folhas e deixando o pasto “queimado”.

Num aspecto geral, algumas espécies de brachiarias foram introduzidas no Brasil como plantas forrageiras. Assim, chegam a se transformar em plantas invasoras em alguns ecossistemas, como no Cerrado. Por isso, é importante um manejo adequado.

É recomendado o plantio da brachiaria humidicola junto com outras brachiárias de crescimento mais rápido, pois assim germinarão mais cedo. Essa recomendação se deve ao fato da dormência das sementes da humidicola, ou seja, quando há um atraso na germinação das sementes, mesmo em condições favoráveis de clima e solo. O plantio em consórcio com outras brachiarias pode antecipar o pastejo para 90 dias, já que outras cultivares se desenvolvem mais rápido.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo