Café, fruto do cafeeiro, produz uma das bebidas mais amadas do mundo

Inicio » Agricultura » Café, fruto do cafeeiro, produz uma das bebidas mais amadas do mundo
13/09/2019 Por
Café, fruto do cafeeiro, produz uma das bebidas mais amadas do mundo

Brasil é responsável por um terço da produção mundial de café

Nosso país sustenta o título de maior produtor mundial de café há mais de 150 anos. Também estamos entre os países que mais consomem essa bebida. O café representa o quinto mais importante produto de exportação brasileiro. De origem africana, a planta do café foi migrada para as mesas dos industriais europeus em decorrência do processo de colonização.

No Brasil, sua produção é facilitada devido às qualidades de clima e de solo, propiciando a cafeicultura de vários tipos de grãos. A produção desse plantio é um dos mais tradicionais em nosso solo. O café foi responsável por sustentar financeiramente o antigo império brasileiro no século XVIII e XIX, bem como a República Velha no começo do século XX.

Café

O que é café?

Café é uma bebida saboreada há pelo menos mil anos. Além disso, naturalmente, é também o nome da fruta do cafeeiro, uma semente esférica, que passa por diversos processos até culminar na produção de uma das bebidas mais consumidas no mundo todo, seja na versão de café cremoso, café gourmet ou café expresso, por exemplo.

Sobre o grão e a planta

O grão de café vem do cafeeiro, uma planta de nome científico Coffea sp. e que pertence à família Rubiaceae, o que a faz ter característica de arbusto. Mas, certamente, você não irá confundi-lo com um, já que ostenta tamanho que varia entre 2 e 5 metros.

Seu caule é lenhoso e o tronco verde quando novo. tornando-se marrom conforme envelhece. Suas folhas são persistentes e com nervuras, o que faz gerar os grãos de café.

A origem do café

Você sabe qual a origem do café? É uma história curiosa que vale a pena ser contada.

Diz a lenda que foi um pastor na Absínia, hoje Etiópia, durante a jornada de cuidados do rebanho, que acabou encontrando os então desconhecidos grãos de café. Ele estava em uma montanha árida e ressecada, onde era possível crescimento de vegetação apenas entre as rochas.

Ele reparou que alguns dos animais que cuidava desapareciam durante a noite e voltavam dentro de algumas horas, alterados, com muita disposição. Sem dúvida, algo atípico, considerando o horário e o tempo longe da vista de todos.

Pensando se tratar de um evento sobrenatural – sim, possessão demoníaca –, uma noite o jovem pastor decidiu seguir os animais para descobrir qual era o paradeiro deles nesse horário.

Ele viu os animais pastarem visivelmente entusiasmados sobre uns grãos vermelhos que se encontravam sob um arbusto que, até então, nunca tinha visto. Notou que as cabras comiam os grãos e logo começavam a ficar agitadas.

Resolveu experimentar alguns grãos. Para sua surpresa, acabou achando-os deliciosos. Produziam certo frescor na boca.

O pastor comentou com um monge da região sobre sua descoberta e este resolveu também fazer um experimento, mas, dessa vez, não apenas provando os grãos, e sim fazendo uma infusão com eles.

Este monge, então, constatou que de fato o sabor era agradável. Também percebeu que a bebida passou a deixá-lo desperto enquanto fazia suas orações, mesmo tarde da noite.

A novidade logo se espalhou pelos monastérios e então sua demanda passou a ser grande. Há indícios de que o primeiro cultivo de café tenha ocorrido no Yêmen, em monastérios islâmicos.

Café

Café no Brasil

As raízes do café no Brasil se dão no século XVIII. O primeiro registro que se tem notícia de plantio de café em território brasileiro data de 1727. O registro é de um documento que aponta Francisco de Melo Palheta como agricultor de café em sua propriedade no Pará.

Mas a sua produção só começou a ganhar força expressiva quando mercados consumidores externos, como EUA e Europa, passaram a ter alta demanda pelo produto. Isso ocorreu no começo do século XIX.

A produção de café no Brasil se expandiu pela Baixada Fluminense e no vale do rio Paraíba, região que percorre as áreas do Rio de Janeiro e da capital paulista.

Valendo-se da qualidade do nosso solo, do clima tropical, das características da planta do café – que resiste bem a variações térmicas – e da estrutura escravocrata do Brasil Império, rapidamente o grão passou a ser um produto capital para a economia do período.

À época, basicamente sustentou e impulsionou as divisas do Império por quase um século. Assim, contribuiu para impedir o total caos econômico no período da República Velha.

O café, até hoje, se mostra um produto de suma importância para a economia nacional. O Brasil é líder de produção e exportação mundial do produto.

Produção de café no Brasil nos dias de hoje

Além de ser o maior produtor e exportador, o Brasil é o segundo maior consumidor da bebida no mundo. Consumimos 21 milhões de sacas por ano, ficando atrás somente dos Estados Unidos.

Segundo dados do Ministério da Agricultura (MAPA), a exportação de café foi responsável pela movimentação de 5,2 bilhões de dólares em 2017. Em 2018, o Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé) informou que as exportações de café verde somaram 31,52 milhões de saca, aumento de 15% em relação a 2017.

A produção de café no Brasil hoje se concentra nos seguintes estados:

  • Minas Gerais lidera o ranking como maior produtor de café no Brasil, pois 50% da produção nacional vem da lavoura dos mineiros. Além disso, 100% das plantações são do delicioso café arábica, cujo nome científico é Coffea arabica;
  • São Paulo é o mais tradicional produtor de café do país. Sua produção também é totalmente de café arábica, distribuída nas regiões de Mogiana e Centro-Oeste Paulista. Dois terços da exportação do produto ocorrem pelo Porto de Santos;
  • Espírito Santo é o segundo maior produtor de grãos do gênero arábica, bem como principal produtor do café conilon (Coffea robusta);
  • A Bahia também tem forte produção cafeeira, tanto de café arábica como de conilon. Esses quatro primeiros estados concentram a produção de 85% de café arábica no Brasil;
  • Paraná já foi o maior produtor do país. Hoje, recupera sua produção investindo em café arábica;
  • Rondônia se dedica exclusivamente à plantação de café conilon. Sua produção anual chega a 2 milhões de sacas.

Café

Plantação de café

O primeiro passo para fazer uma plantação de café é escolher um terreno adequado, que não seja tão sujeito às intempéries do vento e de temperaturas baixas. Tais condições são prejudicais ao desenvolvimento da planta. Além disso, o local não deve ter recebido o cultivo de cafezais por pelo menos 5 anos.

Depois, é necessário cuidar da erosão do solo, de preferência com um trator, para igualar o terreno. Em seguida, você deve fazer uma limpeza superficial para tirar as impurezas visíveis. Essas medidas ajudam com que a semeadura e a colheita sejam feitas de maneira mais rápida.

Selecione uma das 100 espécies de café. No entanto, atente-se que apenas 3 tipos de grãos são os mais consumidos.

O próximo passo é a semeadura. Faça covas com aproximadamente 30 cm de profundidade e 25 cm de largura. É importante que cada cova tenha 80 cm de espaçamento entre elas. Do contrário, uma planta pode interferir no crescimento da outra.

Irrigue a plantação ao menos 1 vez na semana, cuidando para não encharcar o solo.

Para a colheita do café, 20% da plantação deve está verde e os grãos com tamanho médio. O processo de colheita pode ser feito de forma manual ou mecânica.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo