Carro de boi: sua origem e utilidade nos dias de hoje

Inicio » Agronegócio » Carro de boi: sua origem e utilidade nos dias de hoje
25/03/2019 Por
Carro de boi: sua origem e utilidade nos dias de hoje

Atualmente, o carro de boi é encontrado em apenas algumas regiões brasileiras, no setor pecuário

O uso do carro de boi é popularmente conhecido no campo. O meio de transporte tomou frente durante muitos anos no período da colonização portuguesa no Brasil.

O carro de boi permanece no campo devido às tradições dos povos que ali vivem. Embora seu uso não seja tão recorrente quanto no passado, a memória cultural permanece.

Carro de boi

O que é carro de boi?

O carro de boi é um meio de transportes tido como um dos mais primitivos. Sua forma tem base em uma carroça puxada por um ou mais bois, e seu uso varia entre transporte de carga e de pessoas. É um meio de transporte muito comum no meio rural e tem a  vantagem de ter o boi como “combustível”, visto que este é um animal de grande resistência.

No Brasil, este meio de transporte permanece no sertão por conta de seu grande uso no passado. O sertão brasileiro foi o primeiro a surgir com a carroça, tanto para carregar o material agrícola como para mobilidade.

Para que seja possível construir um carro de boi, é necessário uma mesa de madeira para servir como base da carroça. Em seguida, é feito o uso de um eixo, que serve para que as duas rodas se interliguem à mesa. Da mesma forma, as duas rodas devem ser conectadas à carroça, para que ela ganhe mobilidade.

Uma curiosidade sobre este carro é o regaste cultural que ele proporciona. Ainda hoje é feita uma espécie de festa em comemoração ao transporte que proporcionou mobilidade ao povo do campo. Em Minas Gerais e no sertão gaúcho, são realizados desfiles dos carros de boi, enquanto os moradores locais confraternizam em razão deste marco cultural.

Origem do carro de boi

O carro de boi tomou conhecimento nacional a partir das lavouras de cana-de-açúcar. O uso do carro era feito para transporte da produção de cana até as moendas dos engenhos.

Este transporte também conhecido fora do Brasil, em Portugal por exemplo é chamado de Boeiro. Dado ao fato que o auge de uso foi durante a colonização brasileira, os portugueses mais ricos eram os que se utilizavam do transporte para sua locomoção.

Por muitos anos este tipo de carro era dito como nobre entre os proprietários de terra pois o boi não se cansa com facilidade do cavalo, além disso sua força para transporte é muito maior.

Uso do carro de boi

O uso da carroça de boi é muito presente no sertão brasileiro, em especial, em Minas Gerais. Os agricultores se utilizam do meio de transporte para levar a mercadoria até o centro. O carro se transformou em uma tradição do ruralista brasileiro e hoje é visto como símbolo cultural. O transporte, no passado, não apenas serviu como transporte de carga como também participou de importantes batalhas.

A principal característica que define um bom carro de boi é madeira que se utiliza. O uso de um produto de qualidade define o som que o carro faz. A madeira também define velocidade e facilidade para transitar.

Para a produção deste meio de transporte, leva em média 15 dias para a construção e seu valor de mercado é alto, podendo chegar até 20 mil reais. Os dois fatores, tanto do tempo de construção como o valor são variantes da madeira que é utilizada na construção.

A região mineira é a que mais se utilizou do carro. Na época da colonização e até que chegassem a era dos automóveis, o carro de boi foi o único meio de transporte de Minas Gerais, tanto de pessoas como de produtos.

No ramo do mercado produtor, era muito comum observar o carro sendo utilizado para transporte do café e de cereais até o consumidor. Dado ao fato que o estado de Minas é ainda hoje o maior produtor de café nacional, ter o carro de boi como transporte significa muito para a história política e cultural da nação.

Carro de boi na atualidade

Nos dias atuais, seu uso é visto como uma herança de família e para preservação dos costumes da região. Mesmo na sociedade atual com a disponibilidade dos automóveis e maquinários agrícolas, muitos produtores se utilizam do carro de boi. Este fato acontece pois os produtores desejam que o transporte prevaleça na história do país. Os produtores e pecuaristas que se utilizam do meio para transporte são chamados de carreiro.

Apesar de uso trazer vantagem ao produtor de pequenas cargas ou para uso familiar, muitos já não o utilizam por não consideram viável. Em comparação com uma caminhonete ou outro tipo de meio automotivo, o carro de boi chega a demorar cinco vezes mais. Em outras palavras, o transporte não otimiza tempo e não é procurado por produtores de grande porte.

Outro setor que se beneficia com o carro de boi é o turismo. Realizar passeios turísticos com a carroça de boi é muito comum, em especial no Sul do país.

Vantagens do carro de boi

A maior vantagem deste transporte é pela resistência do animal. Além de o boi ser mais resistente em longas jornadas, o animal também é conhecido por sua força em carregar grandes cargas. Outra marcante característica do animal é seu caráter manso, em outras palavras, fácil para manejo.

Carro de boi

Outra importante característica do meio é para os que desejam iniciar um comércio a partir da produção mesmo. O carro de boi permanecer sendo muito procurado pelo setor rural, ou seja, não há falta de mercado consumidor. Além disso, o transporte também conta com alto custo de mercado. Este fato valoriza o trabalho do produtor e gera economia com o retorno monetário. Um carro de boi pode variar de 7 até 20 mil reais.

Embora o transporte não ser rápido, seu uso ainda é procurado para preservação cultural. Muitos produtores ainda procuram o carro de boi para que uso não entre em “extinção” ou mesmo caia no esquecimento.

Apesar de ter sido substituído por máquinas agrícolas e automóveis, o carro de boi é tido como um meio de transporte muito importante para a história do Brasil. Sendo, ainda hoje, considerado por muitos uma herança e patrimônio cultural.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo