Carvão mineral é uma rocha sedimentar de energia não renovável

Inicio » Agronegócio » Carvão mineral é uma rocha sedimentar de energia não renovável
27/08/2019 Por
Carvão mineral é uma rocha sedimentar de energia não renovável

Com grande importância na economia mundial, o carvão mineral é produzido em diversos países para gerar energia e eletricidade

Apresentando grande parte de sua produção voltada à eletricidade, o carvão mineral teve um bom crescimento nacional na virada do século, conforme mercado internacional. Sua extração ainda marca forte presença nos estados da região Sul, atingindo quase um bilhão de toneladas.

Composto principalmente por carbono, o carvão mineral já entrou na lista negra de diversos países industrializados. Isso porque a tendência mundial é a redução e a eliminação dessa matriz energética que danifica o meio ambiente.

Carvão mineral

O que é carvão mineral?

Carvão mineral é a segunda fonte energética mais usada no mundo, resultado de um combustível fóssil formado há muito tempo. Embora ele fique atrás apenas do petróleo, esse carvão representa quase um quarto de toda a energia consumida. Aqui, no Brasil, seu uso chega a ser de quase 7% das matrizes energéticas nacionais.

De qualquer forma, o carvão mineral começou a ser importante para a economia do planeta com a revolução industrial inglesa, ainda no século XIX, ou seja, quando as máquinas a vapor da época começaram a ser utilizadas na cadeia produtiva.

Uma das primeiras fontes energéticas usadas pela humanidade, ele ficou marcado pela larga escala do período industrial. Entretanto, já começou a ser visto como energia não-renovável por especialistas. Afinal, por ser rocha sedimentar com muitos milhares de anos, a base de origem orgânica causa resíduos nocivos à natureza.

Para você entender melhor o que é carvão mineral, saiba que ele teve origem há milhares de anos, em depósitos de natureza vegetal. Ele é formado através da decomposição de matérias orgânicas e não apresenta traços de oxigênio.

Em outras palavras, o material resultante de restos vegetais é compactado e soterrado, passando ainda pela ação de bactérias e condições extremas de calor e pressão. Dessa forma, depositado no ambiente, com o longo tempo, ele forma o carvão.

Localizado em qualquer continente, para encontrar esse tipo de carvão é preciso cavar terrenos em regiões de clima temperado ou baixas temperaturas. Isso porque, nesses locais, antes de apodrecerem, os vegetais ficam carbonizados.

Os tipos de carvão mineral

Para conhecer os tipos de carvão mineral, você precisa saber que sua formação tem correspondência aos estágios de sua produção. Ou seja, são especificadas pela presença de carbono.

Assim, de acordo com a concentração, destacamos diferentes tipos de carvão mineral, conforme você pode conferir abaixo.

  • Antracito: um tipo de carvão mais sólido e compacto, já que é a forma mais pura do carvão mineral por possuir altíssimo teor de carbono;
  • Turfa: é um material vegetal que tem médio teor de carbono, permitindo até mesmo a identificação do vegetal original;
  • Linhito: um tipo de rocha sedimentar criada pela compressão da turfa, possuindo teor de carbono menor que o antracito;
  • Hulha: também chamado de carvão betuminoso, é uma rocha sedimentar criada por betume, um líquido viscoso e de cor escura.

Carvão mineral

Principais empregos do carvão mineral

Como já vimos, o carvão tem grande utilização para a combustão, sem falar que ele ainda gera outros subprodutos, como a energia por meio de reação química. Com isso, ele começou a ter largo emprego durante os ciclos industriais, pois era usado para colocar em funcionamento grandes máquinas movidas a partir de seu vapor.

Nos dias de hoje, o emprego desse mineral diminuiu muito, do mesmo modo que demais fontes energéticas andam sendo exploradas, a exemplo de gás natural e o próprio petróleo.

Isto é, já existe uma tendência mundial para a substituição dessas fontes não-renováveis como o petróleo e alguns tipos de carvão mineral e vegetal. Por certo, a busca é por novas alternativas energéticas, como a eólica e a energia solar. Segundo agências internacionais, o uso do carvão pode chegar a aumentar nos próximos anos.

Com toda essa produção de energia elétrica, ele pode ser a matriz mais utilizada do planeta ao passo em que trará mais prejuízos também. Por outro lado, no momento, sua produção ainda não é relativa à sua disponibilidade, pois o petróleo continua na linha de frente das cadeias produtiva e econômica.

Para fechar este tópico, saiba que o emprego do carvão mineral está ligado às suas propriedades. Ou seja, é seu poder de calor que gera energia para mover máquinas, de acordo com a necessidade.

Dessa forma, podemos concluir que certos carvões de menor poder são usados para gerar eletricidade e, pela combustão mais lenta, têm uso doméstico. Por outro lado, carvões com maior poder de calor são empregados na produção de aço e ferro, com amplo uso na construção civil.

Carvão mineral: vantagens e desvantagens

Entre as vantagens do carvão mineral, podemos destacar:

  • Produz grandes quantidades de energia por peso;
  • Apresenta melhor custo-benefício em relação a fontes de energia alternativa;
  • Possui reservas em todas as regiões do mundo, assim como tem fácil localização;
  • Tem alta eficiência energética.

Por outro lado, suas desvantagens são mais preocupantes, pois estão relacionadas a danos ambientais sérios, como:

  • Queimar carvão mineral emite gases poluentes na atmosfera, agravando problemas como o aquecimento global;
  • Ele é o combustível fóssil mais poluente no meio ambiente, gerando sérios impactos ambientais tanto na utilização quanto na extração;
  • Possui problemas de segurança no seu armazenamento, pois é altamente inflamável;
  • Como é uma fonte energética não-renovável, está na mira de entidades para sua redução e as suas reservas têm prazo de validade.

Carvão mineral

A extração do carvão mineral no Brasil

De acordo com o Governo, a extração do carvão mineral no Brasil costuma ser feita de duas formas: subterrânea ou a céu aberto. Contudo, o método a céu aberto é a mineração mais comum para se extrair carvão. Dessa forma, ela reapresenta maior nível de produtividade e de rentabilidade.

Em relação ao seu transporte, o carvão viaja os trajetos longos por meio de trens e caminhões, ao passo em que, nas vias curtas fabris, ele costuma ser transportado em esteiras.

Aqui no Brasil, ainda há o domínio de carvões com baixo teor de carbono. Nossas reservas ocupam alto posto no ranking das reservas globais. Em conclusão, vale lembrar que as grandes jazidas de carvão mineral estão localizadas nos estados da região Sul.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo