Castração e as principais técnicas voltadas para os bovinos

Inicio » Veterinária » Castração e as principais técnicas voltadas para os bovinos
19/02/2019 Por
Castração e as principais técnicas voltadas para os bovinos

O processo de castração voltado para a pecuária

A castração é uma técnica muito usual em alguns bichos, principalmente em animais domésticos. No entanto, ela tem sido muito utilizada nas atividades da pecuária.

A castração do gado tem auxiliado os produtores na hora do manejo dos animais, facilitando os cuidados. Além disso, contribuem para uma melhor qualidade da carne.

Castração de bois

O que é castração?

Castração consiste na amputação sexual que impossibilita o indivíduo de reproduzir-se, interrompendo a presença de hormônios sexuais, como a testosterona e o estrogênio. A castração pode ser realizada tanto em humanos quanto em animais.

A castração animal é geralmente feita em animais domésticos, com o intuito de deixá-los mais dóceis, impedir doenças e a sua reprodução. No entanto, há também a utilização destas técnicas na pecuária. Seu uso é voltado para desfazer-se do gado que não será preservado como reprodutor. Então, os animais são postos para serem engordados e depois abatidos para consumo da carne.

Castração de boi

A castração bovina é muito habitual em grandes propriedades voltada para a pecuária de corte no Brasil. A técnica auxilia os cuidadores com o melhor manejo dos animais. Uma vez que os bois são castrados, tornam-se mais mansos, sociáveis e dóceis.

A qualidade da carne de animais castrados também já foi classificada como melhor em comparação aos bois não castrados. Embora animais não castrados possuem maior vantagem de produtividade, por serem mais musculosos e mais fortes que os outros.

Em contrapartida, a preferência do consumidor também é relevante no momento de escolha e compra da carne. Há quem prefira um produto mais magro com baixo teor de gordura, esses, no caso, optam por carne de gado não castrado. Já, ao escolher carne de bois castrados, o consumidor tem maior preferência por um produto mais gordo, com maior teor de gordura.

Técnicas deste procedimento podem ou não serem cirúrgicas. As principais são:

  • Orquiepididectomia bilateral: também conhecido como método da faca, consiste na remoção dos testículos ou na ligação do cordão, por meio de uma cirurgia. O ponto negativo desta técnica é o fato do animal ficar vulnerável a inúmeras infecções e doenças, além de ter um tempo maior de recuperação.
  • Castração russa: consiste em interromper a circulação de sangue até os testículos, por meio de uma ferramenta chamada Burdizzo. O ponto negativo desta técnica é a possibilidade do sangue voltar a circular após um tempo, sendo necessário refazer o procedimento.
  • Castração química: é uma técnica simples e menos agressiva que consiste em aplicar uma solução química que causa atrofiamento nos testículos dos bichos. O ponto negativa é o alto valor cobrado para realizar o procedimento.
  • Vacinação: consiste em aplicar uma vacina com anti-GnRH que irá comprometer o desenvolvimento dos órgãos reprodutivos do gado.

Recomendações na castração

Castração de bezerros

As principais recomendações sobre a castração de touros baseiam-se na idade em que a técnica será realizada em cada animal. Os resultados dela estão associados com o tempo de vida em que ela é feita.

Quando o procedimento acontece antes da puberdade, os animais não mostrarão desenvolvimento do sistema sexual. Isso, justamente pelo fato de não terem hormônios feitos pelos testículos.

Por outro lado, quando acontece depois da puberdade, os animais terão dificuldade no desenvolvimento do seu sistema sexual, obtendo alterações no comportamento.

Dessa forma, a castração de bezerros tem sido mais vantajosa, pertinente ao baixo grau de estresse e maior obtenção de alimentação. Além disso, a cicatrização e recuperação são mais rápidas e os gastos são mais baixos.

Portanto, é necessário que a castração não seja feita no mesmo período de amamentação, pois são duas atividades que geram maior estresse ao animal, impactando também na alimentação dos bichos.

Agro20 | Portal Vida No Campo