Chucro: entenda o significado deste conhecido termo

Inicio » Pecuária » Chucro: entenda o significado deste conhecido termo
26/02/2019 Por
Chucro: entenda o significado deste conhecido termo

O termo chucro ou xucro é muito utilizado no mundo agro como forma de mencionar que um animal não foi domesticado.

Também utilizado como ofensa, o termo chucro pode se referir à uma pessoa mal educada, que fala de forma grosseira ou ignorante.

  1. O que é chucro?
  2. Origem da palavra chucro
  3. Como age o cavalo chucro?
  4. Comportamento do burro chucro
  5. Como domesticar cavalos chucros
  6. Domesticação de burros chucros
  7. Animal chucro requer manejo especial?
  8. O que é uma pessoa chucra?
  9. Qual o significado de bravio?
  10. Chucro ou xucro?

chucro

O que é chucro?

Chucro é um adjetivo utilizado para definir os animais que ainda não foram domesticados. Também pode ser escrito como “xucro“. Um animal chucro é aquele que ou não passou por treinamento ou não é apto ao mesmo. Ou seja, é mesmo que dizer o animal não saiu de seu estado selvagem.

Este termo é comumente utilizado no universo da pecuária para se referir aos cavalos. Isso porque são muito utilizados no transporte de carga, e a necessidade de que sejam treinados é grande.

Origem da palavra chucro

Advindo da língua dos Quínchuas. Esta palavra toma espaço na época em que o povo indígena habitava a América do Sul na região que engloba a Argentina, Bolívia, Equador e Peru. A língua ainda é falada em algumas regiões do Peru e Norte da Argentina.

Em seu idioma de origem o significado é um pouco diferente de como é utilizado hoje, e se refere à algum material de propriedade dura. Com o decorrer do tempo, este termo passou a ser utilizado para se referir à pessoas que possuíam uma maneira rude ou agressiva de falar ou agir.

Como age o cavalo chucro?

No Brasil, o uso de cavalos no universo da pecuária e dos esportes é bastante frequente. Por isso, ter animais chucros é um grande prejuízo ao pecuarista.

O animal chucro age de maneira selvagem com seu dono e pode não deixar que ele se aproxime, por exemplo. Outra situação comum é tentar atacar tanto os outros animais da fazenda quanto o próprio vaqueiro. O animal chucro também pode se isolar em todas as atividades do dia a dia e não se aproximar dos demais.

Os motivos para que um animal seja chucro estão diretamente relacionados ao seu temperamento. Um motivo para isso, inclusive, pode ser relacionado a maus-tratos quando filhote – embora isso nem sempre seja verdade.

Para que este cenário mude, é preciso que o animal passe por um processo de cuidados e aproximação com o dono, até que ganhe confiança e seja domado.

Uma maneiras muito utilizada para aqueles que o cabresteamento com equinos seja feito é o uso de cabresto feito com uma corda resistente. O uso de argolas de metal na boca do animal deve ser evitado, pois elas se rompem facilmente e irritam o cavalo.

Também existem métodos em que a dominação do animal é feita à força. E, embora em alguns casos este processo seja eficiente, em outros pode desencadear ainda mais a agressividade do animal.

É importante ressaltar que o cavalo, mesmo quando não domado e chucro, não é um animal predador. Portanto, o seu manejo e treinamento ainda é considerado relativamente simples de ser executado.

chucro

Comportamento do burro chucro

O burro é um animal normalmente dócil, doce e de bom comportamento. Ao contrário do que se acredita e se propaga, é um animal inteligente.

Outra característica sua é a resistência. Suporta condições de vida e de trabalho que seria impossível para outros tipos de animais. Por isso, usa-se o burro como animal de carga.

Existem burros em todos os lugares do mundo. No Brasil, há um monte deles. Nos EUA, também. Mas, certamente, não se trata de exclusividade desses países. Há burros em todos os cantos, ainda que alguns se destaquem mais que outros quanto à capacidade de concentração destes animais.

Grande número é usado como animais de cargas, justamente devido à incrível resistência mencionada há pouco.

O burro chucro tem movimentação lenta e parece nunca ter pressa. No entanto, pode ser acometido dos mesmos traumas que o cavalo se não for bem tratado, principalmente na infância.

O burro chucro costuma ser mais inquieto e se mostra bem resistente para seguir certas orientações se estas mexerem com seus traumas. Por isso, precisa-se de muita paciência e perseverança para lidar com o animal.

Assim, entende-se como burro chucro o animal que não foi domado desde cedo, por isso, carrega muitos vícios e resistências.

Contudo, uma vez domado e conquistada a sua confiança, o quadrúpede passa a ter comportamento mais próximo ao da normalidade.

Sua domesticação certamente requer mais tempo de dedicação e contato diário. Contudo, os cuidados devem ser maiores, pois ele oferece maior risco por ser animal bravio.

Como domesticar cavalos chucros?

Sem dúvida, domar cavalos não é uma tarefa fácil. Por isso, não é recomendado que se tente fazer sozinho. É mais prudente e seguro contar com ajuda e, de preferência, de pessoas que entendam do assunto.

O cavalo é um animal perigoso devido ao seu peso e sua animosidade natural. Um cavalo chucro, então…

Abaixo, damos algumas dicas de como domesticar cavalos chucros.

Primeiro passo: ganhar a confiança do animal chucro. Para isso, passe todos os dias algum tempo com ele. Apenas fique perto dele e o escove;

Depois de criada a conexão com o cavalo, o passo seguinte é ensinar novos comandos. Contudo, não se afobe. Treinar cavalo, principalmente chucro, é um processo demorado. Exige paciência.

Cada novo comando precisa de conexão com o anterior. O objetivo do treinamento centra-se em passar novos hábitos.

Outro ponto importante: jamais fique com raiva do animal. Ao menos, jamais demonstre raiva. Sem dúvida, esse comportamento o assustará e criará mais dificuldades de aprendizado.

Se ele desobedecer aos comandos, corrija-o com calma. Um bom gesto para sinalizar ao animal que ele fez algo errado é fazer um som para alertá-lo. Por exemplo, o clássico som para fazer uma pessoa ficar em silêncio: “Shhhh”.

Outro bom procedimento é recompensá-lo a cada boa ação. Essa técnica é chamada de reforço positivo. Dê petiscos e carinho para toda vez que o cavalo chucro obedecer a um comando.

No entanto, também podem ser empregados os chamados reforços negativos. Eles consistem em empurrões e tapinhas com os dedos. Contudo, empregue sempre o recurso sem causar medo ao animal e, principalmente, dor.

Caso esteja montado, você pode pressionar levemente o cavalo com as pernas ou puxá-lo pela rédea.

chucro

Domesticação de burros chucros

Para iniciar a doma de um burro chucro, você precisará de:

  • Uma corda de 1 metro;
  • Um cabresto;
  • Cabo de cabresto de 2 metros a 3 metros;
  • Uma teia de 1 a 2 metros;
  • Uma escova.

A focinheira do cabresto deve ser dura, firme, condição necessária para impor respeito ao animal.

No primeiro dia, deixe o burro socializando com os outros animais. Depois, deixe-o junto à tropa no segundo dia.

No terceiro, inicie o trabalho de tirar a sensibilidade do burro. Antes, dê um banho no animal para tirar todo e qualquer tipo de incômodo, principalmente coceiras.

Pegue todas essas ferramentas e deixe-as no centro do local em que fará o trabalho de amansamento do burro chucro.

Pegue o burro pelo cabresto e tente tocar no animal, o acaricie – contudo, sempre guardando uma distância segura, pois é um animal arisco.

Após iniciar o contato, troque o cabresto macio pelo de focinheira dura.

Use a teia para prender as patas dianteiras do animal. Fique na frente dele, mas de modo que suas patas não possam alcançá-lo. Troque o cabresto.

Use a escova para pentear o pelo do burro. Entretanto, fique do lado das patas dianteiras do burro. Jamais passe essa linha e sempre tenha à mão o cabresto.

Faça isso nos dois lados. Pegue a corda e abra uma laçada. Coloque-a sobre o burro. O objetivo é fazer um pé de amigo. Faça-o andar amarrado por alguns minutos e depois faça-o andar sem estar imobilizado para verificar a reação dele.

O próximo passo é encostar nas patas traseiras, nos dois lados. Por fim, ele cedendo nessas etapas, o passo final é a montaria.

Contudo, esse procedimento pode durar semanas, a depender da agressividade do animal.

Animal chucro requer manejo especial?

Depois de ter lido todas as informações que já apresentamos, certamente você já sabe qual é a resposta. Afinal, não estamos falando de animais que cresceram nas melhores condições para serem adestrados.

Os animais de fácil adestramento são aqueles criados perto de pessoas desde o seu nascimento. Criação que não é feita à toa, pois o contato com pessoas ajuda os animais a se acostumarem com a presença de humanos.

No entanto, um bicho chucro segue por caminho adverso. Nasce e cresce livre no campo, longe de humanos. Cresce, sem dúvida, desenvolvendo gostos próprios, hábitos próprios, vícios que muitas vezes não se adéquam às necessidades dos produtores rurais. Muitas vezes, mais atrapalham do que colaboram.

Um animal desses certamente demanda um manejo especial, pois terá mais resistência para se condicionar ao comportamento que dele se espera na vida produtiva no campo.

Ele naturalmente será mais desconfiado dos humanos por não ter convivido muito tempo com algum. Sem contar que ser privado de sua liberdade compreensivelmente gera desconforto e irritação.

Por isso, faz-se necessário tomar alguns cuidados extras na hora de manejar animais chucros. Os cuidados estão relacionados principalmente à parte da segurança. Também costuma-se levar mais tempo para concluir totalmente a fase de amansamento.

O tempo pode levar dias ou até semanas. Isso irá depender sempre do grau de agressividade do animal. O nível de agressividade, aliás, está relacionado às suas experiências passadas. Naturalmente, quanto mais negativas forem, mais resistência terá para ceder aos comandos de seus adestradores.

Lembrando que a melhor opção é sempre contar com ajuda na hora de lidar com cavalo ou burro chucro. Tenha como seu auxiliar, no mínimo, uma pessoa, porém, quanto mais à disposição, melhor.

Além de diminuir o risco de acidentes, o auxílio de outras pessoas também contribui para acelerar o processo de adestramento.

chucro

O que é uma pessoa chucra?

Anteriormente, explicamos o significado da palavra quando empregada para se referir a um animal. No entanto, o termo também é empregado popularmente para se referir a uma pessoa.

Por exemplo: “Fulano é chucro”. “Fulana é uma pessoa xucra”. “Revelou ser um chucro”.

Enfim, há vários exemplos do termo sendo empregado no cotidiano, principalmente em cidades interioranas.

Mas, o que significa ser “chucro” no contexto de pessoa?

Será que significa a mesma coisa do sentido aplicado aos animais? Será que se trata de uma referência a uma pessoa arredia, arisca, rebelde, indomável?

Não, o significado é outro.

O chucro direcionado ao humano tem significado de ignorância. Faz referência a um indivíduo que não tem conhecimento, não recebeu instrução para fazer qualquer tipo de tarefa. Também se diz do indivíduo que não recebeu educação, seja acadêmica ou de berço.

Um chucro é um rude, um mal educado, grosseiro, estúpido, casca-grossa, enfim, um total inepto tanto no social como no profissional.

Assim como o animal chucro, um tipo assim geralmente cresce afastado do convívio humano ou, no mínimo, muito mal acompanhado. Cresce isolado, descobrindo as coisas por conta própria e não sabe como agir quando se depara com pessoas de outra vivência e cultura.

Costuma responder à sua insegurança diante de outras pessoas agindo rudemente e evitando contato.

Outras formas de se referir pejorativamente a tal tipo é o chamando de “caipira” e “jeca”. No entanto, se trata de uma generalização injusta e com certa carga de preconceito ou ignorância quanto à figura do caipira.

O fato de viver no campo, trabalhar na roça, não faz da pessoa, automaticamente, ignorante para tratar com outras pessoas e exercer atividades importantes.

Qual o significado de bravio?

Um termo que costuma vir acompanhado de chucro – de animal chucro, especificamente –, é “bravio”. É um adjetivo que costumamos empregar para descrever estado de espírito de animais indóceis, selvagens e que ainda não foram domesticados.

Mas, o que vem a ser bravio? Quando nos referimos que um animal é bravio, estamos querendo dizer o quê?

Bravio é o mesmo que “bravo”, “bruto”, “rude”. Um animal, quando está bravio, geralmente se encontra agitado, agressivo, feroz, indócil. É uma característica muito comum de animais chucros, principalmente quando se sentem acuados.

Tal comportamento costuma se manifestar na hora de amansa-lo, tirar a sua sensibilidade. Por não estar acostumado à presença humana e se sentir preso, normalmente reage ardorosamente.

Pula, ergue as patas, tenta dar o coice, relincha ou urra com intensidade, tenta correr, se livrar de suas amarras, mesmo que no processo acabe se machucando.

Nesse estado, é comum classificá-lo como um animal bravio, de má compostura e de difícil controle.

A palavra está muito associada à vida no campo, ao rural ou campestre.

Também emprega-se o termo para se referir a um caminho íngreme, por isso, árduo, de difícil acesso e trânsito.

Usa-se também o termo para se referir a agitação do mar. Por exemplo, quando o mar se encontra muito revolto, instável, agitado, diz-se que está bravio. Ou seja, está feroz, agressivo, dinâmico, ruidoso, certamente não proporciona navegação tranquila.

Bravio também já era um termo empregado na mitologia grega e em contos épicos para descrever grandes feras como leões, dragões e aves gigantes.

A etimologia da palavra: “bravio” vem do latim “bravus” que significa “selvagem”, mais o sufixo “io”.

chucro

Chucro ou xucro?

Uma velha questão envolvendo a palavra chucro. Na hora de escrever, a dúvida sempre aparece: “chucro” ou “xucro”?

Alguns garantem que o certo é xucro, porém outros afirmam que tal forma de escrita se trata de um regionalismo, uma adequação popular, uma simplificação da escrita derivada de erro e que, por tanto ser reproduzida, acabou ganhando status de correta.

Quem defende essa tese garante que chucro se trata da forma erudita da palavra, a forma original, a grafia correta do termo.

Porém, há ainda quem entenda que, na verdade, essas palavras, apesar de parecidas em pronúncia, tratam de assuntos distintos.

Por fim, temos outra versão que aponta que ambas as palavras tratam do mesmo assunto, no entanto, diferem apenas na escrita. São, portanto, apenas variantes de uma mesma palavra.

Isto posto, afinal, qual versão corresponde à verdade? Ou, pelo menos, qual mais se aproxima da realidade?

As duas palavras existem e têm pronúncia muito parecida, mas será que tratam da mesma coisa?

Respondendo: as duas palavras se tratam de formas gráficas variantes. Ou seja, elas têm o mesmo significado, mas na hora de representá-lo graficamente, seguem por caminhos distintos. Uma usa o “ch”, outra prefere o “x”.

Portanto, se a sua intenção é se referir a um animal não domesticado ou a uma pessoa sem educação básica, pode escrever tanto usando a grafia com ch ou com x. Estará certo em ambos os casos.

Exemplos com a palavra xucro:

  • Ele tem prática em domesticar animais xucros.
  • Aquele homem não sabe fazer absolutamente nada. É um xucro!

Exemplos com a palavra chucro:

  • Aquele cidadão não presta para nada, é um chucro.
  • Ele tem prática em domesticar cavalo chucro.

Ou seja, praticamente as mesmas frases e com o mesmo significado.

O emprego de chucro e xucro estão corretos em todos os exemplos apontados. Assim, o que acaba causando variações é a região. No final das contas, os termos “chucro” e “xucro” acabam tendo o mesmo significado, não importa como são escritos.

Agro20 | Portal Vida No Campo