Cisterna é reservatório para a água de chuva que garante a irrigação

Home » Agricultura » Cisterna é reservatório para a água de chuva que garante a irrigação
01/04/2019 by
Cisterna é reservatório para a água de chuva que garante a irrigação

O uso da cisterna é comum em regiões com altos índices de seca

A cisterna é um método extremamente produtivo e importante na agricultura brasileira; uma vez que essa prática está relacionada ao armazenamento de água da chuva em uma espécie de caixa ou poço. Fixada diretamente no subsolo da propriedade, ela possibilita uma alternativa para a irrigação em épocas de seca.

A ideia de obter uma cisterna ajuda, principalmente, agricultores que tenham propriedades em regiões onde os períodos de seca são relativamente grandes. Com isso, durante esses momentos, não faltará água para os trabalhos dentro da fazenda; e será garantida a hidratação necessária para dar continuidade aos plantios.

Cisterna em forma de poço

O que é cisterna?

A cisterna é um recurso capaz de reter boa parte da água que vem da chuva para armazenamento. Assim, possibilitando o seu uso em diferentes fins dentro de uma propriedade. A sua importância é grande, principalmente em regiões como o Nordeste, onde a necessidade de água é constante por não haver a ocorrência frequente ou abundante de chuva na maior parte do ano.

Durante muito tempo, proprietários faziam o uso de uma espécie de poço para reter a água da chuva. Entretanto, por ser um método muito antigo e de pouca estrutura, acabava abrindo espaço para que bactérias proliferassem naquelas águas – impossibilitando o seu consumo e uso para todos os fins em que poderia ser aplicado.

Os diferentes tipos de cisterna

Com o passar dos anos, diferentes tipos de cisterna foram criados, sempre com o intuito de melhorar a eficiência na obtenção de água da chuva. Entre os principais tipos de cisterna existentes atualmente, podemos citar:

  • Cisterna de alvenaria: Esse reservatório é considerado um dos maiores. Além de exposto a superfície, ele têm um enorme espaço no subsolo. Sua estrutura é feita com materiais de construção como tijolo, cimento e cal. Todavia, essa cisterna é considerada perigosa, pois não é totalmente fechada e, assim, pode se tornar uma possível fonte do mosquito da dengue.
  • Cisterna de fibra: Assim como a de alvenaria, essa cisterna é um pouco falha em alguns aspectos de proteção, podendo facilitar o surgimento de micro-organismos. Além disso, ia sua instalação é bastante complicada, visto o seu grande peso e a dificuldade de locomoção da sua estrutura.
  • Cisterna de plástico: Além de ser reciclável, o que é uma vantagem e tanto, esse reservatório é leve e de fácil instalação, além de destacar uma estrutura forte e solida. Outro ponto importante é a possibilidade de que seja instalada sem a necessidade de filtros para que a água seja mantida com pureza.

A eficiência da cisterna de plástico é considerada maior, quando comparada a de outros reservatórios. E, um dos principais benefícios e vantagens no seu uso, é o fato de que os seus efeitos de filtragem são instantâneos. O maior cuidado do proprietário é o de manter a higiene periodicamente. Feito isso, dificilmente surgirão problemas em função de qualquer tipo de má estrutura do depósito de água.

Cisterna modular

A cisterna modular – ou cisterna vertical, como é conhecida – tornou-se um método mais acessível para ajudar diferentes tipos de pessoas e segmentos. Isso porque, durante o seu processo de instalação, ela não precisa ser enterrada para que funcione de maneira adequada.

Um ponto importante é que a cisterna modular também é feita de plástico. Dessa forma, é possível fazer a utilização de filtros para a limpeza de água, instalação de torneiras e facilitando o seu descarte após o término do período de uso. Geralmente, essas cisternas têm uma vida útil de cerca de 10 anos.

Importante como a cisterna agrícola, esse reservatório também ganhou bastante notoriedade nas áreas urbanas. Seu uso pode ser feito em construções civis, evitando o uso de água potável para a produção de massas de cimento e outros artifícios. Além disso, a limpeza de carros e lavagem de calçadas também são boas opções para o uso da água acumulada na cisterna vertical.

Ter uma cisterna modular em uma propriedade pode ser importante para evitar gastos e o uso incorreto de água potável. Isso porque, com a ajuda deste reservatório, é possível definir que tipo de água será usado para qual finalidade; evitando desperdícios desnecessárias ou qualquer tipo de gasto abusivo.

Cuidados com a água de cisterna

Mesmo com grandes sistemas de filtragem, as águas obtidas pela cisterna não são boas para o consumo humano; uma vez que o seu consumo pode trazer problemas estomacais e o desenvolvimento de doenças graves.

Se tratando de pequenas propriedades, é muito comum o uso de água das cisternas em descargas de banheiros, por exemplo. Pois, dessa forma, podem ser cortados ou reduzidos os gastos com água potável, sendo possível otimizar a verba existente para diferentes necessidades.

Na agricultura, é necessário atenção ao utilizar a água das cisternas; visto que, por se tratar de água da chuva, o seu uso em alimentos pode torná-los impróprios para o consumo. Isso porque essa água pode propagar doenças entre os seres humanos – já que não é considerada potável.

Cisterna caseira, feita de tijolo e cimento

Cisterna caseira

Além da sua construção manual, feita com cimento e tijolos, a cisterna também pode ser criada em casa com plásticos recicláveis. Assim, o uso do reservatório fica mais acessível a diferentes  públicos, fazendo com que o consumo de água potável diminua ou seja direcionado apenas para finalidades importantes.

O processo de montar o reservatório consiste em furar os canos e torneiras para que seja possível fazer as instalações manualmente. Esse método também permite que sejam instalados filtros para impedir a proliferação de micro-organismos. Entretanto, por ser uma técnica caseira, é importante ficar atento, pois a ocorrência de erros pode abrir margem para a proliferação de bactérias.

Caso os proprietários não consigam os baldes recicláveis, eles também podem usar outros recipientes para obter a água. Todavia, será necessário fazer o seu controle periódico, para evitar futuros transtornos.

O método da cisternas é algo produtivo e que é visto com bons olhos por quem busca o bom aproveitamento da água e a sua economia; pois, além do corte de gastos, regiões que sofrem com as secas podem sobreviver melhor com esse tipo de prática.

Nessas regiões as pessoas podem, inclusive, fazer o uso dessas águas para cozinhar alimentos e tomar banho. E, embora haja perigos para a saúde em fazer o uso dessa água para tais finalidades; em muitos casos não há escolha para a população.

Cisterna feita com cimento e tijolo em um ambiente aberto

Curiosidade sobre a cisterna

  1. A cisterna é uma criação brasileira. Um homem responsável por trabalhos de instalações de piscinas notou que era possível fazer o mesmo processo para manter a água reservada; porém, de modo que fosse utilizada para fins importantes.
  2. A popularização do uso de cisterna aumentou após a crise hídrica que ocorreu no país. Assim, diferentes tipos de investidores foram atrás de técnicas naturais de conseguir água, até o momento que chegaram as cisternas.

O uso da cisterna é importante para direcionar a utilização da água potável e da chuva. Com isso, é possível  cortar gastos e fazer com que a água renda mais; sendo aproveitada de maneira mais útil e em diferentes situações.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo