Clorofila é a substância responsável pela pigmentação verde das plantas

Home » Meio Ambiente » Clorofila é a substância responsável pela pigmentação verde das plantas
21/03/2019 by
Clorofila é a substância responsável pela pigmentação verde das plantas

A clorofila e a sua importância no processo da fotossíntese

A clorofila é encontrada em todos os alimentos de coloração verde. Responsável por dar pigmentação aos organismos, ela é encarregado de permitir o processo de fotossíntese realizado por alguns seres vivos, como algas e plantas.

A pigmentação da clorofila é natural e contempla muitos benefícios. Sendo fonte de muitos nutrientes e minerais, ela auxilia no funcionamento do intestino, além de prevenir algumas doenças e agir como anti inflamatório e antioxidante.

Clorofila: pigmento nas plantas

O que é clorofila?

Clorofila é o nome dado ao pigmento das algas, bactérias e plantas que as fazem ter coloração verde. Ela faz absorção da luz pelas extensões de luz azul, violeta e vermelha, resultando na propagação da luz verde. Então, todas as plantas que possuem clorofila também têm como característica física a cor verde. O centro de seu molécula é caracterizado por conter magnésio.

O termo foi criado pelos cientistas Caventou e Pelletier, no ano de 1818. Foi a partir de um experimento em que colocaram folhas com álcool e observaram que uma substância verde era retirada das plantas.

A produção de alimento através da fotossíntese é permitida e garantida pela clorofila, que captará a luz e dará esta permissão aos organismos classificados como fotossintetizantes. Isso ocorre principalmente pela presença de magnésio em sua estrutura celular. Este composto químico participa diretamente na produção de proteínas, açúcares, vitaminas e lipídios.

Um dos pontos importantes é o fato da clorofila ser fundamental na manutenção do oxigênio no ar. Além disso, sua utilização tem relevância para o mercado comercial, uma vez que ela é usada na confecção de antioxidante e de corantes alimentícios, como em sorvetes, chocolates, queijos, bolachas e bebidas.

Para que serve a clorofila?

Como dito anteriormente, a principal função da clorofila é a de fazer a absorção da energia percebida da luz durante as primeiras fases do processo de fotossíntese. Essa energia será transformada em energia química, resultando na produção de carboidratos durante todo o processo.

Tipos de clorofila

Clorofila: coloração verde nas plantas

Por estar presente em diversos organismos vivos, a clorofila apresenta-se de maneiras variadas e com características diferentes. Sendo assim, os principais tipos de clorofila são:

  • Clorofila A: é encontrada nas cianobactérias e em todos os organismos eucariontes que realizam a produção de alimentos através da fotossíntese. É formada por magnésio, nitrogênio e hidrocarbonetos. Corresponde a 75% do pigmento presente nos vegetais.
  • Clorofila B: é encontrada nas plantas, algas euglenófitas (algas unicelulares) e nas algas verdes. Atual sobre o processo de fotossíntese como uma espécie de pigmento secundário, permitindo que a faixa de luz seja ampliada durante o processo.
  • Clorofila C: é encontrada nas algas diatomáceas e nas algas pardas. Age como uma substituição para a clorofila B.
  • Bacterioclorofila: é encontrada nas bactérias púrpuras.
  • Clorofila chlorobium: é encontrada nas bactérias verdes sulfurosas.

Pigmentos vegetais

A clorofila se encaixa como um dos tipos de pigmentos vegetais, isso faz com que suas características sejam aproveitadas na produção de corantes naturais.

Quando utilizada como corante alimentício, a clorofila apresenta como característica sua ação antioxidante, agindo como protetora de células sadias. É muito optada pois não contém aditivos químicos.

Os aditivos químicos encontrado em corantes artificiais tem feito com que muitos órgãos de saúde de países questionem suas utilizações e seus efeitos nocivos. Por isso, muitos lugares e organizações já estão optando pela substituição aos corantes naturais, principalmente por trazerem inúmeros benefícios.

Clorofila na alimentação

Sempre que há o consumo de vegetais verdes, há, instantaneamente, a ingestão de clorofila, por isso há quem diga que quanto mais verde, mas clorofila contém.

Os alimentos que possuem alta concentração são:

  • Brócolis;
  • Couve;
  • Espinafre;
  • Salsa;
  • Cheiro verde;
  • Acelga;
  • Rúcula;
  • Agrião;
  • Chlorella;
  • Spirulina.

Sendo os dois últimos os alimentos com maiores concentrações de clorofila. Chlorella contém 280 mg da substância e spirulina, 115 mg.

O ideal é que estes alimentos sejam consumidos in natura, pois o processo de desidratação e de cozimento alteram a estrutura da clorofila. Por exemplo, sopas instantâneas e alimentos secos concentram pouca quantidade da substância.

Sempre que ela é submetida à altas temperaturas sua concentração diminui. Isso resulta na mudança de cor esverdeada para cores mais amareladas. O recomendado é que, ao serem cozidos, coloque-se bicarbonato de sódio misturado aos alimentos no momento de preparo.

Clorofila: suco e limentos verdes

Há também o uso de clorofila líquida, preparada de forma diluída em diferentes sucos. O suco de clorofila é rico em fibras e aumenta a sensação de saciedade, servindo como auxílio em algumas dietas. As fibras encontradas nele  ajudam no controle do colesterol alto e no combate à doenças, como a diabete. Além disso, o suco é favorável para a digestão e para o regulamento intestinal.

As folhas esverdeadas são ricas em enzimas, vitaminas (ácido fólico e vitamina A, por exemplo), carotenóides e minerais. Estes nutrientes auxiliam no bom funcionamento do sistema imunológico, na saúde da pele, ossos, mucosa, músculos e visão.

Benefícios da clorofila

A clorofila é fonte de antioxidantes e de vitaminas A, C e E. São grandes suas contribuições para a saúde do corpo, além de aumentar e melhorar a oxigenação e dar os nutrientes necessários para as células.

Um dos principais benefícios é o fato dela ser ótima para o sangue. Por conter alta concentração de fibras, ela age em controle dos níveis de açúcar presente no sangue. Isso acaba por auxiliar na prevenção e controle de diabetes. Sua contribuição para regular os níveis de gordura também é essencial, ajudando na prevenção do colesterol alto. Além disso, a quantidade de ferro presente nela evita doenças como a anemia, por exemplo.

A substância também é benéfica por melhorar o regulamento intestinal, fortalecer o sistema imunológico, prevenir doenças, combater o mau hálito, desintoxicar o organismo, purificar o fígado e fortalecer músculos e ossos.

Além disso, a clorofila age como anti inflamatório totalmente natural, combatendo todos os danos oxidativos. O magnésio presente nela é altamente importante para o sistema nervoso, contribui diretamente para a saúde cerebral.

Recomendações de uso

Por ser altamente natural e benéfico, a clorofila admite poucas contraindicações. Especialistas recomendam que seu uso seja dosado e moderado para consumo, uma vez que a ingestão excessiva pode ocasionar na eliminação de toxinas, resultando em quadros de diarreias e vômitos, por exemplo.

Pessoas que sofrem de insuficiência renal também devem evitar seu consumo, pois há chances de que a substância seja nociva ao processo de filtração e remoção de fluídos no organismo.

Curiosidades sobre a clorofila

A clorofila muitas vezes funciona como uma máscara que cobre outras cores presentes nos organismos. Então, toda vez que sua concentração é diminuída, outras colorações começam a aparecer, alterando as características físicas das plantas.

Essa mudança ocorre principalmente no inverno e no outono, os pigmentos da clorofila não aumentam e tendem a diminuir, por isso as cores sofrem mudanças e alterações em suas cores.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo