Corujinha do mato atinge até 34cm de comprimento e habita vários locais

Inicio » Meio Ambiente » Corujinha do mato atinge até 34cm de comprimento e habita vários locais
10/10/2020 Por
Corujinha do mato atinge até 34cm de comprimento e habita vários locais

Corujinha do mato é comum no Brasil. Extremamente atenta, a corujinha do mato é uma espécie de coruja muito inteligente e facilmente avistada em território brasileiro. É um animal de hábitos peculiares e muito particulares, tendo seu momento favorito para caça.

A corujinha do mato é, também, considerada uma ave de rapina por conta da sua grande agilidade e precisão para caça e locomoção. Para conhecer mais sobre esse animal, acompanhe o artigo que preparamos.

Corujinha do mato

O que é corujinha do mato?

Corujinha do mato é uma ave entre os tipos de coruja. Seu nome científico é Megascops choliba e ela faz parte das aves Strigiformes, da família Strigidae.

Não deve ser confundida com a Strix virgata, que é a popular coruja do mato.

É uma ave que possui hábitos estritamente noturnos e prefere ficar escondida em grande parte do dia. Mesmo quando próximo a uma coruja dessa espécie, é possível ouvir o seu canto, mas quase impossível de localizá-la.

A sua difícil localização também se dá pelo fato de saber se camuflar muito bem, logo, pode ser facilmente confundida com um tronco de árvore e, dessa forma, passar despercebida pelos olhos de humanos e demais predadores.

A corujinha do mato é uma das espécies de coruja que são treinadas como aves de rapina e se saem muito bem nesse esporte, afinal, possuem uma visão extremamente aguçada e uma precisão incrível em suas garras. Sem dúvidas, são encantadoras e únicas!

Características da corujinha do mato

A corujinha do mato é uma ave tecnicamente pequena, chegando a pesar 160 gramas e, de altura, atinge o tamanho de 34 centímetros, aproximadamente. Suas características físicas são muito peculiares quando comparadas com outras corujas.

Afinal, ao lado de sua cabeça, a corujinha do mato possui algumas penas que dão o formato de orelhas, dando a impressão de que possuem orelhas mais visíveis do que as demais corujas. Os seus olhos são de cor amarela, enquanto a sua face é cinza e possui um notável contorno preto.

Uma das maiores características dessa coruja são os rajados de cinza que ela possui no peito. No dorso, possui uma coloração de cinza amarronzado, além de conter desenhos de bolas e rajas escurecidas.

Entretanto, quando filhotes, as corujinhas do mato não possuem algumas dessas características, como as penas em formato de orelha e nem mesmo os riscos escuros. Dependendo da coruja, algumas podem ter uma coloração alaranjada, como se fosse uma ferrugem.

Corujinha do mato

Habitat da corujinha do mato

Os locais de maior avistamento da corujinha do mato, depois do território brasileiro, são a Costa Rica e o norte da Argentina.

Em todos os lugares que habita, a corujinha do mato gosta de viver em ambientes selvagens, como as savanas, por exemplo. Além disso, adora viver em bordas de matas e áreas semiabertas.

Nas cidades, em zonas urbanas, é possível avistar essa coruja passeando por parques à noite. Essa coruja se adapta muito bem às zonas urbanas, desde que haja árvores e demais arquétipos de natureza.

Além disso, também podem ser avistadas em algumas residências em busca de presas. Sem dúvida, os cerrados também são uma grande área de avistamento.

Alimentação da corujinha do mato

A corujinha adora se alimentar de:

  • Insetos: gafanhotos, mariposas, escorpiões e aranhas;
  • Pequenos roedores: camundongos.

Os morcegos, mesmo fazendo parte do paladar dessa ave, não são caçados com tanta frequência, já que os roedores e insetos são encontrados em muito mais abundância.

Essa ave possui uma visão muito aguçada, chegando a ser em torno de 8 vezes mais nítida do que a visão saudável de um ser humano adulto. A sua audição é extremamente apurada, o que faz com que a caça não seja nada difícil para ela.

Filhotes de corujinha do mato

Como a maioria esmagadora das corujas, a corujinha do mato também não faz o seu ninho. Ela, na verdade, acaba utilizando o ninho dos pica-paus que são abandonados. A incubação de seus ovos ocorre em um período de 30 dias e são postos até 3 ovos.

A partir do 6º dia de vida, os filhotes já começam a abrir os olhos e as primeiras penas começam a surgir. A partir do 9º dia de vida, já é perfeitamente possível descobrir qual vai ser a coloração das penas.

Depois do 15º dia de vida, a fêmea para de transmitir o calor corpóreo para os filhotes, mas fica sempre por perto do ninho para que eles sejam devidamente vigiados caso precisem de algo. Caso não seja possível ficar ao lado do ninho, a fêmea se esconde em meio às árvores e fica observando.

A partir do 30º dia de vida, os filhotes já se tornam corujas independentes. Quando percebem algum intruso próximo ao seu ninho ou se sente em perigo de alguma forma, as corujas mais jovens acabam se fingindo de mortas.

Caso, mesmo se fingindo de mortas, acabem sendo carregadas do ninho, entram em luta corporal utilizando o bico afiado e as suas garras fortes e, quem sabe, até mais afiadas do que o bico.

Corujinha do mato

Aves de rapina

Devido à sua agilidade, inteligência e forte percepção para o ambiente ao seu redor, a corujinha do Mato se tornou uma exemplar ave de rapina, sendo uma das mais procuradas para realizar o treino.

Além disso, a rapina tem uma ótima vantagem de fortalecer a disciplina do animal e, também, prepará-lo mais ainda para futuros imprevistos, já que aguça ainda mais o seu olfato, audição, visão e demais sentidos.

Além disso, as corujas são ótimas aves de rapina, pois possuem todas as características de uma. Afinal, não é toda ave que pode ser categorizada como uma ave de rapina já que, para isso, é preciso ter uma visão extremamente nítida e uma audição impecável.

Também é preciso ter a estrutura corporal adequada para o esporte, indo desde o tamanho, peso, formato do tronco e das asas, entre outras características.

De qualquer forma, a corujinha do mato impressiona a todos com a sua grande inteligência, que contrasta muito com o seu nome, já que faz as pessoas imaginarem um animal frágil e dependente. Ao contrário disso, essa coruja é extremamente independente e com um enorme senso de sobrevivência.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo