Cromossomos geram as características individuais dos seres

Inicio » Veterinária » Cromossomos geram as características individuais dos seres
02/07/2019 Por
Cromossomos geram as características individuais dos seres

As importantes funções dos cromossomos e de que maneira eles influenciam as características dos seres

Os cromossomos são os elementos que se responsabilizam por levar informações necessárias para os fragmentos celulares. Só assim são capazes de crescer, desenvolver e se reproduzir. Situados na parte interna do núcleo, têm constituída pelo DNA, em padrão específico, e denominam-se genes. Características físicas como a coloração dos olhos, a altura e demais, são de caráter hereditário e participam do código de DNA.

De modo geral, os cromossomos estão disponíveis em pares. Porém, não é sempre que têm visibilidade desse modo, ainda mais quando estão dispostos em descondensação e desprendidos em relação à cromatina. Porém, não retornam a condensação e enrolação em ato de reprodução da célula. Neste momento, eles são vistos de dois em dois.

Em relação ao código genético que possuímos, existem 46 cromossomos e 23 pares. Mas é imprescindível ter em mente que a quantidade de o que são cromossomos não tem relação com o grau de inteligência ou o grau de complexidade do indivíduo, visto que existem criaturas que apresentam mais cromossomos que os humanos.

Cromossomos

Grande parte dos elementos celulares humanos estão disponíveis em pares. Portanto, são denominados diploides. Existem também os elementos celulares haploides, que apresentam somente 50% do quantitativo de cromossomos e, de modo geral, estão disponíveis nos elementos celulares germinativos feminino e masculino. É por meio dos elementos celulares haploides que acontece a meiose.

Tipos de cromossomos

Estes elementos têm classificação, conforme o posicionamento de centrômeros. Eles são separados da seguinte maneira:

  • metacêntrico – ambos os braços dos cromossomos têm o tamanho igual, porque o centrômero permanece em posicionamento mediano;
  • acrocêntrico – o centrômero se localiza mais perto de uma das extremidades e, em razão disso, um dos braços permanece em tamanho maior que o outro;
  • telocêntrico – o centrômero tem posicionamento em extremidades, sendo que o cromossomo tem um braço somente;
  • submetacêntrico – este centrômero permanece um tanto em deslocamento da área mediana e gião mediana e os
    braços ficam em tamanhos diferentes.

A estrutura dos cromossomos

De forma estrutural, estes elementos apresentam unidade de estrutura filamentosa do DNA em formato de espiral, e portanto, tem envolvimento por um tipo proteico. É possível fazer o destaque dos fragmentos do cromossomo:

  • cromômeros – na sua extensão toda, a cromatina é capaz de apresentar engrossamento irregular com tipos de granulações chamadas de cromômeros;
  • cromatídeos – é o produto da divisão longitudinal destes elementos em período do processo de divisão das células;
  • centrômero – constrição primária que faz a divisão do cromossomo em 2 braços e atua permitindo a movimentação ao longo do período em que a célula se divide;
  • satélite – trata-se da porção final dos materiais cromossômicos; surge separadamente por uma segunda constrição;
  • zona SAT – área que tem relação com a composição de nucléolo ao longo de telófase;

DNA e Cromossomos

São as sequências do DNA que compõem os cromossomos. Um organismo apresenta número diferenciado destes elementos, como já mencionado anteriormente. O gene é o fragmento funcional em relação ao DNA. Em situação de genoma humano, somente 3% é composto pelos genes. O restante é somente agrupamento das proteínas que não compõem nenhum tipo de informação.

O DNA ou Ácido Desoxirribonucleico é um elemento molecular que se presencia na região nuclear dos elementos celulares de todos os seres e carrega a informação completa da genético de um ser. Ele tem composição por um tipo de fita dupla em formato espiral, em que há, portanto, a formação de nucleotídeos.

Estes genes, por isso, correspondem a sequências de centenas ou até milhares de pares que disponibilizam os informações básicos para a produtividade de todos os elementos proteicos que o organismo necessita ter produção.

Cromossomos

Cromossomos Homólogos

Os cromossomos homólogos se caracterizam por pares que são de herança paterna e materna. Eles possuem informativos genéticos que se assemelham, de mesmo modo que a estrutura, localização dos genes, quantidade e comprimento são similares. Outro ponto característico é que não têm encontro em elementos celulares diploides. Ainda que semelhantes têm origem de alelos diferenciados. Estes genes preenchem o lócus gênico semelhante e têm relação à características determinadas dos seres vivos.

Cromossomos Autossomos

Em relação aos elementos celulares somáticos humanos, de modo geral, há 23 pares destes. Dentre eles, é possível contabilizar que 22 caracterizam-se autossomos e se assemelham para homens e mulheres. O vigésimo terceiro par corresponde ao cromossomo sexual que faz a definição sexual de um novo ser.

Estes cromossomos autossomos não apresentam, portanto, características que predominam em relação ao sexo. Contudo, têm influência em relação ao desenvolvimento e crescimento celular em relação à vida toda deste ser.

Cromossomos humanos

Os seres humanos são compostos pelo quantitativo de 23 cromossomos de herança dos pais, como mencionado. Desde 46, caracterizam-se autossomos a quantidade de 44. São aqueles que, portanto, encontram-se em todos os elementos celulares somáticos e tem relação a características comuns aos sexos masculino e feminino. Os outros restantes são sexuais – X para mulher e Y para homem.

Em relação a todos estes fragmentos, dizemos que se caracterizam homólogos e estão relacionados aos genes alelos, que fazem a determinação de critérios físicos.

A célula que se divide

Em relação à divisão da célula, a região do núcleo e os demais cromossomos acabam passando por alterações de grande nível. Essa preparação para que a célula se divida inicia com o processo de condensação dos cromossomos. Eles então, enrolam-se em cima um dos outros, transformando-se de forma progressiva em fragmentos mais grossos e curtos, até que assumam a aparência de um bastão compacto, cada um.

Cromossomos

Constrições de cromossomos

Ao longo do período em que acontece a condensação cromossômica, as áreas eucromáticas acabam se enrolando de maneira mais frouxa do que as áreas heterocromáticas que têm condensação ainda em período de interfase.

Em relação aos cromossomos, os elementos de heterocromatinas surgem nas áreas dos “nós” de bastão do cromossomo, em razão desse alto nível do empacotamento. Isso é chamado de constrições. Portanto, estes elementos são importantes para fazer a identificação de diagnósticos e prevenir inúmeras doenças que podem ser passadas hereditariamente, pela própria família.  Eles fazem a definição de todas as características que um ser vivo adquire.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo