Peixe dourado movimenta a piscicultura e a pesca esportiva

Inicio » Pecuária » Peixe dourado movimenta a piscicultura e a pesca esportiva
03/06/2019 Por
Peixe dourado movimenta a piscicultura e a pesca esportiva

O peixe dourado é bastante conhecido no Brasil e está presente em muitos estados

O peixe dourado é nativo de água doce e se desenvolve com facilidade em águas quentes – como é o caso de muitas outras espécies. Ele é muito procurado e apreciado na pesca esportiva por conta do desafio que é fisgá-lo. Existem algumas agências de turismo que levam pescadores para a bacia do Paraná com os equipamentos necessários para a pesca do animal. Sendo assim, a espécie também gera economia em outros campos além da piscicultura.

O consumo do peixe dourado é muito comum no Nordeste brasileiro e o prato pode ser preparado de diversas formas. A carne do animal é branca e gordurosa, além de muito saborosa. A criação desta espécie é muito comum nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, também conhecidos como locais favoráveis para a pesca por conta da abundância de cardumes.

Alevino de peixe dourado

Características do peixe dourado

O peixe dourado também é conhecido também como piraju ou pirajuba. Esta espécie é nativa de água doce, e está presente no Brasil e outros países da América do Sul. Os locais em que é possível encontrar o peixe no país estão divididos entre as bacias do Paraná, do São Francisco, Rio Doce, Paraíba do Sul; além de estados como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Bahia, Alagoas, Sergipe, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Paraná e Rio Grande do Sul.

Esta espécie costuma nadar em cardumes e, por isso, a sua pesca é visada por pescadores comerciais e esportivos de todo o país. A expectativa de vida da espécie é de 15 anos, em condições de alimentação e habitat saudáveis.

O seu crescimento é acelerado e, por isso, é uma espécie muito procurada para criação em aquários. Em apenas um ano o dourado consegue atingir um peso de mais de 2 quilos. No caso das fêmeas, no entanto, quando em período de engorda, podem passar dos 20 quilos.

O dimorfismo sexual (a diferença de aparência entre macho e fêmea) não é tão evidente que em outras espécies. As fêmeas maduras costumam ser maiores e de formato roliço; enquanto os machos são mais magros e apresentam um formato retilíneo.

Entre as suas características principais, a espécie tem  uma coloração amarelada, com a presença de listras pretas em sua lateral. As suas barbatanas são alaranjadas e a sua cauda destaca um risco preto no meio.

Uma curiosidade sobre a espécie é a sua capacidade de enxergar. Segundo pesquisas, o dourado contém quatro receptores para a percepção de cores, um a mais que os seres humanos. Por isso, eles são capazes de enxergar luzes ultravioletas.

Desta forma, é comum que a espécie se oriente exclusivamente de forma visual; além de ter hábitos noturnos por conta da visão aguçada.

Criação do peixe dourado

O dourado, também conhecido em muitos locais como “rei do rio“, é um dos maiores predadores de escama de água doce e, por conta da sua anatomia, a uma espécie bastante veloz. Ele pode medir até 1 metro e pesar mais de 20 quilos, portanto, o aquário de criação deve ser extenso para que ele consiga se desenvolver.

Da mesma forma, é importante selecionar os outros peixes do aquário com cautela; tendo em vista que o dourado é de caráter carnívoro e predatório. Escolher peixes maiores é o ideal para afastar a possibilidade canibalismo.

Peixes de espécie dourado

A espécie apresenta um melhor desenvolvimento em águas de temperatura elevada, assim como é comum em diversas áreas do Brasil. Entretanto, ela também é presente em águas frias.

Em uma criação em cativeiro o tanque deve ser de 5 mil até 10 mil metros quadrados. Quanto a profundidade, é recomendado de 2 metros até 2,5 metros. A quantidade de peixes varia de acordo com o local e o nível de desenvolvimento esperado.

Se os alevinos estão pesando entre 15 gramas e 250 gramas, a proporção é de 10 a 20 unidades em 10 metros quadrados. Assim que passam dos 2 quilos, a proporção desce para 2 até 3 peixes no mesmo espaço.

A reprodução do peixe dourado

O período reprodutivo acontece entre a primavera e o início do verão. Nesta época, a espécie é capaz de percorrer 15 quilômetros por dia como forma de espalhar os futuros alevinos. Eles não podem permanecer com os pais ou mesmo o restante da prole, pois costumam praticar o canibalismo.

A reprodução ocorre no momento em que as fêmeas expelem os óvulos e os machos, os espermas. Desta forma, para que a reprodução aconteça, eles nadam lado a lado. Em criadouros, é comum que os aquicultores realizem a reprodução por meio de fertilização artificial.

Além de garantir alevinos puros e com maior qualidade, é possível iniciar criações desde o zero e com o controle de população. A venda, tanto para criação em aquário como para consumo humano é bastante valorizada e de grande custo benefício; quanto maior for o cuidado com os animais, maior o lucro.

Um fato negativo para que este processo aconteça está relacionado com áreas de cardumes próximas a hidrelétricas. As grandes estruturas impedem que os animais avancem e, portanto, iniciem o ciclo de reprodução. Dessa forma, a maior quantidade de cardumes acaba concentrada nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Alimentação do peixe dourado

Este peixe é carnívoro e, em seu habitat natural, pode consumir desde peixes pequenos até pequenas aves. Em sua dieta alimentar, quando na natureza, o sabalo é o seu prato favorito – um peixe pequeno e que pode pesar até 4 quilos.

A espécie apresenta estratégias avançadas de caça, incluindo a elaboração de emboscadas para as presas por conta da sua grande velocidade. Desta forma, é comum observar a sua atividade predatória em correntezas.

Uma vez em cativeiros, é importante que o produtor tenha cuidado com as outras espécies no mesmo local de criação. O dourado é de caráter predador e pode se alimentar de peixes menores, e até mesmo dos seus próprios alevinos.

A ração ideal para esta espécie inclui  milho, farelo de soja, farinha de carne, ovos, farinha de víscera de aves, farelo de trigo, assim como complexos vitamínicos e minerais. A quantidade de proteínas, de forma geral, deve ser de 40% até 50% da sua alimentação total. Uma prole inicial pode começar com quatro refeições diárias e, com o passar do tempo, pode abaixar para três. Ao atingir a maturidade, esse número pode ser de até duas refeições por dia.

Vantagens e desvantagens da criação do peixe dourado

A principal vantagem dos produtores de dourado é o seu rápido crescimento e desenvolvimento no período da engorda. Os machos podem atingir cinco quilos em pouco tempo, enquanto as fêmeas passam dos 20 quilos com facilidade. A espécie é capaz de atingir maturidade em menos de um ano, quando chegam a cerca de dois quilos.

Além disso, é ele muito procurado em locais de prática de pesca esportiva, pelo desafio que é fisgá-lo. Outro ponto de destaque é o comércio voltado para aquários ornamentais em espelhos d’água, por conta da beleza do animal.

Por outro lado, a principal desvantagem é o custo inicial. A produção demanda equipamentos específicos e gera gastos com instalações de tanques profundos, assim como outros equipamentos que piscicultura demanda; como, por exemplo, redes, puçás e balanças.

A pesca do peixe dourado

A pesca desta espécie de peixe é muito procurada, entretanto, difícil de ser realizada. O cardume está presente em muitas regiões litorâneas do país e em alguns locais da América do Sul. O uso de isca artificial não é muito adequado para esta espécie; e, geralmente, são utilizadas sardinhas e pedaços de aves pequenas no anzol.

Outro ponto importante diz respeito ao momento em que ele é fisgado. O peixe quase sempre consegue se soltar, pois a sua boca é muito dura e, por isso, a ponta do anzol não penetra com facilidade. A espécie tem dentes afiados e em grande quantidade; e também é bastante agressiva na natureza, além de perigosa quando em cardumes populosos.

O peixe dourado pode viver até 15 anos

A pesca esportiva deste peixe é muito comum em todo o país. A espécie é famosa pela sua braveza e dificuldade de pesca. Ele esta presente em águas de rápido movimento, como correntezas e cachoeiras, do mesmo modo que também aprecia águas calmas; como as de barrancos e galhadas no meio de rios. O dourado faz parte da mesma ordem de peixes que a piranha, o lambari, o pacu e a traíra, entre outras espécies sul-americanas.

A espécie é tão popular no país que existem pacotes de viagens turísticas especializados em oferecer aos pecadores a oportunidade de fisgar o dourado. A maior parte das empresas está localizada no Rio Paraná, local que é considerado uma das maiores concentrações da espécie.

Entretanto, para a sua pesca é preciso ter cautela. Isso porque o peixe é de caráter agressivo e pode atacar quando fisgado de maneira incorreta. Em alguns locais do país a sua pesca é proibida como, por exemplo, no Rio Grande do Sul, no Mato Grosso e em algumas cidades do Mato Grosso do Sul; como Porto Mourtinho.

O dourado na culinária

O peixe dourado é muito conhecido na culinária brasileira. Ele pode ser preparado de diversas formas, aparecendo em receitas que vão desde os grelhados até os ensopados. O pescado é muito saboroso e a sua carne branca é de um caráter escamoso.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo