Escoamento da água e as suas consequências para a agricultura

Inicio » Agricultura » Escoamento da água e as suas consequências para a agricultura
01/03/2019 Por
Escoamento da água e as suas consequências para a agricultura

Também conhecido como escorrência, o escoamento é provocado pelo acúmulo de água no solo ou em aquíferos

Muito tratado em noticiários, o escoamento da água é crucial para evitar inundações e enchentes em centros urbanos.

Mas e na agricultura, quais são as consequências do escoamento ou da falta dele?

Escoamento acontece quando a água da chuva não é absorvida pelo solo

O que é o escoamento da água?

Escoamento da água é o movimento da água pela superfície terrestre quando o solo atinge o seu limite de absorção. Com origem nas precipitações, acontece quando parte da água se infiltra no solo e o restante escoa pela superfície por causa da gravidade.

A quantidade de água que escoa depende da intensidade da chuva e também da capacidade de infiltração e evaporação do solo.

Durante o escoamento, a água sempre se desloca em direção a regiões de maior declive. Ou seja, se movimenta de um local mais alto para outro que está mais baixo. Seguindo o fluxo natural, deve desembocar em rios e oceanos.

O escoamento pode acontecer de três formas distintas. Conheça a seguir cada uma delas.

  • Superficial: também chamado de escoamento externo, acontece quando a superfície do solo está saturada de umidade.
  • Sub-superficial: acontece em camadas superiores do solo.
  • Subterrâneo: ocorre quando a água dos aquíferos se acumula, garantindo a alimentação do curso de água durante períodos de estiagem.

Diferença entre escoamento e infiltração

Enquanto a água da infiltração penetra no solo, no caso do escoamento ela é levada de um lugar para outro pela superfície terrestre.

Consequências e soluções para o escoamento da água nos cultivos

Uma das mais graves consequências do escoamento da água para a agricultura são as erosões provocadas pela falta de absorção do solo. E, consequentemente, a infertilidade de áreas produtivas.

Mas é um problema que pode ser combatido com base em estudos da hidrologia ou adoção de determinadas técnicas de cultivo. Algumas ajudam a diminuir a velocidade de escoamento e a erosão do solo, como plantações em degraus ou alternadas.

Plantações em degraus

Plantações em degraus, também chamadas de curvas de nível, são realizadas quando as plantas são dispostas no sentido do fluxo da água e em diferentes altitudes do terreno. Um método fundamental para áreas íngremes e que protege o solo de erosões e deslizamentos. Dois problemas que afetam o potencial de produção agrícola, visto que quando a água escorre leva consigo todo o potencial produtivo do solo.

Durante o escoamento, fluxo da água deve seguir rumo a rios e oceanos

Plantações alternadas

Já as alternadas favorecem a criação de uma cobertura protetora no solo. Isso pode ser feito a partir do cultivo de plantas diferentes em períodos alternados em um mesmo terreno.

Em outras palavras, curvas de nível e plantações alternadas são soluções que facilitam a infiltração da água na terra.

A importância da drenagem do solo como solução

É chamado de drenagem o processo de remoção do excesso de água no solo. Com a inserção de drenos, o excesso de água que encharca ou até mesmo alaga terrenos agrícolas pode ser retirada.

O escoamento pode ser feito por meio de canais, tubos, túneis ou valas. Além disso, ainda podem ser usados motores para facilitar a drenagem.

Tags: ,
Agro20 | Portal Vida No Campo