Irrigação por aspersão e o desenvolvimento do método no Brasil

Inicio » Agricultura » Irrigação por aspersão e o desenvolvimento do método no Brasil
24/05/2019 Por
Irrigação por aspersão e o desenvolvimento do método no Brasil

As possibilidades proporcionadas pela irrigação por aspersão

A irrigação por aspersão, tanto no sistema convencional quanto no pivô central e no autopropelido, engloba a maior concentração do percentual da área irrigada em terras altas. Empresários agrícolas e produtores são os que mais fazem uso da técnica. Isso porque eles apostam intensamente em eficientes tecnologia, mesmo que a aplicação exija custos altos inicialmente.

O método de irrigação por aspersão é um dos mais populares em todo o mundo. Isso porque ele é de grande flexibilidade e o seu uso é possibilitado em diversas culturas. No Brasil, por exemplo, há cerca de 700 mil hectares de áreas sendo irrigadas por este sistema, que vem se expandindo ano após ano.

Tipos de irrigação por aspersão

O que é irrigação por aspersão?

O sistema de irrigação por aspersão consiste em aplicar a água no solo de forma semelhante à chuva, de modo uniforme e intenso. O objetivo é que ocorra a infiltração de toda a água sem que haja escoamento superficial.

Características da irrigação por aspersão

Este é um dos tipos de irrigação que tem maior facilidade de adaptação a qualquer tipo de solo, relacionado à estrutura e a textura. Os solos possuem texturas capazes de absorver a água com alta velocidade, permitindo o uso de aspersores com maior intensidade de utilização. Isso gera um tempo menor de irrigação por posição e menor área irrigação, também por posição.

Dessa forma, diminui-se a quantidade de equipamentos necessários e baixa o custo de implantação. No entanto, esta irrigação exige uma maior utilização de mão de obra. De certo modo, esse método também pode ser aplicado em terraços, encosta e terrenos planos. Entretanto, áreas com muitas inclinações acabam dificultando o uso dessa aplicação.

A umidade relativa do ar, a temperatura e o vento acabam por exercer muita influência na distribuição de água. E um detalhe importante é que este sistema por aspersão costuma adaptar-se a maioria dos tipos de culturas.

Tipos de irrigação por aspersão

Os tipos de irrigação por aspersão podem ser divididos em:

  • Convencional;
  • Autopropelido;
  • Pivô central.

O tipo convencional dessa irrigação consiste em uma sistema básico. Ele pode ser classificado em portáteis, semi portáteis e fixos, isso varia de acordo com o grau de movimentação em campo. Os medidores de pressão são fundamentais para que o sistema funciona com eficiência e excelência. Geralmente, são aplicados para a irrigação de áreas pequenas.

Irrigação por aspersão em diversas culturas

irrigação por aspersão autopropelido é movimentada por energia hidráulica. Ele possui um aspersor tipo canhão, que é posto sobre uma plataforma, além de uma mangueira com alta pressão – aproximadamente 500 metros. Geralmente, são aplicados em áreas irrigadas de médio tamanho.

Já a irrigação por aspersão pivô central consiste em um sistema de movimentação circular. Ele é movido a diesel ou a energia elétrica. Além disso, tem uma linha lateral de aspersores presos por torres compostas por várias rodas. Essas torres locomovem-se de modo independente, pois possuem motores individuais e exclusivos.

Vantagens da irrigação por aspersão

As principais vantagens desse tipo de irrigação são:

  • Não exige um método de sistematização do terreno ou área;
  • Não há perda de área;
  • Tem maior disponibilidade de grande área cultivável;
  • Não possui limitação em relação ao horário de aplicação;
  • Não resulta em problemas de erosão do solo.

Além disso, a irrigação por aspersão não interfere nas práticas agrícolas. Isso porque, em alguns sistemas, os acessórios proporcionam maior facilidade na hora de montar e desmontar os equipamentos.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo