Erosão do solo e o seu impacto nas produções agrícolas

Inicio » Meio Ambiente » Erosão do solo e o seu impacto nas produções agrícolas
11/04/2019 Por
Erosão do solo e o seu impacto nas produções agrícolas

A erosão do solo e as suas consequências para o agronegócio

Quando ocorrem agravamentos e modificações de processos naturais, os efeitos da erosão do solo estão propensos a serem mais profundos e destrutivos.

Conhecida como a principal causa da erosão do solo, as chuvas, ao atingir o solo de maneira constante, provoca deslizamentos, infiltrações e mudanças na consistência do campo, causando o deslocamento da terra. O vento e as mudanças climáticas, no entanto, também influenciam para que aconteça a erosão.

Erosão do solo

O que é erosão de solo?

Erosão do solo é o processo de desgaste, deslocamento, transporte e sedimentação da terra ou de rochas de uma superfície. É um evento que pode ocorrer por conta de fenômenos da natureza ou pela influência dos seres humanos. As chuvas; o desgaste natural das rochas; a erosão pelo mar e as ondas; as inundações no local; e a raspagem causada pelo vento são, portanto, alguns dos agentes responsáveis pela erosão.

Tipos de erosão

A erosão do solo pode ser dividida em diferentes tipos, e cada um deles acarreta consequências e impactos variados. A água é, geralmente, a principal responsável por esse tipo de erosão, conforme é possível entender a seguir:

Erosão pela água

  • erosão pluvial: é a erosão causada pela água da chuva. Em áreas onde o terreno tem menor proteção de vegetação e elementos, os efeitos da ação da água podem ser mais intensos.
  • erosão em splash: é o efeito gerado pelo impacto das gotas de chuva sob o solo;
  • ravinas: se dá quando a água das chuvas abre cavidades maiores nos declives do terreno;
  • erosão laminar: é quando o escoamento superficial da água da chuva leva o solo e retira sua cobertura, causando, assim, o desgaste;
  • erosão em sulcos: quando o escoamento da água sobre o solo intensifica tanto seu desgaste que se forma uma linha de corte nos terrenos. É conhecida como o princípio para a formação de erosões mais graves em áreas de declive;
  • erosão fluvial: é quando ocorre um desgaste no solo por conta de avanços nas beiras dos rios e pela falta de proteção vegetal ao redor;

Erosão causada por outros elementos da natureza

  • voçoroca: é a junção de diversos tipos de erosão que podem ocasionar crateras e, consequentemente, atingir o lençol freático e a estrutura do chão;
  • erosão marinha: acontece quando as rochas ou o solo estão desgastados pela água das ondas do mar. Quando residências e estradas são construídas nessas áreas de oscilação, podem estar mais sujeitas ao desgaste;
  • erosão eólica: como é causada pela força dos ventos, que acabam construindo, com o tempo, rochas fragmentadas do solo;
  • erosão glacial: causada pela ação do gelo, neves e geleiras. Ocorre, portanto, por conta das variações de temperatura que congelam e descongelam a água, afetando as rochas e solos;
  • erosão por gravidade: ocorre em áreas montanhosas e de declives acentuados; é um fenômeno que pode ser intensificado pela saturação do solo pela água das chuvas;
  • erosão geológica: mais conhecida como erosão natural, tem uma combinação de vários outros tipos de ações erosivas.

Erosão do solo

Como evitar a erosão do solo

É recomendado utilizar a menor quantidade de máquinas possível para evitar qualquer descompactação do solo. Além disso, é indicado fazer uso do plantio direto, tendo em vista que, com ele, se evita o uso abundante de agroquímicos (um dos maiores influenciadores da erosão).

Uma boa irrigação é importante para nutrição e a manutenção do solo. Por isso, deve ser feita a drenagem para evitar que se estoque água em um só lugar. E também para impedir que ocorra a erosão por encharcamento.
A erosão do solo pode ser evitada se havendo educação ambiental e consciência individual. Isso porque ter a consciência de não retirar coberturas e vegetais do solo sem necessidade e priorizar o planejamento correto de construções como rodovias, túneis, prédios e hidrelétricas são boas maneiras de evitar o deslocamento da terra. Além disso, o monitoramento constante das mudanças do solo e cuidado como o do reflorestamento de áreas devastadas também ajudam na preservação do solo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo