Irrigação por gotejamento: conheça as vantagens e desvantagens do método preferido dos agricultores

Inicio » Agricultura » Irrigação por gotejamento: conheça as vantagens e desvantagens do método preferido dos agricultores
28/02/2019 Por
Irrigação por gotejamento: conheça as vantagens e desvantagens do método preferido dos agricultores

A irrigação por gotejamento é uma oportunidade para o uso consciente da água, mas também tem suas especificações

Com a busca por métodos mais eficientes de irrigação e o avanço da tecnologia, a irrigação por gotejamento tem se popularizado cada vez mais.

Hoje, a irrigação por gotejamento é considerada uma das alternativas mais eficientes para consumir menos recursos e conquistar mais produtividade. Algo que não beneficia apenas o agricultor, mas também o seu cultivo e o próprio meio ambiente.

O que é irrigação por gotejamento?

Irrigação por gotejamento é uma técnica de irrigação direcionada para a raiz da planta. Com baixa vazão e alta frequência, a estimativa é de que utilize de dois a 10 litros de água por hora, gota a gota. Portanto, é um método que garante de 80% a 90% de eficiência no uso da água, que é distribuída uniformemente em toda a plantação.

Como funciona?
Através de tubos gotejadores, água e fertilizantes são transportados para as raízes das plantas na quantidade e momento mais adequados. Então, essa é uma técnica eficiente para garantir condições ideais para que se desenvolvam.

Tubo por onde passa a água durante o processo de irrigação por gotejamento

Irrigação por gotejamento – Vantagens e desvantagens

Além de proporcionar maior retorno sobre o investimento (ROI) dos agricultores, a irrigação por gotejamento traz mais vantagens que desvantagens.

Contudo, confira as principais vantagens da irrigação por gotejamento:

  • Economiza a água
    Ao contrário dos métodos de irrigação tradicionais que desperdiçam água ao molhar toda a superfície simultaneamente, a irrigação por gotejamento distribui a quantidade adequada. Isto é, evita a evaporação, escoamento e proporciona o uso consciente desse precioso recurso natural. E por ser programada para que a água e o fertilizante cheguem exatamente onde precisam, tornando as colheitas abundantes e de melhor qualidade.
  • Não deixa a água se acumular sobre o solo
    O que evita, inclusive, a proliferação de insetos como, por exemplo, o mosquito que transmite a dengue.
  • Não impede a execução de outros trabalhos
    Ou seja, a colheita ou pulverização podem ser realizadas simultaneamente.
  • Otimiza o uso de fertilizantes
    Possibilita a diluição do adubo na água, um processo chamado de fertirrigação. Dessa forma, permite que as plantas sejam adubadas e irrigadas ao mesmo tempo e menos vezes por semana.
  • Pode ser usada em qualquer área, topografia e tipo de solo
    Permite a produção tanto em locais de declive como em solos que possuem textura arenosa.
  • Previne doenças foliares nas plantas cultivadas
    A água é direcionada para as suas raízes e não deixa as folhas e frutos úmidos, ou seja, as plantas sofrem menos com o desenvolvimento de fungos.
  • Protege o solo
    Diminui a evaporação da água e também a proliferação de ervas daninhas ao redor da plantação.
  • Reduz os gastos com a energia elétrica
    Com a baixa pressão nas tubulações, o fluxo de água perde a pressão na saída para molhar as raízes das plantas e, assim, reduz o consumo elétrico.

Videiras de uvas onde é possível perceber canos de irrigação por gotejamento no solo

No entanto, como pontos negativos, as únicas desvantagens da irrigação por gotejamento são o alto custo inicial para a implantação do sistema e manutenção. Isso porque, para utilizá-la é preciso comprar bombas reguladoras, canalizações, filtros, medidores e válvulas. E, basta um entupimento ou falha no sistema elétrico que as perdas para o produtor podem ser grandes.

Agro20 | Portal Vida No Campo