Minhocas são muito utilizadas em compostagens de resíduos orgânicos

Inicio » Agronegócio » Minhocas são muito utilizadas em compostagens de resíduos orgânicos
21/09/2019 Por
Minhocas são muito utilizadas em compostagens de resíduos orgânicos

Vermicompostagem de minhocas é um super adubo

A vermicompostagem, ou compostagem com minhocas, é uma espécie de super adubo. Não é apenas rico em nutrientes, mas também repleto de microorganismos que criam e mantêm o solo saudável.

De fato, a compostagem com minhocas não é boa apenas para as plantas. Também é bom para o planeta. Afinal, mantém o desperdício de alimentos e outros materiais orgânicos fora do lixo e reduz o uso de aterros sanitários.

minhocas

O que são minhocas?

Minhocas são animais anelídeos da classe Oligoqueta. As minhocas podem ser encontrados nos solos úmidos de todo o planeta. Afinal, em todo o mundo, estima-se que existam mais de três mil espécies descritas. Porém, os avanços na taxonomia usando DNA estão mudando isso. Cada vez mais, destacam-se novas espécies e subespécies de minhocas.

Em suma, as minhocas são, como o nome sugere, terrestres. A pele é permeável e elas precisam de um ambiente úmido para não secar. As diferentes espécies de minhocas têm requisitos individuais, assim como outros animais familiares.

Algumas espécies de minhocas, por exemplo, vivem em compostagem. Outras, por sua vez, vivem em tocas permanentes nas profundezas do solo. Ainda há uma terceira categoria: aquelas que se contentam com o meio-termo e formam redes complexas de túneis.

Usos das minhocas

Sem dúvida, as minhocas podem ser uma fonte de proteína na alimentação de peixes, galinhas e porcos. Afinal de contas, estes animais possui cerca de 60-70% de aminoácidos essenciais, gorduras, carboidratos e vitaminas como a vitamina B 12. A eficácia e a economia do uso da proteína de minhoca na alimentação animal em diferentes partes do mundo são muito valorizadas.

Além disso, as minhocas são mecanicamente separadas do vermicomposto e processadas por secagem. O vermicomposto pode ser usado na biorremediação de poluentes orgânicos e metais pesados.

A degradação microbiana de poluentes orgânicos acelera dramaticamente. Assim, os metais pesados ​​são imobilizados juntamente às substâncias que se formam. Portanto, ficam inacessíveis para as plantas e, desse modo, não há o envenenamento ou a morte delas.

Por outro lado, as minhocas têm sido usadas, principalmente na China, como produtos farmacêuticos. Elas são direcionadas sobretudo para o alívio de doenças animais e humanas. Afinal, como resultado de sua cutícula porosa e modo de vida no solo, ela produz enzimas como mecanismos de proteção.

Algumas dessas enzimas, quando removidas, podem influenciar o desenvolvimento de doenças humanas. Especialmente tumores e doenças cardiovasculares, como a coagulação do sangue. Desse modo, a medicina tem extraído um considerável potencial da minhoca.

minhocas

Minhocário

Sem dúvida, pode-se dizer que um minhocário reduz drasticamente a quantidade de lixo. Por extensão, com a diminuição do lixo, são reduzidas as emissões dos gases que provocam o efeito estufa. Além disso, os minhocários ainda produzem um rico adubo orgânico.

Ou seja, os minhocários caseiro são excelentes ferramentas domésticas de redução do lixo orgânico. Além de serem, claro, aliados gratuitos na iniciativa de reduzir os gases de efeito estufa.

A minhoca, afinal de contas, é um ser higiênico. Elas são responsáveis por fragmentar a matéria orgânica. Desse modo, permitem a renovação no ciclo de vida.

Essa ação, por sua vez, é facilitada pela decomposição provocada por microorganismos. Estes são os formadores principais de húmus de minhoca, considerada uma vital substância para a manutenção de toda vida no planeta.

Esse processo é chamado de compostagem, compostagem com minhoca ou vermicompostagem.

Benefícios da vermicompostagem

  • Promover o fornecimento de nutrientes para o solo;
  • Aumentar a capacidades dos solos na retenção de nutrientes de um modo disponível para plantas;
  • Melhorar a estrutura geral do solo;
  • Melhorar a aeração e drenagem interna de solos argilosos;
  • Aumentar a capacidade de retenção de água em solos arenosos;
  • Fornecer inúmeras bactérias benéficas.

Vermicultura

A técnica da vermicultura é baseada no uso de algumas espécies de minhocas para converter resíduos orgânicos em vermicomposto. No processo, as minhocas não são usadas apenas para a nutrição de microrganismos que crescem no lixo. De fato, as minhocas também são convenientes para a atividade microbiana no vermicomposto produzido.

As espécies de minhocas mais comuns no Brasil e usadas na vermicultura são:

  • Amynthas gracilis;
  • Pontoscolex corethrurus;
  • Glossoscolex;
  • Fimoscolex;
  • Urobenus brasiliensis;
  • Dichogaster gracilis.

minhocas

Requisitos para vermicultura

  • Todos os sistemas de vermicultura requerem manutenção a temperaturas abaixo de 35°C. Por essa razão, é de suma importância evitar temperaturas altas;
  • Em suma, é importante manter a temperatura entre 15-25ºC. O teor de umidade, por sua vez, deve estar entre 60% e 80%;
  • Os resíduos orgânicos devem ser adicionados em fragmentos de 2,5 cm a intervalos frequentes;
  • O teor de amônia deve ser baixo (0,5mg) e o teor de sal também deve ser baixo (0,5%).

Assim, o vermicomposto pode ser usado como substrato de crescimento para plantas e solo na estufa ou no campo. Ele aumenta drasticamente a germinação, crescimento, floração e produtividade. Além disso, o extrato, chamado “chá”, pode ser usado para irrigação ou pulverização das plantas, promovendo, desse modo, o crescimento das mesmas, independentemente dos nutrientes.

Húmus de minhoca

É possível encontrar uma série de fertilizantes químicos disponíveis hoje no mercado. De fato, as alternativas atuais são realmente variadas. De modo superficial, estes produtos podem soar como a melhor escolha em termos de benefício.

No entanto, a longo prazo, suas consequências acarretam inúmeros prejuízos para o consumidor, sobretudo para os agricultores orgânicos, que terão seus solos desgastados e empobrecidos pela ação e presença de produtos químicos.

Assim sendo, é preciso procurar alternativas naturais, sustentáveis e, em muitos casos, gratuitas.

De fato, existe uma receita milenar para promover a renovação dos nutrientes já absorvidos pelas plantas. Essa técnica consiste no uso de materiais degradados no solo, ou seja, envolve uma iniciativa consciente e satisfatória para a natureza e para os produtores. Isto é: reaproveitar o lixo orgânico disponível na natureza ao utilizá-lo na revitalização do solo.

De fato, essa forma de adubação não é apenas barata. A produção e utilização do húmus das minhocas é inteiramente orgânica, simples e prática. Além disso, ela evita as consequências que fertilizantes sintéticos causam ao solo. Em suma, a matéria-prima do húmus é retirada do esterco da minhoca. Este, por sua vez, proporciona às plantas um crescimento natural e sem carência de nutrientes.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo