Murucututu é uma coruja que habita o território brasileiro

Inicio » Meio Ambiente » Murucututu é uma coruja que habita o território brasileiro
30/10/2020 Por
Murucututu é uma coruja que habita o território brasileiro

De hábitos noturnos como a maioria das corujas, murucututu é pouco avistada. As corujas são aves misteriosas, principalmente por seus hábitos noturnos. Porém, são igualmente belas, apesar de algumas espécies não serem muito avistadas, como é o caso da murucututu.

A coruja murucututu, assim como a maioria das corujas, possui hábitos noturnos e discretos, por isso, é pouco avistada, sendo mais comum apenas ouvir seu canto, que é grave e longo. O som que emite ao cantar lembra seu nome.

Murucututu

Como é a coruja murucututu?

A murucututu pertence a família Strigidae e a ordem Strigiformes. Essa ordem inclui aves de rapina, incluindo os mochos e corujas. Ademais, esse grupo se destaca por suas habilidades de caça, tendo como principais ferramentas a agilidade, os olhos aguçados e suas garras poderosas e eficientes.

De nome científico Pulsatrix perspicillata, a principal característica física desta ave é uma manchinha branca que vai da sobrancelha até o bico. Abaixo do pescoço, apresenta uma espécie de colar marrom, da cor das asas. Seus olhos são amarelados e as penas da região da barriga são esbranquiçadas.

Habitat da coruja murucututu

Essa ave é mais comum na floresta amazônica e em outros locais com formações de florestas típicas do Cerrado. É chamada também de corujão, mocho-mateiro, coruja-do-mato e coruja-de-garganta-preta.
É uma das maiores corujas encontradas no Brasil, chegando a medir até 52 centímetros de comprimento e pesar quase 1 quilo.

Para fazer o ninho, o casal de murucututu prefere ocos de árvores ou outros buracos encontrados na mata, onde coloca cerca de 2 ovos que serão incubados por até 35 dias. Dessa forma, essas corujas costumam aproveitar o mesmo ninho por vários anos. Após nascerem, os filhotes deixam o ninho após cerca de 5 semanas, mas ainda vão depender dos pais por alguns meses.

A murucututu pode ser encontrada desde o México, Bolívia, passando por boa parte do território brasileiro, até Paraguai e Argentina.

murucututu

Essa ave se alimenta de pequenos animais, como camundongos e até outras aves menores e, com menos frequência, pequenos invertebrados. Costumam caçar no final do dia até o início da noite, aproveitando ainda um pouco da luz do dia.
Às vezes a murucututu pode ser facilmente confundida com a murucututu-de-barriga-amarela.

Murucututu-da-barriga-amarela

A murucuutu-da-barriga-amarela é parecida com murucututu. De nome científico Pulsatrix koeniswaldiana, a murucuutu-da-barriga-amarela é uma coruja também considerada de grande porte, podendo medir até 48 centímetros.

Esse nome deriva do latim, sendo pulsatrix significando algo como batedor, pulsador, e koeniswaldiana, que é uma homenagem ao ornitolólogo alemão G. Koeniswald.

Essa espécie rara e ameaçada de extinção ocorre na Mata Atlântica e também possui a mancha branca na face, mas, como o nome sugere, possui as penas da região da barriga mais amareladas e os olhos bem escuros.
Dessa forma, habita matas desde o Sul da Bahia até o Rio Grande do Sul e também os vizinhos Argentina e Paraguai.

Lenda do murucututu

A lenda conta que a murucututu é chamada de a mãe do sono. Isso porque ajuda as crianças sem sono a dormir melhor, emprestando seu sono para elas.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo