Óleo é substância líquida e viscosa útil para as mais diversas finalidades

Inicio » Agronegócio » Óleo é substância líquida e viscosa útil para as mais diversas finalidades
24/07/2019 Por
Óleo é substância líquida e viscosa útil para as mais diversas finalidades

Óleo não se mistura com água e não é necessariamente o mesmo que gordura

Óleo é uma palavra que se origina do latim oleum e quer dizer “suco”, “sumo”. É um líquido viscoso e que tem como característica não se misturar com a água.

Por essa razão, o óleo é classificado como substância hidrofóbica. Porém, isso não significa que não se misture com outros líquidos, uma vez que o óleo pode se misturar a outros tipos de óleos.

Óleo

O que é óleo?

Óleo é uma substância de estado líquido viscoso. A diversidade é uma característica marcante da substância. Isso porque ele pode ser extraído de diferentes fontes como vegetais, minerais e animais.

Aplicações do óleo

Essa diversidade de origens proporciona que esse líquido seja aplicado para as mais diversas finalidades. É corriqueiro o seu uso na culinária, para temperos de comida. Destaca-se, nesse sentido, o óleo de soja.

É comum também sua aplicação em forma de lubrificante em móveis.

O petróleo, importante combustível fóssil, é também um óleo e tem papel fundamental para a economia de vários países, para o transporte de veículos e geração de energia elétrica.

Nota-se também o manuseio desse material em trabalhos artísticos, mais notadamente os de pintura. Não menos comum é a aplicação no âmbito religioso, os “óleos santos”.

Há três grandes classes de óleo: óleo vegetal, óleo animal e mineral.

Vejamos um pouco de cada uma e suas principais derivações. Mas, antes, uma curiosidade: essa substância seria o mesmo que gordura?

Óleo e gordura

Há quem pense que óleo é o mesmo que gordura, que são sinônimos, mas é uma percepção equivocada. De fato há muitas similaridades entre um e outro. Considera-se que essas substâncias representam um estado primitivo ou avançado da outra.

Mas não se pode dizer que óleo e gordura se tratam da mesmíssima substância, pelo menos em suas formas. A gordura é um estado sólido, físico. Quando passa para o estado líquido é que se transforma em óleo.

Tipos de óleo

Como apontado acima, há várias categorias desse líquido valioso, cada uma proporcionando um benefício, executando uma função diferente. Dentro das três principais categorias, existe variada produção de óleo. Vamos abordar alguns deles a seguir.

Óleo

Óleo vegetal

Os óleos de linha vegetal, também conhecidos como óleos essenciais, isto é, gordura extraída das sementes de plantas, são os que se costuma usar na cozinha, como o óleo de girassol. Porém, não se limitam ao âmbito culinário.

Essa categoria da substância é a que se verifica sendo empregada em pinturas, em fármacos, como lubrificante e principalmente em combustível e cosmético.

Tem forte impacto ambiental se não for descartado corretamente e alguns dos derivados de vegetais não podem ser consumidos diretamente por humanos. Primeiramente, precisam passar por processos antes do consumo.

Alguns dos principais da categoria vegetal:

  • Linhaça;
  • Girassol;
  • Coco;
  • Soja;
  • Algodão;
  • Cártamo;
  • Canela.

Vejamos mais sobre eles a seguir.

Óleo de Linhaça

A natureza hidrofóbica é um dos grandes trunfos do óleo de linhaça. O seu aspecto inicial é líquido, mas o envelhecido é seco e não se deteriora com o contato da água. Por isso, é muito usado em pinturas. Outras aplicações incluem revestimento de madeiras e vedante de janelas de vidro.

Óleo de Girassol

Como o nome já deixa explícito, óleo de girassol é extraído da famosa flor, mais especificamente de suas sementes, ricas em ácidos graxos.

É possível ser utilizada na geração de combustível, mas tal prática é pouco comum no Brasil. Aqui, se utiliza mais essa substância na cozinha, no processo de fritura dos alimentos.

No entanto, esse tipo de líquido também usa-se como cosmético.

Óleo de Coco

O óleo de coco é utilizado principalmente como cosmético. São diversos os produtos para hidratar fios capilares baseados na substância.

Além do uso nos cabelos, é recorrido para limpeza de pele, como tempero e para auxiliar no emagrecimento porque tem ácido láurico, substância que provoca maior sensação de saciedade.

Óleo de Soja

Assim como o de girassol, o óleo de soja é muito utilizado na culinária brasileira como tempero de comida e na produção de vários alimentos.

Mas o que talvez pouca gente saiba é que também é recorrido para a produção de antibióticos, inseticidas, tintas, sabão, entre outros.

Óleo de Algodão

Derivado da prensagem de sementes de algodão, o óleo de algodão é outro tipo de óleo vegetal empregado na gastronomia. É recorrente em receita de pães, molhos, refogados, entre outros.

Por ser rico em antioxidantes, também é utilizado na forma de cosméticos, para tratamento de cabelos e de pele.

Óleo de Cártamo

Óleo de cártamo é extraído da planta de mesmo nome. Popularizou-se na forma de suplemento em cápsulas para auxiliar na luta contra a balança e no combate de males como diabetes, colesterol e problemas cardíacos.

Óleo de Canela

Dona de vários títulos no Brasil e mundo afora: canela-da-Índia, canela-rainha, canela-do-Ceilão. O óleo de canela deriva-se da casca seca da árvore e há registro de seu uso desde os tempos bíblicos.

É corriqueira sua aplicação como condimento em pratos doces e salgados e em bebidas. É famoso também como recurso na aromaterapia, empregado para aromatizar ambientes, em banhos de banheira e diversas outras aplicações.

É considerada uma importante aliada para a perda de peso por ser capaz de estabilizar os níveis de açúcar no sangue.

Óleo

Classe animal

Assim como os de origem vegetal, há vários tipos de óleos de origem animal. Os mais conhecidos são aplicados na produção de alimentos. Destacam-se, nesse sentido, óleos suínos, bovinos e ovinos.

Mas, além da produção de alimentos, é empregado na fabricação de itens essenciais no dia a dia de qualquer cidadão:

  • Sabonetes;
  • Cosméticos;
  • Biocombustíveis;
  • Tintas;
  • Vernizes;
  • Ração de animais.

Óleo mineral

Sem dúvida, o óleo mineral mais conhecido é o petróleo. É famoso por ser um produto de baixo custo e que pode ser produzido em larga quantidade. Os tipos mais comuns desse gênero de óleo são os naftênicos, parafínicos e mistos.

Benefícios do óleo

Os benefícios que o óleo traz são inúmeros. Do ponto de vista econômico, é essencial para a estabilidade econômica mundial, pois os itens derivados do manuseio dessa substância são indispensáveis para o exercício de várias atividades e para o comércio.

Do ponto de vista da saúde, já foi constatado que suas propriedades fazem bem à saúde, como no controle de diabetes, colesterol e níveis de açúcar no sangue.

Do ponto de vista estético, de bem-estar e autoestima, o óleo também mostra contribuições importantes por ser capaz de hidratar fios capilares e manter a saúde da pele.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo