A OMC e as suas atividades sobre as ações do livre comércio

Inicio » Agronegócio » A OMC e as suas atividades sobre as ações do livre comércio
15/04/2019 Por
A OMC e as suas atividades sobre as ações do livre comércio

Como age a OMC entre os países membros?

A OMC tem ações voltadas para o livre comércio entre os países membros. Com funções voltadas para realizar de modo eficiente as atividades econômicas, esta organização tem planos específicos para cada tipo de atividade e ocorrência.

O funcionamento da OMC conta com princípios básicos que norteiam as nações membros, para que as atividades econômicas sejam realizadas seguindo os objetivos e as normas impostas pelo GATT 1994. Assim, a abertura comercial para todos os países pode ser alcançada.

OMC: negócios da balança comercial

O que é OMC?

A sigla OMC refere-se a Organização Mundial do Comércio, que entende-se como órgão internacional para estabelecer e definir regras para o comércio multi e plurilateral entre as nações e assegurar cada desenvolvimento econômico entre elas. Seu principal objetivo é possibilitar a abertura comercial para todos os países, além de garantir igualdade e concorrência.

Origem da OMC

Durante a Crise de 29 (também chamada de Grande Depressão), os Estados Unidos da América deram início ao estabelecimento de barreiras comerciais com o intuito de controlar o aumento da inflação que já impactava o país. Essa ação dos norte americanos incentivou outros países a fazer o mesmo em vingança a política protecionista. Assim, prejudicando o comércio entre os países e abalando a economia mundial.

No entanto, essas barreiras pioram ainda mais a situação da crise, fazendo com que, depois da Segunda Guerra Mundial e através do Conselho Econômico e Social da ONU (Organização das Nações Unidas), os Estados Unidos e a Inglaterra realizassem um Conferência sobre comércio e emprego. O intuito da Conferência era apresentar o GATT (Acordo Geral de Tarifas e Comércio – sigla em inglês), que englobava 23 países, inclusive o Brasil.

Origem da OMC: a implantação

Entretanto, o objetivo inicial não era regulamentar o livre comércio. O principal intuito era garantir o acesso igualitário dos países membros aos mercados por meio de um documento que não seria permanente, só até a criação da Organização Internacional do Comércio (OIC – sigla em inglês). Porém, a OIC não passou de uma criação que não se concretizou, ou seja, não saiu do papel. Assim, era o fim das negociações bilaterais e se estendia para um organismo multilateral. A principal meta era acabar com as barreiras alfandegárias que impactassem o comércio e, consecutivamente, as as nações.

Apesar disso, o aparecimento de uma nova fase protecionista por causa do relativo fracasso da Rodada de Tóquio fez com que a rodada de negociações mais ambiciosa fosse realizada: a Rodada do Uruguai. Ela resultou na elaboração da OMC e grandes desenvolvimentos liberatórios do comércio internacional.

A OMC começou a funcionar em 1 de janeiro do ano de 1995. Os últimos a se tornarem membro foram Cabo Verde em 23 de julho de 2008 e a Rússia, em 16 de dezembro de 2011.

Função da OMC

As principais funções da OMC são:

  • Realizar o supervisionamento da adoção dos acordos e da implantação deles pelos membros da organização. Além de checar as políticas comerciais nacionais;
  • Agir como fórum para o comércio nacional, ou seja, firmar acordos internacionais;
  • Administrar os acordos que fazem parte do sistema multilateral do comércio.

Além disso, a OMC é responsável por fazer a resolução de controvérsias geradas pela aplicação dos acordos sobre o comércio internacional entre os seus países membros. A cada dois anos essa organização realiza pelo menos um Conferência Ministerial.

Princípios da OMC

OMC: gerenciamento de ações

Para que um comércio internacional livre e transparente seja estabelecido, o GATT de 1994 propôs alguns princípios simples que limitam as políticas de comércio exterior entre os países. Ao todo, são cinco princípios.

O primeiro deles é a ‘Não Discriminação’. Seguindo o princípio da nação mais privilegiada, um país tem a obrigação de estender a outros membros qualquer privilégio ou vantagem dado a um dos membros. Por outro lado, o principal do tratamento nacional impede o tratamento diferenciado de produtos importados e nacionais. Isso acontece quando o intuito for rebaixar o produto importado desfavorecendo a competição com o produto fabricado nacionalmente.

O segundo princípio é o da ‘Previsibilidade’. Os trabalhadores do comércio exterior precisam ter antecipação das normas e do acesso aos mercados na exportação e na importação, para que suas atividades possam ser desenvolvidas. Para que essa previsibilidade seja garantida, é preciso consolidar os compromissos tarifários para bens e das lidas de ofertas em serviços. Além disso, também é importante a consolidação das normas em outras áreas pertencentes ao OMC, como as Barreiras Técnicas, TRIPS, SPS e TRIMS que objetivam dificultar o uso intensivo dos países para limitar as ações comerciais.

O terceiro é o da ‘ Concorrência Leal’. A OMC tenta garantir um comércio mais aberto e um comércio mais justo. Por meio do controle de atividades comerciais desleais coo os subsídios e o dumping, que alteram as condições de comércio entre as nações.

Já o quarto princípio é o da ‘Proibição de Restrições Quantitativas’. O GATT de 1994 impediu o uso de restrições quantitativas como meio de proteção e segurança. O único meio de proteção aceito é a tarifa, já que ela é o mais correto. As cotas tarifárias só podem ser utilizadas se forem previstas nas listas de compromissos das nações.

Por fim, o quinto e último princípio que diz respeito ao ‘Tratamento Especial e Diferenciado para Países em Desenvolvimento’. Os países desenvolvidos dispensam a permuta nas negociações tarifárias. Os Acordos da OMC listam medidas de tratamento mais vantajosa para países em desenvolvimento.

Objetivos da OMC

Os principais objetivos da OMC são:

  • Agir para o progresso dos estados membros;
  • Gerenciar os bens e serviços gerados pela atividade comercial, como a propriedade intelectual, por exemplo;
  • Fazer acompanhamento da revisão das políticas comerciais dos estados membros;
  • Aplicar pesquisas comerciais e fazer a divulgação dos dados como meio de apoio as nações integrantes;
  • Gerir as regras de conduto do comércio, como, por exemplo, o dumping e os subsídios;
  • Fazer negociação da redução ou da eliminação de barreiras comerciais, tais como as tarifas comerciais.
  • Resolver conflitos comerciais entre as nações membros;
  • Elaborar momentos (rodadas) e situações para que acordos comerciais internacionais sejam firmados.

Reuniões da OMC: as rodadas

OMC: rodadas e reuniões

As rodadas são como são chamadas as reuniões da OMC, que ocorrem durante determinado tempo e duram por anos. O objetivo principal delas é estabelecer acordos comerciais em nível mundial.

A OMC tem coordenado a Rodada de Doha, que começou no ano de 2001 e ainda não chegou ao fim. Essa rodada conta com a participação de 148 países, inclusive o Brasil, com o intuito de diminuir as barreiras comerciais e do protecionismo comercial nos países. Assim, ela foca no livre comércio para as nações em desenvolvimento econômico.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo