Pantaneiro é gado bovino versátil que corre risco de extinção

Inicio » Pecuária » Pantaneiro é gado bovino versátil que corre risco de extinção
25/04/2019 Por
Pantaneiro é gado bovino versátil que corre risco de extinção

Fazendo parte da história do Brasil desde XIX, o pantaneiro é altamente resistente e de dupla aptidão, mas corre risco de ser extinto

Também conhecido como tucura e cuiabano, o pantaneiro é uma raça bovina que foi trazida da Europa para o Brasil há muito tempo, na época da chegada dos portugueses. Os portugueses trouxeram e dispersaram o gado no litoral do país. Ao longo do tempo, a raça foi se movendo para o interior, até chegar no Pantanal.

Com isso, o pantaneiro adaptou-se às condições do Pantanal, para que pudesse suportar os fatores extremos desse bioma, como o calor intenso e os períodos de seca. A partir daí, o gado – que é tão antigo quanto o Brasil colônia – tornou-se típico do Pantanal; tendo, inclusive, sustentado fazendas pantaneiras por diversos séculos. Porém, hoje a raça está em alto risco de extinção.

Pantaneiro

O que é o bovino pantaneiro?

O pantaneiro é uma raça de bovino que possui como marcante característica sua rusticidade e resistência. Além disso, é manso e possui a frente larga, com uma grande capacidade pulmonar, bem como chifres grandes para poder se defender de outros animais.

Sua carne é considerada extremamente saborosa, macia e suculenta. Além disso, a raça possui aptidão, tanto para produção leiteira quanto para linhas de corte.

Outra característica é sua capacidade de percorrer distâncias gigantescas, bem como sobreviver alimentando-se da vegetação do Pantanal. O boi no pantaneiro precisou passar por intensa seleção natural para conquistar e aprimorar as aptidões necessárias para sobreviver na região. Isso porque o calor é intenso, exigindo tolerância para tal, além de existir períodos intermitentes de seca na região.

Há, também, parasitas aos quais a raça precisa tolerar. O boi pantaneiro possui resistência a vermes e insetos, bem como a prolongados períodos de inundação que ocorre todos os anos. Para isso, o pantaneiro possui casco resistente e duro, podendo suportar períodos grandes de pastejo em regiões alagadas. Outras raças que não são adaptadas não conseguem explorar a vegetação do bioma.

Características do pantaneiro legítimo

Um legítimo pantaneiro possui características específicas, sendo:

  • pelo macio e fino;
  • pernas curtas;
  • não possui cupim;
  • orelhas alocadas acima da linha dos olhos;
  • características de gado europeu;
  • é considerado de estatura baixa;
  • o dorso e a lombar são retilíneos;
  • cabeça com forma triangular e
  • a pelagem e os chifres variam.

Apesar de estar presente no pantanal há muito tempo, além de já ter sustentado, durante séculos, diversas fazendas, hoje, como dito, o gado pantaneiro está ameaçado de extinção. Para evitar que isso ocorra, foram criados núcleos de preservação por universidades e pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Pantaneiro

Para essa preservação, é feito um trabalho de localização dos animais. No município de Aquidauana, localizado nos pantanais sul-mato-grossenses, há um rebanho com cerca de 150 pantaneiros puros. Nesse trabalho, ocorre a coleta de sangue dos animais para que o DNA seja analisado e seja comprovado que são realmente da raça. Se forem, os responsáveis levam os animais para a fazenda das universidades.

Além desse trabalho, há um programa de recuperação coordenado pelo Nubopan (Núcleo de Conservação de Bovinos Pantaneiros de Aquidauana). Nele, ocorre a identificação de animais com potencial para linhas de leite e corte. Para isso, há seleções de pantaneiros com potencial para produção leiteira e ganho de peso.

O pantaneiro está em risco de extinção por conta de cruzamentos indiscriminados dessa raça com outros animais. Dessa forma, sua linhagem quase se perdeu.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo