Sela é estrutura indispensável para animais de montaria

Inicio » Pecuária » Sela é estrutura indispensável para animais de montaria
26/06/2019 Por
Sela é estrutura indispensável para animais de montaria

O uso da sela pode ter diversas finalidades

Qualquer um que trabalhe ou que deseje trabalhar com animais de montaria precisa ter, pelo menos, conhecimentos básicos sobre o que é uma sela. Esse item teve suas origens há milhares de anos atrás e vem evoluindo e se modernizando desde então.

E como esse é um item tão importante para qualquer um que lide com esse tipo de animal, vamos falar hoje exatamente sobre o que é essa estrutura. Além disso, também falaremos mais profundamente sobre os principais tipos de sela e como esse item surgiu.

Sela

O que é sela?

Sela é um tipo de estrutura colocada nas costas do animal para que alguém possa se sentar mais confortavelmente para cavalgar. Antigamente a sela era feita de materiais como linho, cabedal ou lã. Hoje em dia ela é feita de couro ou algum tipo de material sintético. O significado de sela, inclusive, é “cadeira” ou “assento”. A expressão vem do latim, bem como tantos outros termos da nossa língua.

Os animais de montaria mais utilizados são o cavalo, o burro e o búfalo. Porém, existem diversos países no mundo que utilizam animais que não são tão comuns no Brasil.

Em alguns países asiáticos como a Tailândia, por exemplo, é comum montar em elefantes. Já em países árabes, montar em camelos é uma prática antiga e tradicional. Existem também algumas regiões onde se monta em avestruzes, como em alguns locais da América do Sul e Oceania.

Como surgiu a sela?

Conforme a humanidade começou a evoluir, a domesticação dos animais também teve seus avanços. Montar em animais como os cavalos foi uma prática que ajudou muitos grupos com o desenvolvimento, locomoção e proteção, primeiramente sem nenhum equipamento. A sela surgiu exatamente como uma necessidade de mais estabilidade para cavalgar, além de também proporcionar mais conforto.

Durante toda a história, existiram vários tipos de selas que foram usadas para os mais diversos propósitos, desde o simples transporte até parte do aparato de guerras, além de sempre ser útil na agricultura.

Para que se usa a sela hoje em dia?

A sela ainda é muito usada nos dias de hoje para diversas finalidades. O transporte e a agricultura são os principais. Porém, esse tipo de item ainda é útil para muitas profissões como policiais em diversos países do mundo.

Não podemos deixar de citar o uso esportivo da sela, como pelos jockeys, no hipismo, em rodeios e na vaquejada também.

Sela

Do que uma sela é composta?

Como dissemos, desde sua criação até os dias atuais, a sela sofreu diversas alterações para que o seu uso fosse feito de forma cada vez melhor. Hoje em dia existe um padrão comum de sela do cavalo que normalmente rege a forma com que todos os outros tipos de selas são feitos.

Os principais itens são:

  • Assento: é a parte onde se monta de fato. Normalmente é onde o coro é mais macio para que a cavalgada seja mais confortável;
  • Estribo: é a parte onde se apoia os pés, normalmente feita de metal, ainda que existam os feitos de couro ou até mesmo de madeira;
  • Suadouro: é a parte de “dentro” da sela, que ficam em contato direto com a pele do animal;
  • Pito: suporte onde podem ser colocadas as cordas, além de também servir como ponto de apoio.

Tipos de sela

Já que existem diferentes finalidades para a sela, é inevitável que existam também diferentes tipos de sela. Vamos explicar um pouco melhor sobre os mais comuns e mostrar como cada um deles é usado.

Sela portuguesa

A sela portuguesa normalmente é feita de couro suíno ou de carneiro e é utilizada principalmente para passeios e trabalho. Apesar de seu uso mais comum ser em cavalos, a sela portuguesa pode ser adaptada para outros animais como o burro ou o boi.

Sela americana

Originária do México, a sela americana ficou muito famosa por ser amplamente utilizada nos filmes de western (este é até um dos apelidos desse tipo de sela). É ideal para quem percorre longos percursos e também para rodeios, por conta de sua resistência.

O pito da sela americana é uma peça fundamental para quem trabalha em fazendas, já que ajuda na condução do laço.

Sela

Sela inglesa

É um modelo leve, normalmente sem pito e que possui uma armação rígida. Foi feita principalmente para a prática de esportes como saltos e o hipismo. Até por isso, ela também é chamada de sela hípica. Por conta de sua leveza, também é utilizada pela polícia.

A sela inglesa normalmente é feita de material sintético, embora os modelos mais antigos sejam de couro.

Sela australiana

Utilizada principalmente para trabalhar com gado, ela é uma derivação da sela inglesa. As principais características da australiana são o assento mais profundo e o couro mais pesado, que ajuda com o trabalho, principalmente com o impacto na subida e descida de morros.

Por que escolher a sela correta é importante?

Existem muitos fatores que podem fazer com que a sela seja correta para o que você quer. A primeira coisa a ser pensada é a finalidade, ou seja, para que você irá utilizar esse equipamento. A partir disso, você deve considerar outros fatores como o tamanho e o material, além de se certificar sobre o posicionamento de cada tipo de sela que irá usar. Essas são coisas básicas e essenciais para o bom uso desse tipo de estrutura.

É muito importante entender não apenas o que é uma sela, mas como ela se originou e para que finalidades você pode utilizar animais de montaria. Apesar de ser um item muito mais comum em cavalos, você percebeu neste artigo que a sela pode estar presente até nos animais mais exóticos.

Saber quais são os principais tipos de sela e para que eles servem é um passo importante, mas você deve aplicar essas dicas na prática sempre que for possível. É dessa forma que elas fixam em sua mente e fazem com que seu conhecimento sobre animais de montaria e sobre sua profissão cresça cada vez mais.

Tags: ,

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo