Serpentes são répteis de grande beleza e origem próxima dos lagartos

Inicio » Meio Ambiente » Serpentes são répteis de grande beleza e origem próxima dos lagartos
02/07/2020 Por
Serpentes são répteis de grande beleza e origem próxima dos lagartos

Serpentes são conhecidas como ofídios

As serpentes são animais que já possuem 3.300 espécies conhecidas e sua ancestralidade é derivada dos lagartos. Consideradas um dos animais mais antigos do mundo, possuem características peculiares.

Com uma diversidade enorme de cores e tamanhos, as serpentes possuem escamas que tornam o seu corpo praticamente impermeável e uma ótima forma de camuflagem nos momentos de caça ou de defesa.

Serpentes

O que são serpentes?

Serpentes são rastejantes da classe Reptilia. Possuem o corpo alongado, sem patas e coberto por escamas das mais variadas formas geométricas e cores.

Entretanto, diferentemente dos outros animais, as serpentes possuem a temperatura corporal ectotérmica. Logo, são animais nos quais a temperatura corporal se adéqua perfeitamente ao lugar em que estão.

Mesmo que causem muito pânico na população, as serpentes são animais que, apesar de peçonhentos, nem sempre são venenosos e nocivos aos seres humanos.

Entretanto, algumas espécies podem apresentar um comportamento um tanto quanto agressivo e perigoso. Por conta disso, recomenda-se sempre deixá-las quietas em seu habitat ou, se for o caso de avistá-las próximas às residências ou dentro de casa, ligar para os bombeiros ou polícia.

É muito comum ocorrer uma certa confusão entre as espécies de cobras. Como são animais de características semelhantes, alguns poucos sinais físicos as diferenciam entre si. No Brasil, é possível encontrar uma grande variedade nos tipos de serpentes.

Assim, acabam se tornando motivo de curiosidade de estudiosos e cientistas. Em geral, as cobras não venenosas são mais comuns em território brasileiro, mas, ainda assim, é possível encontrar espécies agressivas e perigosas.

Cobra coral

Entre os tipos de cobras mais temidas, a cobra coral, sem dúvida, é uma delas. Com um par de dentes aumentados, as cobras pertencentes a essa família possuem 361 espécies confirmadas até o momento. Além disso, mesmo que seu maxilar não seja tão forte, é a serpente mais letal do mundo.

Há sempre muita discussão entre a coral verdadeira e a falsa coral, já que a cobra coral falsa apresenta uma letalidade muito menor. Entretanto, diferenciar as duas não é nada fácil, já que ambas são muito semelhantes e não possuem regras em relação às suas cores.

De qualquer forma, as cobras pertencentes à família elapídeos não são agressivas e não costumam dar bote. Somente quando são tocadas ou se sentem ameaçadas é que resolvem atacar. O ataque ocorre com a cobra escondendo a cabeça e erguendo a cauda na tentativa de distrair a presa e então ataca.

A serpente da espécie coral é comumente vista em:

  • Mato Grosso;
  • Paraná;
  • Santa Catarina;
  • Mato Grosso do Sul;
  • São Paulo.

Serpentes

Jararaca

A jararaca também é conhecida como jararaca da mata e se trata de uma das serpentes mais perigosas. Entretanto, não é de seu hábito atacar, já que costuma fugir assim que é avistada.

Porém, a sua coloração permite que se camufle de uma forma extremamente eficaz. Dessa forma, é muito difícil avistá-la, até mesmo pessoas que possuem grande experiência e olhos treinados para detectar serpentes.

Em relação à alimentação, quando filhote, acaba se alimentando frequentemente de rãs e sapos de pequeno porte. Após adulta, roedores complementam o paladar.

Entre as espécies de jararacas, é possível destacar:

  • Jararacuçu;
  • Jararaca ilhoa;
  • Jararaca de alcatrazes;
  • Cobra cotiara;
  • Jararaca cruzeira.

Bothrops bilineata

Apesar de fazer parte da família das jararacas, a Bothrops bilineata é uma espécie verde de jararaca. É vista com muita frequência na Amazônia, local onde costuma caçar pássaros e mamíferos em geral.

Além disso, a jararaca verde tem o costume de se manter sempre no alto de árvores onde geralmente se abriga, seja para caçar ou se esconder. Em Pernambuco, Rio de Janeiro e Bahia, também é muito comum avistar essa espécie.

Jiboia

A jiboia faz parte das que não possuem veneno. Entretanto, desde muito tempo, existe uma lenda que diz que as jiboias são venenosas em apenas determinados meses do ano. Na verdade, isso não passa de uma lenda.

A verdade é que ela não apresenta nenhuma glândula produtora de veneno e menos ainda dentes inoculadores. Além disso, é uma espécie comumente vista em florestas tropicais e demais locais semiáridos.

Assim como as cobras pítons, caça utilizando a constrição para apagar suas presas. Em sua alimentação é possível notar pequenos roedores, primatas, aves, pássaros de pequeno porte, etc.

Muitas pessoas, inclusive, confundem a jiboia com a sucuri, conhecida também como anaconda. No entanto, ambas possuem diferenças realmente gritantes entre si. Um exemplo disso é que a sucuri chega pode alcançar mais de 10 metros de comprimento, enquanto a jiboia somente alcança, no máximo, 3 metros.

Serpentes

Cobras peçonhentas

As cobras peçonhentas são todas aquelas que apresentam riscos aos seres humanos e também aos animais, por conta da sua mordida e do veneno que é, muitas vezes, letal. A surucucu (ou cobra caiçara), a mamba e a naja são exemplos de cobras extremamente venenosas e cuja mordida pode causar danos irreversíveis.

Além disso, os viperídeos, ou as víboras, como são conhecidas também, fazem parte da família de cobras que possuem os venenos mais mortíferos. São altamente perigosas e devem ser evitadas a todo custo sempre que vistas.

As cobras venenosas, em geral, possuem formas diferentes de jorrar o veneno. A naja, por exemplo, costuma cuspir o veneno a longa distância e paralisar a vítima até que consiga chegar até ela.

Ataque das serpentes

Em geral, é muito difícil encontrar uma serpente que ataque sem motivo algum. Elas normalmente, fazem isso quando se sentem intimidadas e ameaças por alguém, já que o foco é sempre caçar outros animais, mas não seres humanos.

Entretanto, as cobras possuem um sistema digestivo extremamente lento e podem demorar muito tempo para voltar a se alimentar. Porém, se for uma época onde estejam com fome e a caça esteja fraca, é provável que ataquem, até mesmo, seres humanos para se alimentar.

Justamente por isso, ao avistar esse animal, é necessário manter distância e não incomodá-lo. Ademais, são animais selvagens e que agem puramente por instinto.

Dessa forma, as serpentes são animais que possuem comportamentos diferentes de uma espécie para outra, por isso, saber diferenciá-las e manter distância é fundamental.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo