Conheça 4 tipos de jararaca e as suas particularidades

Inicio » Meio Ambiente » Conheça 4 tipos de jararaca e as suas particularidades
31/10/2020 Por
Conheça 4 tipos de jararaca e as suas particularidades

Há vários tipos de jararaca comuns no Brasil. Um dos tipos de cobras mais temidos é a jararaca. Animal popular no Brasil, faz com que sua reprodução seja abundante e que se encontrem diversos tipos de jararaca. As diferentes espécies desse gênero de cobra geralmente apresentam características bem distintas.

Dessa forma, são aproximadamente 47 tipos de jararaca reconhecidos. Entretanto, estima-se que existam espécies diferenciadas e que ainda estão se adaptando ao seu local de origem. Mesmo que sofra ameaça de extinção, o animal dá cria em abundância.

tipos de jararaca

Quais são tipos de jararaca?

Tipos de jararaca são espécies da cobra que se diferenciam entre si. Hoje em dia, mesmo que seja uma das cobras ameaçadas de extinção, acaba dando cria rapidamente e em abundância. O motivo disso é que a jararaca é uma cobra muito comum em ilhas brasileiras.

Exemplo disso são as jararacas presentes na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. Essa ilha possui mais de 4.000 jararacas que se reproduzem constantemente. Logo, por conta da grande quantidade dos tipos de jararaca presentes no local, é praticamente impossível adentrá-lo e realizar uma contagem exata.

Além disso, a cobra jararaca é considerada uma das espécies de cobras peçonhentas mais temidas. É encontrada com muita frequência na América do Sul e América Central. Entretanto, a jararaca é uma das cobras de maior mortalidade e acidentes em todo o território brasileiro.

Em relação aos tipos de jararaca, todos apresentam grande variedade entre si. Logo, a coloração, tamanho, temperamento e peçonha são características que geralmente divergem muito de um tipo para outro.

Mesmo que sejam 47 tipos de jararacas reconhecidas até hoje, a sistemática das cobras e também a divisão de grupos está mal desenvolvida. Afinal, novas espécies foram se desenvolvendo com o tempo e muitas não foram registradas e nomeadas.

No entanto, uma das características de identificar uma jararaca é sempre contando as escamas que possuem na cabeça. Afinal, possuem de 3 a 14 escamas interorbitais. Outras escamas presentes no corpo também estão presentes, como:

  • De 20 a 29 escamas dorsais;
  • 130 a 240 ventrais;
  • De 30 a 85 escamas subcaudais.

Jararaca ilhoa

A jararaca ilhoa é uma das cobras venenosas que faz parte dos mais populares e perigosos tipos de jararaca. É uma serpente que se adaptou muito bem com a vida arborícola ou semi. Logo, isso reflete completamente em diversos traços comportamentais e também morfológicos.

Além disso, vivem quase que exclusivamente na Ilha de Queimada Grande, considerada uma das ilhas mais perigosas do mundo por conta da quantidade de jararacas presentes no local. Afinal, dentro da ilha estão presentes aproximadamente mais de 5 mil cobras dessa espécie.

Entretanto, por conta do alto nível de periculosidade e quantidade da cobra peçonhente que é, acaba sendo muito difícil para estudiosos realizarem uma pesquisa e uma contagem aprofundada e assertiva sobre a cobra. A técnica mais fácil encontrada foi a microchipagem.

Surpreendentemente, a ilhoa consegue ficar até seis meses sem se alimentar e, quando se alimenta, opta por aves e ovos. Estima-se que essa serpente exista desde antes da era glacial e que esteja na ilha há mais de 10 mil anos. Ademais, essa cobra apresenta características como:

  • Não apresenta dimorfismo sexual;
  • Possui pele elástica;
  • É menor e mais leve do que a jararaca tradicional;
  • Possui o coração próximo à cabeça;
  • As presas são curvadas para trás.

Além disso, essa cobra escala árvores com grande agilidade para alcançar as presas. Também tem o diferencial de não botar ovos, mas sim dar à luz. O seu veneno é extremamente potente e pode levar a vítima a óbito em duas horas após a inoculação.

tipos de jararaca

Jararaca da seca

Ainda não se tem uma grande quantidade de informações sobre a jararaca da seca. O que se sabe é que ela é um dos raros tipos de jararaca. O motivo é que somente está presente na região nordeste, mais especificamente em uma área meridional altamente restrita da Bahia.

Assim, é considerada uma cobra de pequeno a médio porte, já que possui somente 54 cm de comprimento. Em relação às suas escamas, possui desenhos triangulares, ventre amarelo e o dorso marrom.

Além disso, o nome da cobra se deve ao fato de habitar regiões da caatinga e viver frequentemente em moitas de capim seco, sempre em busca de esconderijo e comida.

Jararaca cruzeira

A jararaca cruzeira é uma espécie que pode ser facilmente encontrada nas seguintes regiões:

  • Rio Grande do Sul;
  • Rio de Janeiro;
  • São Paulo;
  • Paraná;
  • Santa Catarina.

Além disso, Bahia, Minas Gerais e Goiás também estão presentes na lista. Entretanto, essa cobra é um pouco maior do que a jararaca da seca, já que atinge aproximadamente 1,15 metros. Ainda que se apresente com a tonalidade cinza, pode ser vista na cor marrom, pardo, com manchas e coloração branca na cauda.

Além disso, seu veneno atua com ação proteolítica. Ou seja, a região afetada apresenta inchaço gradativo, manchas vermelhas ou roxas, bolhas com sangue, febre, desmaio, vômito, entre outros sintomas que precisam de tratamento urgente. Essa espécie costuma se alimentar de pássaros, ratos e, às vezes, baratas.

tipos de jararaca

Jararaca da mata

A jararaca da mata é muito encontrada em regiões da Bahia até o Rio Grande do Sul. Em geral, é um animal que prefere lugares úmidos e com uma certa quantidade de vegetação. O motivo é que a alimentação principal dessa cobra jararaca são os sapos, ratos e rãs.

Dessa forma, dormem durante o dia sempre em baixo de folhas úmidas e, à noite, caçam. É uma cobra que adora chuva e adora mais ainda tomar sol depois da chuva. É um tipo de cobra que geralmente não ataca.

Mesmo que tenha veneno e seja extremamente peçonhenta, quando se sente ameaçada, somente achata-se e bate com a cauda sobre as folhas próximas. Caso o intruso não entenda a mensagem, ela ataca. Após o ataque, seu veneno pode resultar em hemorragias ou amputações.

No entanto, diferente das outras jararacas, essa espécia costuma colocar ovos e apresenta um ciclo sazonal que se inicia no final do verão e início de outono. A sua alimentação pode mudar, já que algumas vezes podem procurar por roedores. Além disso, é um dos tipos de jararaca que podem sofrer anomalias e atingir tamanhos maiores do que 1m.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo