Tucunaré é referência de desafio na pesca esportiva

Inicio » Pecuária » Tucunaré é referência de desafio na pesca esportiva
25/04/2019 Por
Tucunaré é referência de desafio na pesca esportiva

O peixe tucunaré é muito conhecido no Brasil e no mundo por ser uma espécie de características nobres

O tucunaré é nativo de água doce e é muito presente nos rios e lagos brasileiros. Além disso, o peixe prefere locais de águas calmas e geladas, pois suporta baixas temperaturas. A alimentação da espécie tem outros animais e algas marinhas, em geral, como base. Seu tamanho varia muito de acordo com o tipo tucunaré, levando em conta que o mais desenvolvido pode pesar até 15 kg.

O peixe tucunaré é bastante conhecido na pesca esportiva e o fato que mais atrai os pescadores é dificuldade em fisgá-lo. A criação da espécie em aquários é uma prática frequente, já que é de fácil manejo. Além disso, a beleza do animal é muito apreciada dentro e fora do Brasil.

O tucunaré é difícil de ser fisgado

Mas afinal, você sabe como é o peixe tucunaré?

O tucunaré, também conhecido como peixe tupi, é uma espécie muito presente nos rios da América do Sul, em especial nos do Brasil. Ele é um peixe de água doce e bastante consumido na culinária nacional. Dentro desta espécie, existem mais sete derivações do animal; entretanto, suas características físicas são semelhantes. Em um âmbito geral, eles são de caráter sedentário e vivem em lagos e rios, pois preferem zonas de água parada.

No período de reprodução, os casais se dividem entre as responsabilidade de proteger tanto o ninho como a prole contra predadores. Os filhotes nascem com três pintas pretas ao longo do corpo e, com o passar do tempo, elas se transformam em uma linha contínua.

O tamanho destes animais depende do ambiente disponível para desenvolvimento e, no geral, chegam a até 70 cm de comprimento. Eles são diurnos, ou seja, estão ativos durante o dia e descansam pela noite. A base alimentar é composta por pequenos crustáceos e algas marinhas e, além disso, eles são excelentes caçadores e perseguem suas presas com agilidade.

No mundo da pesca desportiva, este peixe é bastante popular pela dificuldade de ser pescado. O habitat natural da espécie é a bacia amazônica, contudo, foi introduzido no Sudeste brasileiro nos anos 80. Este fator acarretou em alguns problemas para a flora pois, por conta do desaparecimento do animal em determinados locais, a biodiversidade ficou em desequilíbrio.

Os tipos de tucunarés

Existem sete principais tipos de tucunarés no Brasil e, dentre eles, podemos citar:

  • azul
  • cichla pinima
  • cichla kelbery
  • cichla orinocenses
  • cichla intermedia
  • cichla monoculus
  • açu

Em cada um deles é possível identificar características diferentes, tanto físicas como na maneira de criação.

  • Tucunaré azul

O tucunaré azul é muito comum nas bacias do rio Tocantins e Araguaia, e foi introduzido nestas regiões junto com o do tipo amarelo. O animal chega a pesar até 7 kg e pode ser encontrado em aquários de grande porte. Ele é facilmente adaptável a climas mais frios e é resistente à doenças.

  • Tucunaré cichla pinima

Este tipo de peixe é encontrado, principalmente, no rio Solimões e pode pesar até 12 kg. Em uma determinada fase de seu desenvolvimento, ele é confundido com o do tipo açu; contudo, não chega a ser tão grande quanto ele. É explorado na pesca nacional e não é recomendado para o aquarismo por conta de seu porte.

  • Tucunaré cichla kelbery

É também conhecido como tucunaré amarelo. Assim como o do tipo azul, este também está presente nas bacias do rio Tocantins e Araguaia. O animal não se desenvolve muito e chega a pesar no máximo 4 kg; sendo o menor tipo da espécie e muito apreciado para criação em aquários por conta de seu tamanho.

O animal foi introduzido junto com o tucunaré azul em diversas represas e hidrelétricas do país por conta da sua fácil adaptação e alta resistência para temperaturas mais baixas.

A espécie tucunaré é conhecida pelas suas características físicas

  • Tucunaré cichla orinocenses

Este animal é também conhecido por tucunaré borboleta e está distribuído em grande parte do rio Amazonas, contudo, sua maior concentração é no rio Negro. O peixe é muito apreciado no mundo todo pela sua beleza e resistência para baixas temperaturas. Ele é caracterizado pelas suas três pintas ao longo do seu corpo e pode chegar a pesar até 6 kg.

  • Tucunaré cichla intermedia

Este tipo da espécie é também conhecido como tucunaré pavón. Ele está concentrado no rio Orinoco e ele pode chegar a pesar até 6 kg. O pavón não é muito visto no Brasil, em contrapartida, nos Estados Unidos é muito procurado para criação em aquários.

  • Tucunaré cichla monoculus

Este animal é também conhecido como tucunaré verde e pode ser encontrado nos rios Negro, Solimões e Jaris. Assim como o do tipo amarelo, ele não se desenvolve muito e pode chegar até no máximo 3,5 kg. Está muito presente no ramo do aquarismo nacional e estrangeiro pela facilidade de criação.

  • Tucunaré açu

Este é o maior da espécie e o mais conhecido dentre todos; sua maior concentração está localizado no rio Negro. É possível que o animal chegue a pesar até 15 kg. Por isso, ele é muito apreciado na pesca no mundo todo, sendo visto como uma grande conquista pelos adeptos do esporte. Em sua fase juvenil, ele é constantemente confundido com o do tipo pinima, pois ambos são caracterizados por pintas ao longo do seu corpo.

O peixe tucunaré é destaque no mundo pela qualidade da carne

Pesca do peixe tucunaré

A pescaria de tucunaré é uma prática que exige habilidade, pois o animal é de difícil captura. Por isso, é recomendado o uso de varas com a numeração entre 8 a 10, com uma ação de média até pesada. A isca para atrair a espécie não precisa ser muito específica, tendo em vista que ele se alimenta de muitos tipos de peixes e algas.

No momento da pesca, é importante ressaltar que o tucunaré é difícil de ser fisgado e demora para sair da água. Como forma de realizar uma boa pesca, é importante se atentar no momento em que a isca balançar; pois é aí que se deve puxar com a rapidez o peixe para que não seja tão cansativa a luta para o pescador. Estar sempre atento também ajuda a não perder a viagem e voltar com um pescado de qualidade.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo