Urubu rei é o maior dentre as espécies e pode atingir até 80 centímetros

Inicio » Meio Ambiente » Urubu rei é o maior dentre as espécies e pode atingir até 80 centímetros
10/10/2020 Por
Urubu rei é o maior dentre as espécies e pode atingir até 80 centímetros

O urubu rei, que pode voar grandes alturas, habita países como o México e Brasil, sendo o maior e mais colorido de sua espécie. Presente em matas, capoeiras e savanas, o urubu rei é uma ave de rapina de hábitos necrófagos. Ele é uma das espécies mais importantes em termos ecológicos, pois ajuda diretamente na decomposição da matéria orgânica. Desta forma, ele atua como um importante protagonista da ciclagem da matéria orgânica.

Este pássaro é o maior entre os urubus, por este motivo, o urubu rei recebe o nome tão característico. Além disso, ele possui bico e garras poderosas que facilitam a predação de outros animais. É possível encontrar seus ninhos e ovos em locais altos e pode viver até 30 anos.

Urubu rei

O que é urubu rei?

Urubu rei é uma ave de rapina de grande porte, a qual está presente em países como o México, Brasil e Argentina. O nome científico da ave é Sarcoramphus papa, o qual significa “o pai dos comedores de carne podre”.

A sua coloração é preta com parte do dorso e das asas brancas. A cabeça é preta, desprovida de penas, com bico amarelo e algumas nuances vermelhas. O seu bico é muito forte, o que faz com que ele consiga abrir facilmente a carcaça de animais mortos.

O tamanho do urubu rei pode atingir até 2 metros de envergadura. Ademais, pode chegar a pesar aproximadamente 3,8 kg, ganhando o posto de maior entre os urubus de outras espécies.

Quando jovens, as suas penas possuem coloração predominante preta. Não há dimorfismo sexual nesta espécie, sendo difícil distinguir o macho da fêmea.

É principalmente encontrado em zonas tropicais. A sua alimentação é basicamente composta por animais mortos, tendo hábitos necrófagos, mas não se limita a isso. Frutas também podem compor a dieta do urubu rei.

O seu habitat pode ser em clareiras, florestas altas e densas, ao redor de grandes cânions, onde possa fazer seus ninhos a grandes alturas.

A família a qual essa ave pertence é a Cathartidae, que é composta por urubus e corvos. Logo, este urubu é conhecido como o maior entre as espécies de Cathartiformes.

Pode ser comum ver esta espécie sobrevoando ao alto, sozinha ou em duplas. Essas aves de rapina competem espaço e ninhos até mesmo com araras azuis e araras vermelhas em partes da floresta Amazônica brasileira.

Urubu rei

Reprodução do urubu rei

O urubu rei é uma espécie que faz seus ninhos no topo de depressões e montanhas para depositar os seus ovos. Os pares têm o dever de proteger o ninho e chocar os ovos durante 58 dias. Pelos próximos 4 meses após o seu nascimento, o filhote está preparado para alçar seu primeiro voo e sair do ninho de seus pais.

Quando jovem, a sua pelagem não possui muitas cores, o que ele adquire com o tempo. Quando adulto, a sua pelagem assume as cores branca, vermelha e amarela, além do preto.

Eles podem levar cerca de 6 anos para chegarem à maturidade. No período reprodutivo, os machos jovens tentam atrair as fêmeas, exibindo a sua pelagem colorida e vistosa.

Alimentação do urubu rei

A maioria de sua alimentação é composta por animais mortos, mamíferos ou mesmo carcaça de peixes. Outrossim, podem alimentar-se inclusive de animais de grande porte já mortos, como capivaras e jacarés.

O fato de essas aves se alimentarem de animais mortos ajuda a controlar a disseminação de doenças infecciosas entre animais, consumindo os seus restos mortais.

Essa espécie de urubu sobrevoa áreas abertas, procurando encontrar alimento. Eles possuem sentidos apurados, o que lhes permite encontrar com facilidade os animais que estão à beira da morte ou mesmo carcaças em meio ao campo.

Há espécies que esperam o urubu rei terminar a sua alimentação para consumir as sobras deixadas pela ave. Estes podem ser outros urubus de tamanho até 3 vezes menor.

A digestão da carniça é feita com o auxílio de um suco gástrico concentrado, com alto poder ácido para decomposição da matéria ingerida. Assim, o conteúdo do estômago de um urubu pode chegar a ter cem vezes mais acidez do que o estômago humano.

Isso não só é importante para a digestão do animal, como também para a sua defesa. Nesses compostos ácidos presentes no estômago da ave, são combatidos bactérias e até mesmo vírus, como o da hidrofobia, que podem ser letais ao organismo humano e a outros animais. Desta forma, o urubu é um animal resistente até mesmo às mais terríveis doenças como o antraz.

Urubu rei

Espécies de urubu

Além do urubu rei, há muitas outras espécies de urubu de porte menor. Os tipos de urubu podem diferir no seu tamanho, região onde vivem e em muitos outros aspectos. Dessa forma, em geral, os urubus passam horas sobrevoando, aproveitando as correntes de ar de grandes alturas para gastar o mínimo necessário de energia.

Eles podem voar tão alto que chegam ao fim da atmosfera terrestre. Inclusive, muitos acreditam que eles fazem este voo quando estão próximos do fim do seu ciclo de vida.

Existe o urubu de cabeça preta, o qual é muito parecido com o urubu rei quando jovem. O nome científico é Coragyps atratus.

Além disso, o urubu de cabeça amarela também é uma ave muito interessante pertencente aos Cathartiformes. Há também o urubu de cabeça vermelha, compondo o grupo dos animais pertencentes ao território brasileiro.

Acredita-se que estas aves podem estar em drástica diminuição de sua população devido aos baixos índices de reprodução. No entanto, há outros fatores que contribuem para que não seja comum avistar estas espécies sobrevoando em muitos lugares.

O mais associado é o seu nicho ecológico e habitat, que são regiões de grandes altitudes. Porém, sabe-se que a destruição de ambientes naturais, desmatamentos e também introdução de novas espécies exóticas podem afetar o número de indivíduos de uma população. Ademais, podem ser prejudicados pela escassez de alimentos.

Portanto, é importante preservar a existência da espécie enquanto esta é fundamental para a manutenção dos ecossistemas. Apesar de estigmatizado como mau agouro em muitas regiões do Brasil por ser uma espécie necrófaga, o urubu rei tem seu papel.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo