Abóbora tem boa fama entre os nutricionistas e os agricultores

Inicio » Agricultura » Abóbora tem boa fama entre os nutricionistas e os agricultores
10/05/2019 Por
Abóbora tem boa fama entre os nutricionistas e os agricultores

Entenda por quê a abóbora é tão procurada por consumidores e produtores

A abóbora é um alimento conhecido não só no Brasil, mas em todo o mundo. Sua utilização para fins culinários e fins medicinais vem desde as civilizações dos Maias, dos Incas e dos Astecas. No entanto, no Brasil o início das culturas se deu por iniciativa de outros imigrantes. Assim, o cultivo foi se espalhando pelas regiões brasileiras, sendo introduzido nas mais diversas receitas, sendo doces e salgadas.

Além disso, os benefícios que a abóbora traz são muitos, tanto para o corpo do consumidor quanto para os agricultores e produtores que desejam acrescentar o item no plantio. Este alimento é rico em nutrientes e vitaminas que ajudam no bom funcionamento do organismo, além de servir como alimentos para alguns animais também. Já para o produtor, o custo benefício deste investimento é alto e traz muitas vantagens aos negócios.

Abóbora

O que é abóbora?

Abóbora ou jerimum é o nome dado ao fruto da aboboreira, que é um tipo de planta do gênero Curcubita e da família das Cucurbitáceas – mesma família das melancias, dos melões e dos chuchus. Essa fruto é cultivado em todas as partes do mundo. No entanto, é um alimento muito nutritivo e saboroso, além de também ser usado para fins ornamentais.

Ela pertence ao grupo das mais pesadas e maiores frutas do mundo. Assim, é nativa da América do Norte e geralmente se refere a cultivares de qualquer uma das seguintes espécies:

  • Cucurbita pepo;
  • Cucurbita mixta;
  • Cucurbita máxima;
  • Cucurbita moschata.

Sendo assim, a taxonomia da abóbora consiste em:

  • ReinoPlantae;
  • DivisãoMagnoliophyta;
  • ClasseCucurbitales;
  • Família: Cucurbitaceae;
  • Subfamília: Cucurbitoideae;
  • Gênero: Cucurbita.

Origem da abóbora

Alguns pesquisadores acreditam que este fruto é natural do México e do Sul dos Estados Unidos. Acredita-se também que ela fazia parte dos alimentos pertencentes à alimentação das civilizações Asteca, Inca e Maia.

Em solo brasileiro, as abóboras são cultivadas há muito tempo e anteriormente já faziam parte da alimentação base dos povos indígenas antes mesmo de acontecer sua colonização.

No século XIX, quando os imigrantes italianos e alemães chegaram no Brasil, trouxeram sementes de abóboras de suas próprias seleções. Dessa forma, esses imigrantes passaram a cultivar nos solos brasileiros as espécies de abóboras que eles já haviam cultivado em seus países de origem, ou seja, espécies que já faziam parte de suas culturas.

Devido a isso, é possível encontrar no Brasil diversas espécies do fruto, nativas tanto das culturas dos imigrantes quanto de alguns agricultores brasileiros que ainda possuem suas variedades crioulas de abóboras.

Abóboras crioulas são aquelas desenvolvidas pelos próprios agricultores a partir de uma seleção de plantas. Dessa forma, essa seleção vai se formando ao longo do tempo e sendo separada. E então, suas sementes são passadas de geração para geração, além de também terem a possibilidade de serem trocadas entre vizinhos, familiares ou comunidades, por exemplo.

As principais espécies de abóboras crioulas presentes no Brasil são:

  • Cucurbita maxima;
  • Cucurbita moschata.

Todas elas possuem polinização cruzada, ou seja, há frutos dessas espécies encontrados em texturas, formas e cores diferentes.

Cucurbita maxima

São os tipos arredondados com grande diversidade de tamanho, textura da casca e formato. Os principais nomes dados à esta espécie são:

  • Abóbora crioula;
  • Abóbora cogumelo;
  • Abóbora coração de boi;
  • Abóbora gaúcha;
  • Abóbora moranga.

Os frutos desta espécie têm origem no Peru, no Norte da Argentina e na Bolívia. Além disso, são elas classificadas como os principais vegetais base da alimentação dos Incas, Maias e Astecas.

No entanto, no Sul e Sudeste do Brasil, este tipo é chamado de abóbora moranga. Enquanto na região Nordeste é conhecido como jerimum ou jerimum caboclo. O termo é de origem tupi e significa “pescoço escuro”.

Cucurbita moschata

São os tipos arredondados com pescoço, conhecidos como:

  • Abobrinha;
  • Abóbora de pescoço;
  • Abóbora menina.

Esses tipos servem como uma reserva importante de alimentos para animais, como, por exemplo, os suínos e bovinos.

No Nordeste do Brasil ela é conhecida como abóbora de leite ou jerimum de leite.

Os frutos desta espécie têm origem na Colômbia, no Peru, no Sudeste do México e na América Central.

Elas são muito utilizadas no preparo de pratos culinários, como, por exemplo:

  • Pratos doces: em pasta, em calda e sobremesas especiais (doce de abóbora);
  • Pratos salgados: sopas, assados, kibes, hambúrgueres, entre outros.

Abóbora

Tipos de abóbora

Os principais tipos de abóbora encontrados no Brasil são:

  • Abóbora moranga: consiste no fruto com a polpa mais macia e com o sabor mais delicado. Sua casca dura serve como recipiente em alguns pratos culinários, como para cremes e sopas feitos com seu miolo, por exemplo. Um destes pratos é o camarão na moranga.
  • Abóbora cabotiá ou japonesa: consiste no fruto de uma espécie híbrida, na verdade é a junção das espécies moranga e menina brasileira. Sua casca é porosa, muito adequada para pratos salgados e, além disso, possui mais teor de fibra em comparação aos outros tipos.
  • Abóbora paulista: consiste em um fruto comprido, muito parecido com a abobrinha. Ela pode ser preparada refogada, em sopas, doces e recheada.
  • Abóbora de pescoço ou menina brasileira: consiste em um fruto que pode pesar cerca de 15 a 20 quilos e chegar até um metro de comprimento. Por isso, na maioria dos casos ela é encontrada sendo vendida em porções. Além disso, sua textura é fibrosa, além de ser usada no preparo de doces no geral, bolos e pães.

Características das abóboras

As abóboras geralmente possuem um formato arredondado e achatado. Sua coloração vai do laranja avermelhado, enquanto há espécies que possuem cor amarela, branca, cinza e verde escuro. Sua casca é lisa e grossa, às vezes com algum relevo mínimo. Já as suas sementes são pequenas e também lisas.

Plantação de abóbora

Os maiores produtores mundiais de abóbora são:

  • Estados Unidos;
  • Índia;
  • China;
  • México.

O plantio de abóboras é feito especialmente em clima quente, com temperatura entre 20°C a 35°C. Isso pois todas as espécies deste fruto são mais sensíveis às geadas, capazes de não sobreviverem a temperaturas inferiores a 10°C.

Além disso, elas precisam de um solo adequado que seja bem drenado e bem profundo. A preparação do solo é uma das etapas mais importantes para melhores resultados. A adubação deve ser feita aproximadamente dois meses antes de iniciar o plantio, quando o solo deverá receber os tratamentos e receber a primeira quantidade para o cultivo.

Em áreas muito grandes geralmente divide-se o solo em glebas (partes), com análises diferentes para cada parte separada. Isso acontece pois os lugares podem precisar de adubações específicas de acordo com suas particularidades e características.

Além disso, são recomendadas duas aplicações de fertilizantes, uma 20 dias depois da germinação e a outra 40 dias após a germinação. Recomenda-se também que o terreno seja extenso e plano, para que os frutos cresçam e desenvolvam-se sem dificuldades.

O plantio de abóbora deve ser feito depositando as sementes diretamente no solo ou apenas cultivando mudas, que são colocadas em copinhos ou pequenos vasos de plástico ou de papel. Caso opte pela técnica com as sementes, deve-se colocar de duas a três delas por cova, com aproximadamente 45 cm de profundidade. Já na técnica com as mudas, é recomendado tirá-las do vaso e colocá-las sobre a terra após o surgimento das duas primeiras folhas.

A rentabilidade deste tipo de plantio é muito alta. O fator resultante disso está ligado ao fato dela ser um dos produtos agrícola exportados pelos Brasil.

O investimento médio de produção por hectare varia de 7 mil a 8 mil reais. Nestes valor está incluso a mão de obra, o maquinário e os insumos. Muitas vezes os produtores não precisam gastar muito com agroquímicos e defensivos.

Propriedades da abóbora

As principais propriedades da abóbora estão no fato dela ser uma rica fonte de carboidratos complexos, que proporcionam saciedade por tempo maior e possui poucas calorias, o que então acaba ajudando na perda de peso.

Além disso, é um alimento fonte de fibras, zinco, manganês, vitamina C, proteínas, potássio, ferro e cálcio.

Benefícios da abóbora

O consumo de abóboras favorece a perda de peso e o controle do colesterol. Ela é uma fonte de fibras, vitaminas e minerais, além de agir com um antioxidante natural, resultando no rejuvenescimento do corpo, benefício contribuído também pela presenta alta de beta-caroteno, que ajuda no retardo do processo de envelhecimento precoce e na prevenção do câncer de próstata.

Os fitoesteróis, por exemplo, compostos encontrados em suas sementes, ajudam a estimular a divisão de algumas substâncias químicas no corpo que agem como inibidores no processo de transformação da testosterona em di-hidrotestosterona.

Abóbora

Sua polpa e suas sementes possuem quantidades altas de beta-caroteno com efeitos anti-inflamatórios. Por isso, seu consumo frequente, com ao menos 2 vezes na semana, pode impactar diretamente na prevenção de artrite, inflamação nos tendões e dores nas articulações.

Alguns nutrientes ajudam na saúde da pele, mantendo mais saudável, mais suave e mais macia, como, por exemplo, o alto teor de vitaminas da abóbora, a A, B, C e E, assim como o zinco e alguns outros. Por isso sua polpa é usada em muitos processos de tratamentos de pele e máscaras.

Além disso, ela é muito usada com fins medicinais pois é indicada para combater inflamação das vias urinárias, infecções dos rins, inflamação do baço e fígado. Assim, a abóbora também é classificada como um vermífuga, anti-febril, estomáquica, hepática e usada com frequência para combater a náusea. Por possuir alto teor de fibra, é indicada para pessoas com problemas digestivos umas vez que ajuda na boa digestão.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo