Álcool é versátil e pode ser utilizado em diversas indústrias

Inicio » Agronegócio » Álcool é versátil e pode ser utilizado em diversas indústrias
03/05/2019 Por
Álcool é versátil e pode ser utilizado em diversas indústrias

O álcool é um elemento químico utilizado na fabricação de combustíveis, cosméticos e bebidas

O álcool é um composto químico muito conhecido por diversas indústrias. Em sua forma mais pura, o elemento é de caráter inflamável, esterilizante, incolor e não contém odor. É possível observar a presença deste produto tanto no momento de abastecer um automóvel – como é o caso dos biocombustíveis – assim como na hora de fazer a limpeza de um ambiente. O produto é capaz de eliminar bactérias e, portanto, consegue manter ambientes esterilizados.

A função do álcool não se reduz em apenas uma, pois o elemento é altamente versátil e pode ser encontrado em milhares de produtos. O maior diferencial das mercadorias que o contém em seu composição é a taxa de concentração em cada um deles. O nível em ele está presente em cada composição é o que determina as características e o seu uso. Desta forma, o álcool que é utilizado para a limpeza de ambientes não pode ser o mesmo que abastece veículos, por exemplo.

O álcool em gel é usado para esterilizar as mãos

O que é álcool?

O álcool é um composto orgânico quem contém em sua estrutura química uma ou mais hidroxilas ligadas em um carbono saturado. Existem diversos tipos de álcool como, por exemplo: o etanol, combustível, esterilizante e o solvente; e ele também é o composto principal de bebidas alcoólicas. Entre as suas características principais, o álcool é uma substância incolor, de caráter inflamável e sem cheiro.

A principal fonte de extração do composto no Brasil é a cana-de-açúcar. Entretanto, também pode ser utilizada a mandioca, beterraba e o milho. O álcool, quando em concentração acima de 70%, é utilizado para estilização. Além disso, ele pode ser encontrado em forma líquida em produtos de limpeza ou em forma de gel para as mãos.

Além dos tipos mais comuns de álcool, existe também o de teor 70%. Este tipo de produto é muito versátil, mas deve ser manuseado com cautela. O álcool 70 contém propriedade de caráter microbicida, que é responsável pela eliminação de bactérias que causam infecções. Por isso, ele é comumente utilizado como antisséptico para as mãos, assim como para a limpeza de ambientes e de utensílios médicos e hospitalares.

Ele é um produto altamente inflamável, pois contém etanol em sua composição. Deste modo, qualquer estímulo de contato pode causar sua combustão. De modo geral, ele é comercializado perfumado para a limpeza de ambientes, tendo adicionada uma essência que torna o odor mais agradável. Contudo, o álcool do tipo perfumado não é recomendado para atividades de estilização.

Quais são os tipos de álcool

Existem quatro principais tipos de álcool: etanol, metanol, propanol e álcool anidro. Cada um destes compostos são conhecidos por uma funcionalidade no mercado; eles podem ser encontrados tanto no formato de combustíveis como para higienização pessoal.

  • Etanol

O etanol, também denominado de álcool etílico, é muito encontrado como combustível para veículos. Em razão da forma como ele é produzido, a partir da cana-de-açúcar, ele é um tipo de biocombustível. Além de sua produção não demandar uma fonte esgotável (petróleo), ele é consideravelmente menos poluente para o meio ambiente.

Outro ponto sobre este tipo de álcool é que, em menores taxas de concentração, ele está presente em muitas composições de bebidas alcoólicas como, por exemplo: cervejas, vinhos e cachaças.

  • Metanol 

O metanol é um tipo de solvente industrial, por isso, ele é altamente tóxico. Apesar de ser classificado como álcool, sua fórmula é diferente dos demais, ele é do tipo metílico. Desta forma, ele ainda assim pode ter uso em combustíveis para automóveis, contudo, não pode ser acrescentado em bebidas devido á toxidade.

  • Propanol 

O propanol, ou também denominado de isopropílico, é um tipo de álcool utilizado para limpeza, em especial de produtos eletrônicos. Assim como o metanol,  ele contém um caráter tóxico e inflamável, por isso, ele só pode ser manuseado por profissionais.

  • Álcool anidro

O álcool anidro é uma espécie de etanol em seu estado mais puro. Ele é geralmente acrescentado à gasolina como forma de reduzir os gastos do combustível. O Brasil utiliza uma cerca de 20% de anidro combinado com o etanol para formar a mistura. C

omo forma de atingir esta pureza, o etanol deve passar por um processo de desidratação – ocorre no momento em que existe uma destilação do tipo fracionada. Em outras palavras, toda a água do produto é evaporada e, portanto, separada do álcool. Desta forma, em sua composição existe apenas 1% de água.

O álcool está presentes nas bebidas

Diferença entre o álcool do carro e o álcool das bebidas

O maior diferencial entre estes dois componentes é o teor alcoólico de cada um, ou seja, a quantidade álcool presente em cada substância.

O etanol (álcool utilizado em veículos) contém alguns aditivos em sua composição para se tornar mais eficaz. Isso inclui, por exemplo: zinco, cobre e metanol. Estes elementos fazem com o que o combustível seja altamente tóxico para o organismo humano.

Por outro lado, o álcool de bebidas é produzido de forma pura e sem a adição de demais elementos que possam interferir em seu teor alcoólico. A média da porcentagem deste elemento das bebidas é de 6% até 15%.

O produto com a maior concentração de álcool do mercado contém cerca de 80%, é uma cachaça nobre, tratada e destilada para não prejudicar o organismo da maneira que um combustível poderia.

Por este motivo, todos os tipos de álcool que não são específicos para o consumo, não conseguem ser dirigidos ou metabolizados pelo fígado. Este acúmulo de substâncias tóxicas pode levar à óbito por conta dos componentes inflamáveis.

Produção do álcool no Brasil

O Brasil é a segunda nação mundial que mais produz combustível, atrás dos Estados Unidos. A produção do álcool no país é feita, em grande parte, através da cana-de-açúcar. Este tipo de atividade teve início em 1920 por meio de experiências na adição de etanol na gasolina.

Anos mais tarde, na década de 70, foi instituído no Brasil o Programa Nacional do Álcool com o objetivo de reduzir a dependência do país com o petróleo importado. Este revolução causou impacto no mundo dos automóveis, gerando a criação de carros flex. Além disso, resultou em uma densa redução dos compostos químicos gerados, pois proporcionou a utilização de um biocombustível.

As fases da produção do etanol

Como forma de produzir este tipo de álcool, é necessária uma grande produção da cana no campo rural. O investimento nesta agricultura demanda força de trabalho qualificado ou maquinários para a colheita. A planta contém um ciclo produtivo rico, podendo sem cortada até cinco vezes em seis anos.

Entretanto, em sua fase de desenvolvimento, demanda algumas operações específicas como, por exemplo: calagem, eliminação da soqueira, terraceamento, pulverização de herbicidas, entre outras etapas.

  • Da colheita até o melaço

Após a fase da colheita, o produtor deve moer a cana-de-açúcar em usinas como forma de liberar o caldo, conhecido também como garapa. Este líquido produzido contém um alto teor de sacarose e é consumido em diversas regiões do Brasil, em especial no Nordeste brasileiro. Entretanto, para a produção do etanol, a garapa segue para uma área de super aquecimento que pode atingir até 105ºC, produzindo o melaço. Nesta segunda etapa, é importante que o caldo do produto esteja o mais puro possível.

  • Fermentação

Em seguida, o melaço é levado para uma câmara em que sofre a fermentação. Nesta etapa o líquido gera a inoculação de microorganismos, ou seja, gera o crescimento da bactéria saccharmoyces cerevisae. Uma vez em contato com a sacarose, a bactéria produz enzimas denominadas de invertase; elas atuam como catalizadoras na reação e geram glicose e frutose.

  • Destilação

O último passo para a produção deste tipo de álcool é a destilação. Este processo demanda a separação de componentes homogêneos e, então, é formada uma substância com 96% de etanol e 4% de água. Depois desta etapa, o produto está pronto para seguir às indústrias de combustível e abastecer os automóveis do tipo flex.

Diferença entre álcool líquido e álcool em gel

O álcool líquido, assim como já dito, é um produto altamente explosivo e inflamável, por isso, queima facilmente quando em contato com qualquer atividade de contato. Por outro lado, a versão em gel pode até ser hidratante para a pele, dependendo de como for produzida.

Suas características inibem um teor de explosividade; assim como, o produto em gel têm seu caráter inflamável bem controlado mesmo perto de fogo.

O álcool dos combustíveis

Os dois tipos de álcool não são tóxicos para a pele, sendo o em gel utilizado na fabricação de produtos cosméticos. Uma vez o produto líquido derramado em um local com chamas, é facilmente propagado e aumenta a quantidade de toxinas. Em outro ponto, o em gel mantém o fogo localizado, pois inibe o caráter de propagação.

Em razão dos ricos de manuseio acerca do álcool em seu estado líquido, agentes de controle mantém sua venda de forma mais controlada e reduzida em diversos países da Europa; podendo ser somente comercializado em farmácias na forma de medicamento. Por outro lado, o produto em gel ou em seu estado sólido é completamente liberado para vendas há mais de 25 anos. São justamente suas características de segurança e vantagens de uso que proporcionam uma grande praticidade.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo