Veneno deixa de ser nocivo quando utilizado em quantidades adequadas

Inicio » Agricultura » Veneno deixa de ser nocivo quando utilizado em quantidades adequadas
25/03/2019 Por
Veneno deixa de ser nocivo quando utilizado em quantidades adequadas

Até que ponto o veneno é visto como nocivo aos seres vivos?

O veneno pode ser usado tanto no meio animal, vegetal ou humano. Quando aplicado em grandes quantidades seu efeito pode ser nocivo, mas quando utilizado em doses adequadas, pode trazer benefício aos seres humanos e ao desenvolvimento das atividades praticadas na agricultura.

Tudo que diz respeito ao veneno deve ser consultado e analisado antes mesmo de seu uso, evitar seu uso de forma intensiva e desnecessária contribui para que os objetivos de sua utilização sejam cumpridos corretamente; focando também na saúde humana, dos animais e das plantas.

Veneno artificial em frascos

O que é veneno?

Veneno é nome dado a qualquer substância tóxica, em estado gasoso, sólido ou líquido, que é responsável por gerar tipos de enfermidades, lesões ou acarretar modificações no organismo. Isso acontece por meio do contato direto da substância com um ser vivo, através de reações químicas com as moléculas que compõem o organismo.

Os venenos podem ser mortais em quantidades específicas, quando ingeridos, inalados, absorvidos ou injetados através da pele, e não possuem funções terapêuticas. Além disso, os principais tipos de veneno são:

  • Animal: através da mordedura de animais venenosos;
  • Vegetal: através de plantas com substâncias venenosas;
  • Mineral: minérios com quantidade significativa de substâncias tóxicas;
  • Artificial: substâncias desenvolvidas pelo homem para uso industrial.

Intoxicação venenosa

A introdução de uma substância tóxica no organismo envolve o veneno, o organismo intoxicado, os danos para as células moleculares e os sinais, sintomas ou, até mesmo, a morte. A intoxicação inicia-se quando o organismo fica em exposição ao agente tóxico.

Quando determinada quantidade (ou dose) é aglomerada nas células, a lesão resulta em modificações em sua estrutura ou em sua funcionalidade. Os agravos e um possível óbito causados pelo envenenamento são determinados, de modo geral, pela quantidade de veneno que foi introduzido no organismo.

Os venenos sólidos, para serem absorvidos com maior facilidade pelo sangue, são diluídos em algum líquido aquoso. Já os venenos líquidos são absorvidos através da pele, por ingestão ou inalação. Substâncias gasosas, em temperatura ambiente, são absorvidas facilmente por inalação. Alguns tipos de aerossóis também são considerados exemplos de venenos.

Os venenos químicos podem ser classificados como metálico ou não metálico, inorgânico ou orgânico. Venenos metálicos têm maior dificuldade em sair do corpo e por se acumularem em maiores proporções, podem provocar níveis mais intensos de toxicidade.

Venenos orgânicos, por serem solúveis em lipídios, são absorvidos pelas membranas celulares mais facilmente, quando comparados com os venenos inorgânicos.

Uma das características do veneno é a alta capacidade de assemelhar-se a estrutura de moléculas específicas importantes nas células. Através de reações químicas ele substitui as moléculas presentes nas células e anulam as funções celulares essenciais.

Dessa forma, o envenenamento atinge principalmente:

  • O sistema nervoso;
  • O sistema cardiovascular;
  • O sistema reprodutivo;
  • O sistema imunológico;
  • Os pulmões;
  • O fígado;
  • Os rins.

Os venenos nocivos

Os venenos, sejam de origem animal, vegetal, mineral ou artificial, são prejudiciais quando absorvidos em altas quantidades.

O cianureto – ou cianeto – , por exemplo, tem origem vegetal proveniente da mandioca. Seu envenenamento pode ser através de inalação ou ingestão, em forma de gás ou de pó. Ele age destruindo as células do sangue, resultando na parada respiratória e enfraquecendo o centro do sistema nervoso. É um tipo de veneno que também pode ser sintetizado em laboratórios. Foi usado após o período da II Guerra Mundial no suicídio de muitos nazistas.

A estricnina, também de origem vegetal, pode contaminar através da ingestão, do contato com a pele ou por inalação, em forma de pó. Geralmente, é um veneno usado para matar animais, como os ratos. Sua intoxicação pode resultar em convulsões, contrações musculares e óbito. Também sintetizada em laboratórios, já foi muito usada por atletas servindo de anabolizante.

O sarin, produzido em laboratório, contamina através da inalação, em forma de gás. Quando entra em contato com o organismo, resulta no enfraquecimento dos músculos, em parada respiratória e cardíaca.

A ricina é de origem vegetal, consiste em uma proteína encontrada nas sementes da mamona. Seu envenenamento é através da inalação ou ingestão. Ela resulta em dores no estômago, quadros de vômitos com sangue e diarreia.

Já a toxina botulínica, de origem bacteriana, pode causar o envenenamento através de ingestão ou inalação. Consiste em um dos venenos mais perigosos, principalmente quando comparada aos venenos de cobras. Ela resulta em paralisia dos músculos respiratórios e óbito. Tudo dependerá da quantidade absorvida. Por exemplo, este veneno pode ser usado em pequenas doses para realizar tratamentos estéticos, como o botox.

Veneno agrícola

Veneno: uso de pesticida nas lavouras

Muitas vezes chamados de agrotóxicos, pesticidas ou defensivos agrícolas, os venenos agrícolas são usados com o intuito de proteger os plantios de ataques de agentes nocivos ao crescimento e desenvolvimento das culturas.

O veneno agrícola pode ser classificado de acordo com os tipos de pragas, por exemplo:

  • Inseticidas: são usados para controlar o ataque de insetos;
  • Acaricidas: usados no combate aos ácaros;
  • Fungicidas: são usados contra os fungos;
  • Nematicidas: venenos usados para combater os nematóides;
  • Herbicidas: utilizados no combate à ervas daninhas.

Antes da utilização, é necessário que os agricultores consultem engenheiros agrônomos para saberem a quantidade exata a ser usada, qual o melhor tipo, por qual período, entre outras prescrições.

Seu uso, quando aplicado adequada e corretamente, auxilia na alta produtividade e na rentabilidade das plantações. Assim, a utilização de defensivos agrícolas é importante para a produção de alimentos, uma vez que auxilia em produzir mais em menos tempo e minimiza relativamente os custos.

Envenenamento por plantas

Algumas espécies de plantas possuem quantidades relativas de substâncias tóxicas. Essas substâncias têm a responsabilidade de proteger o desenvolvimento e crescimento das plantas contra alguns bichos, como os predadores.

Em casas e jardins, por exemplo, é importante que se note e observe a presença de plantas tóxicas. Algumas plantas híbridas que crescem fora de seu habitat natural podem desenvolver um aumento na quantidade de substâncias nocivas.

Veneno: maçã com fungos

O contato direto com plantas venenosas pode acontecer de muitas formas. Espécies de animais pecuaristas, por exemplo, são submetidos às plantas tóxicas por viverem em pastos que as contêm. No entanto, eles possuem maior resistência já que são capazes de desenvolverem mecanismos de defesa contra esse tipo de substância.

O envenenamento de animais pela ingestão de plantas tóxicas pode acontecer pela ausência de cuidados adequados no manejo. Ao serem colocados em novos ambientes de pasto, esses animais, quando estão com sede e fome, acabam consumindo espécies de plantas venenosas.

Dessa forma, o grau de toxidade do veneno encontrado nas plantas pode acarretar na perda de peso dos animais, além de causar aborto, deficiências congênitas, doenças crônicas e enfraquecimento dos bichos. Dependendo da quantidade, a ingestão desse tipo de veneno pode levar o animal a óbito.

Tags: ,

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo