Algodão é produto de importância econômica internacional

Inicio » Agricultura » Algodão é produto de importância econômica internacional
12/03/2019 Por
Algodão é produto de importância econômica internacional

O cultivo do algodão começou no Egito e rapidamente se espalhou pela Europa e Américas

O cultivo de algodão é uma das práticas mais populares do mundo. Desse modo, as primeiras produções aconteceram a aproximadamente sete mil anos atrás, no continente africano.

Após isso, o algodão se disseminou por grande parte da Europa e da América do norte, de modo na qual, naquela época, o seu cultivo estava diretamente relacionado a mão de obra escrava.

Plantio de algodão

O que é o algodão?

O algodão é um tecido de cor branca que cresce ao setor das sementes no campo. Sua versatilidade faz com o vegetal seja bastante popular dentro da indústria têxtil, por exemplo. Dessa maneira, se concretizando com um dos produtos naturais mais utilizados em todo o mundo.

Hoje, o cultivo de algodão é essencial para o desenvolvimento da economia brasileira, uma vez que o país encabeça a lista de maiores produtores do mundo. A região que mais se desenvolve no ramo é a do cerrado.

Embora o desenvolvimento seja eminente, é necessário manter a plantação de algodão em modo crescente, pois só dessa forma o país continuará sendo um dos maiores desenvolvedores do ramo.

História do algodão

Historicamente, o vegetal é um dos mais antigos de toda a humanidade. Muito usado no Egito antigo – há cerca de cinco mil anos. Passado isso, o algodão só foi se disseminar no mil anos na Europa, por consequência disso, na América.

Nos Estados Unidos, a mão de obra barata era muito utilizada na produção de algodão, para assim dar total lucro aos senhores de engenho que ali viviam. Mesmo com o trabalho de forma incorreta, o desenvolvimento do país norte americano aconteceu, consolidando o país com um dos maiores produtores do setor.

Visto isso, o país inovou tecnologicamente no modo de extrair as sementes do algodão. Durante o ano de  1972, Eli Whitney foi responsável por criar um equipamento capaz de remover as sementes dos algodões. Desse modo, ajudando no tempo de trabalho e também o tornando menos manual.

História do algodão no Brasil

No Brasil, o algodão era popular entre os povos indígenas, muitos antes do país se descoberto pelos portugueses. Por isso, seu uso era muito comum na produção de redes e cobertores. E todo esse trabalho era feito da mesma forma que nos dias de hoje, conversão de algodões para fios.

Além disso, a planta que gerava o algodão também tinha a finalidade de consumo e de cura. Seu uso medicinal era bastante comum, servindo para ajudar na cicatrização de feridas.

Anos passaram, ocorreu a colonização do país e então o algodão cru passou a ser um mercado expoente no país. A região nordestina foi a primeira a abrir negociações com outros países da Europa, enxergando valor econômico na produção.

Nesse período, o mercado foi evoluindo de forma significativa, chegando a principal capital do país, São Paulo. Todavia, com a alta procura por terra e a disputa com outras áreas de crescimento, negociadores decidiram migrar para o centro-oeste brasileiro.

Plantio de algodão

Tipos de algodão

Dentro de um mercado tão grande quanto ao de algodão, é comum existirem diferentes tipos e cada um atendendo uma necessidade de mercado. Visto isso, os principais tipos são:

  • Egípcio: É o vegetal mais popular da indústria. Considerado produto de alto valor, o algodão egípcio é utilizado na produção de jogos de cama e peças íntimas. Isso acontece por conta da qualidade de seus fios, que torna o produto mais macio e sedoso.
  • Pima: É tão bom quanto o egípcio, porém a diferença fica por conta da transformação genética que este passou para chegar a um nível maior. Sua utilização está relacionado a produtos de cor creme, dando variedade a indústria.
  • Acala: Por ser um algodão mais rústico, é recomendado o uso na produção de calças e camisetas, já que esse tipo de produto não necessita de material com uma quantidade maior de fios.
  • Upland ou anual: Sua versatilidade é importante para o equilíbrio do mercado, uma vez que a textura desse algodão permite a confecção de roupas ou até mesmo jogos de cama. Nesse caso, se tornando acessível a pessoas com situação financeira inferior.

Plantação de algodão

O plantio dos algodões é a principal etapa para que ele se desenvolva da maneira correta até o momento de sua colheita. Sendo assim, as principais etapas são:

  • Preparo de solo: Antes de aplicar as sementes ao solo, é necessário contratar equipes especializadas em checagem de solo, para procurar possíveis problemas que atrapalhariam a produção do algodão.
  • Época de plantio: É importante cuidado neste período, pois o descuido acarretará prejuízos. Por ser um país tropical, os algodões tem bom desenvolvimento no Brasil. Entretanto, em seu estágio inicial – quando ainda frágil, é necessário que os algodões sejam plantados em clima de calor, pois a chuva atrapalhará o plantio.

Exportação de algodão

A tendência de mercado é que o número das exportações brasileiras de algodão aumente com o passar dos anos. Esse feito é possível por conta da consolidação que ocorreu no país durante as décadas passadas.

O Brasil tem espaço para amplo crescimento, e isso pode ser importante para desenvolver diferentes áreas de todo o setor. Segundo a Associação Nacional dos Exportadores de algodão – ANEA, o país poderá crescer até 35% mais em 2019. Esse número é baseado numa série de análises das exportações anteriores, análise que deu para criar um panorama geral sobre a crescente no número das vendas para fora.

Algodão

Hoje, o Brasil ranqueia a lista de maiores exportadores de algodão. Ficando atrás apenas da China e dos Estados Unidos. Entretanto, o Brasil é o segundo país tem o maior índice de crescimento anual, feito que futuramente pode colocá-lo na segunda posição geral.

Encabeçar uma lista tão importante quanto a mundial não é fácil, já que para estar lá é necessário que padrões produtivos sejam mantidos por um longo período de tempo.

O principal empecilho nos lucros dos fazendeiros são as pragas presentes no solo. Por isso, o controle com o uso de agroquímicos pode ser crucial para manter o número de produções lá no alto. Por fim, o algodão é importante historicamente e economicamente. Sua funcionalidade além de versátil, gera empregos em grande parte do campo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo