Amaranto reúne nutrientes importantes e é indicado para celíacos

Inicio » Agricultura » Amaranto reúne nutrientes importantes e é indicado para celíacos
29/10/2019 Por
Amaranto reúne nutrientes importantes e é indicado para celíacos

A produção nacional de amaranto começou nos anos 1990 e se concentra na região Sul do Brasil

Dados do início da década de 2010 apontam que a demanda no Brasil pelo grão de amaranto é de 15 a 20 toneladas anuais, muito acima da produção interna de 8 toneladas. Ou seja, o Brasil historicamente precisa importar no mínimo a metade do consumo anual de amaranto.

O grão de amaranto é conhecido por ser um alimento balanceado com proteínas de alto valor biológico. Proporciona diversos benefícios ao organismo, além de ser muito versátil, pois pode ser consumido de diversas formas.

amaranto

O que é amaranto?

Amaranto é um grão da família Amaranthaceae e tem origem peruana. Era usada pelos povos incas e astecas em cerimônias religiosas. Por isso, também é conhecido como “Feijão dos Andes”.

Esse grão se destaca por ter nutrientes balanceados. E o que isso significa?

Temos alimentos que são conhecidos por serem ricos de determinados nutrientes, mas pobres em outros. Exemplo: uma fruta pode ser rica em vitamina C, mas pobre em fibras, ou seja, temos um alimento desbalanceado, que apresenta pico de um nutriente específico, mas deficiência em outro.

Já o alimento balanceado é o oposto. Ele apresenta porções de vários nutrientes na mesma proporção. Certamente esse equilíbrio o gabarita para figurar na lista dos nutricionistas na programação alimentar considerada ideal.

Outro aspecto que torna o consumo de grão de amaranto altamente recomendável para dietas é o fato de conter proteínas de alto valor biológico. E o que seriam essas proteínas?

São proteínas que não são produzidas naturalmente pelo corpo humano, mas necessárias para o desenvolvimento e manutenção do mesmo. A produção dessas proteínas necessita da combinação de elementos presentes no organismo com elementos externos, introduzidos por meio da alimentação.

Quais são os nutrientes presentes no grão de amaranto?

O amaranto é rico em cálcio, magnésio e fósforo. Essa combinação é perfeita para fortalecimento dos ossos e dentes. No entanto, apesar de ser mais balanceado que o leite, não pode substituir o alimento de origem animal, como alguns chegam a fazer e a supor.

O consumo diário recomendado de amaranto é de 45 gramas. Essa porção apresenta somente 72 mg de cálcio, bem abaixo de uma xícara de leite, que chega a apresentar 290 mg. Ou seja, a matemática não fecha nesse caso.

Outro nutriente do grão de amaranto é o ferro, propriedade importantíssima para evitar e combater a anemia. Ainda podemos destacar o zinco, que auxilia na ação de diversas enzimas do organismo, fortalecendo, dessa forma, o sistema imunológico.

Para os que enfrentam problemas na balança, o amaranto pode ser incluído na alimentação diária por ser fonte de fibras.

amaranto

Recapitulando os principais nutrientes do amaranto:

  • Cálcio;
  • Magnésio;
  • Fósforo;
  • Ferro;
  • Zinco;
  • Fibras;
  • Vitamina C.

Outros nutrientes importantes:

  • Vitaminas do complexo B;
  • Vitamina E;
  • Potássio;
  • Sódio;
  • Tiamina;
  • Lipídeos;
  • Proteínas.

Benefícios do amaranto

Como citado acima, o grão de amaranto é uma boa solução para enfrentar problemas relacionados à má alimentação, como a anemia, pois é fonte rica de ferro.

É recomendável para ser introduzida em dietas por conter boa quantia de fibras. As fibras causam o efeito de saciedade, isto é, a sensação de corpo bem nutrido mesmo consumindo baixa quantidade de calorias – ao menos em porção menor do que a habitual.

Outro dos benefícios do amaranto proporcionado pelas fibras é a regulação do intestino, do trânsito intestinal.

Consumir amaranto também é útil para controlar a pressão arterial. Isto porque o grão contém substâncias que inibem as enzimas que elevam a pressão arterial.

O grão ainda é um alimento indicado para os que pretendem e necessitam desenvolver mais massa muscular. O ganho de massa ocorre principalmente em razão das proteínas presentes no amaranto.

As proteínas têm capacidade de regenerar microlesões dos músculos, problema rotineiro em treinos físicos, e também gerar novas células musculares.

Bom para os celíacos

O amaranto é um verdadeiro aliado para os celíacos, pessoas intolerantes ao consumo de glúten, justamente por não conter glúten. Mas para esse grupo é preciso ter cautela, pois o amaranto pode ser consumido em diversas formas, inclusive misturado a alimentos que contêm glúten.

Não há um consenso na literatura científica, mas alguns estudos já relacionaram o consumo de amaranto à prevenção de desenvolvimento de tumores cancerígenos.

Segundo esses estudos, foi encontrada no amaranto uma substância parecida com a lunasina, presente na soja, alimento também conhecido pelas qualidades anticancerígenas.

A substância em questão se trata de um fragmento de proteína chamado peptídeo. Mas são estudos ainda em fase inicial e não testados em humanos.

Pesquisas feitas com animais já indicaram que o amaranto ajuda a manter o colesterol controlado. Mas, novamente, estamos falando de testes iniciais ainda sem experimentação em organismos humanos.

Como consumir amaranto?

Como colocado acima, são diversas as formas de como consumir amaranto.

O grão pode ser consumido como uma alternativa ao arroz por ser um alimento balanceado. A receita é simples: uma xícara de amaranto cozinhando em seis xícaras de água por vinte minutos.

Os grãos também são consumidos em meio a saladas e até em forma de pipoca.

A exemplo da receita anterior, essa também é simples: basta colocar uma colher de sopa do grão em uma panela sem óleo. Depois tampe e aguarde estourar, como ocorre com o milho.

amaranto

Amaranto em flocos

Sem dúvida, a forma de consumo mais popular do grão é a sua versão em flocos.

O amaranto em flocos pode ser consumido junto a frutas, sucos e vitaminas. O consumo também é popular na forma de cereal, substituindo o próprio ao se misturar os grãos crus no leite.

Amaranto no Brasil

Por ser uma planta não nativa e considerada do frio, demorou literalmente séculos para que esse grão aportasse em terras brasileiras. Isto só veio a ocorrer no final do século XX, em 1980.

A obtenção da variante adaptada surgiu apenas dez anos depois, em 1990. Boa parte do cultivo está concentrada na região Sul do país, por ser mais fria. Isso explica a baixa produção anual e a necessidade de se importar mais da metade da demanda em mercados externos.

A produtividade do grão de amaranto brasileiro é de três toneladas por hectare, chegando até mesmo a superar a produtividade de países onde o grão é produzido em larga escala, como Peru e Bolívia.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo