Ambev é a maior cervejaria do mundo e domina o mercado brasileiro

Inicio » Agronegócio » Ambev é a maior cervejaria do mundo e domina o mercado brasileiro
27/09/2019 Por
Ambev é a maior cervejaria do mundo e domina o mercado brasileiro

Maior cervejaria do mundo, Ambev domina dois terços do mercado nacional

A Ambev é considerada, sem dúvida, o caso mais bem-sucedido do capitalismo brasileiro. Formada com a fusão de duas grandes cervejarias independentes no final de década de 1990, a produtora de bebidas em pouco tempo se tornou a maior fabricante de cerveja e refrigerante da América Latina e líder mundial na produção de chope.

Dona de mais de 200 marcas de cerveja, estima-se que a Ambev lucre 4 milhões de reais por hora. Seu faturamento anual, certamente, é na casa dos bilhões de dólares. Apesar de o mercado de consumo de cerveja no mundo estar em estagnação, na América do Sul as projeções são otimistas. A fabricante espera fechar 2019 em alta.

Ambev

Empresa Ambev

Ambev é uma fabricante de bebidas que surgiu com associação de importantes players do mercado de bebidas alcoólicas: Antarctica e Brahma. A fusão, então, criou a primeira multinacional brasileira que nasceu já como a terceira maior indústria cervejeira e quinta maior produtora de bebidas no mundo.

O posto de maior produtora mundial veio a ocorrer anos mais tarde, em 2004, com a empresa belga Interbew adquirindo os direitos da marca. O resultado foi a fusão das empresas que propiciou o surgimento da Inbev, considerada atualmente a maior produtora de cervejas do mundo.

E os principais nomes responsáveis pela construção desse império foram Carlos Alberto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Herrmann Telles. Desse modo, os três se tornaram sócios, propiciando a ascensão da multinacional que há vários anos domina o mercado brasileiro.

É imputado a Jorge Paulo Lemann o grande artífice da fusão bem-sucedida. Lemann já era um empresário bem-sucedido e tinha o controle acionário da Companhia Cervejaria Brahma. Há vários anos é apontado pelo ranking da Forbes como um dos brasileiros mais ricos. Sua fortuna é avaliada, aliás, em 81 bilhões de reais.

Esse poderio financeiro sem dúvida se deve aos excelentes resultados obtidos com a Ambev, no entanto, não explica completamente tamanho sucesso. A diversidade de seus negócios é o que explica.

Estilo empreendedor notável desde os anos 1970, muitos desses negócios foram feitos em parcerias com os sócios após criação da Ambev. Certamente destaca-se nesses negócios a fundação 3G Capital, Burger King e Heinz.

Ambev

Ambev / Brahma

A Ambev pode ter surgido em 1999, mas sua história está intimamente ligada às cervejas Antarctica e Brahma. Por isso, pode-se dizer que seu início, sua origem, está atrelada ao nascimento dessas marcas, pois sem elas o negócio não existiria.

A história da Brahma inicia em 6 de agosto de 1888 quando o engenheiro Joseph Villiger inaugura a Manufactura de Cerveja Brahma chamada Villiger & Companhia. À época, então, inaugurou junto a Paul Fritz e Ludwig Mack.

Villiger estava acostumado ao sabor das cervejas europeias e decidiu produzir a sua de forma caseira. Então, qual foi o resultado? Pois é isso mesmo que você está pensando!

O sucesso foi tão grande entre os amigos que resolveu fazer uma sociedade para lançar a cervejaria. Tudo começou, portanto, na rua Visconde de Sapucaí, número 128, na cidade maravilhosa, onde lançou comercialmente a marca Brahma Chopp.

Há três teorias sobre a inspiração do nome da cerveja. A talvez mais conhecida de todas é que se trata de uma referência a um deus hindu de mesmo nome. Segundo a mitologia, Brahma é cultuado próximo ao lago Pushkar, onde – reza a lenda – quem se banhar terá todos os pecados perdoados.

Outra hipótese é o de ser uma homenagem ao compositor Brahms.

A menos favorita, mas uma possibilidade, é que o nome tenha surgido como forma de homenagem ao inventor da válvula do chope, o britânico Joseph Bramah.

A fábrica foi vendida anos mais tarde, em 1894, a outra empresa, que ampliou e modernizou o negócio nos anos seguintes. Realizando parcerias e adquirindo concorrentes, a empresa somente cresceu.

Era Lemann

Mas foi em 1989 que ocorreu uma grande evolução nos negócios quando o Grupo Garantia, liderado pelo empresário Jorge Paulo Lemann, adquiriu o controle acionário.

Essa foi, sem dúvida, uma época de expansão e de lançamento de produtos e serviços inovadores. Em 1999, causou surpresa ao mercado o anúncio de duas grandes concorrentes do mercado de cerveja no Brasil, Brahma e Antarctica, anunciarem uma fusão. Foi essa fusão, como você já sabe, que originou a Ambev.

Ambev

Stella Artois

Uma das cervejas símbolo da Bélgica, com mais de 600 anos de história para contar, também integra o vasto catálogo de bebidas da Ambev. A Stella Artois chegou ao Brasil em 2005. Depois disso, não demorou para se destacar no mercado. Em pouco tempo, então, se tornou uma das líderes de seu segmento.

No mercado global, no acumulado do ano de 2019, a Stella, do latim “estrela”, cresceu mais de 40%. Sem dúvida, um crescimento expressivo!

A marca no Brasil ganhou forte aderência, registrando em 2011 aumento de 215% nas vendas. Sim, isso mesmo: apenas seis anos depois de sua data de lançamento no país.

Considerando, portanto, que a cerveja integra as chamadas marcas Premium, de valor de mercado mais salgado do que as tradicionais, os números são realmente animadores.

Budweiser

Outra das marcas Premium da Ambev que também vem se destacando não só interna como externamente é a Budweiser. O crescimento global até este momento em 2019 é de 25%.

No Brasil, foi lançada em 2011 como parte das cervejas Premium da Ambev. Nosso país foi o primeiro a comercializar o produto com uma nova identidade visual que, posteriormente, viria a se tornar padrão no mundo todo.

Em pouco tempo, um ano e meio depois de sue lançamento no país, a Budweiser alcançou as primeiras posições no mercado de bebidas internacionais. Com isso, encostou na Heineken. Tal posição de destaque é mantida até os dias atuais.

Números Ambev

A produtora de cerveja filiada à belga Inbev representa dois terços do mercado nacional de bebidas. Seu lucro anual supera a cifra de bilhões anuais. É dona de portfólio vasto, com mais de 200 marcas. Dentre essas marcas se encontram várias consagradas, incluindo:

  • Brahma
  • Antarctica
  • Cerveja Corona
  • Budweiser
  • Stella Artois
  • Skol
  • Serramalte
  • Lipton
  • Leffe
  • Guaraná Antarctica
  • Quilmes
  • Cerveja Serrana
  • Sukita
  • Energético Fusion
  • Cerveja Original
  • Cerveja Caracu

Em 2018, a Ambev registrou lucro de 11 bilhões de reais, apesar da queda do consumo de bebidas no país. Mas o que acabou compensando para a fabricante foi o aumento dos produtos da linha Premium, que são mais caros. Tal lucro representou alta de mais de 44% em relação aos números de 2017.

O lucro líquido da Ambev foi de R$ 3,463 bilhões no quarto trimestre. Isso significa um crescimento de 19% em comparação ao terceiro trimestre, quando faturou 2,907 bilhões de reais.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo