Anis é uma especiaria usada tanto na medicina quanto na culinária

Inicio » Agricultura » Anis é uma especiaria usada tanto na medicina quanto na culinária
29/10/2019 Por
Anis é uma especiaria usada tanto na medicina quanto na culinária

A planta anis tem grandes qualidades medicinais, sendo indicada para cuidar de problemas digestivos

A origem da planta anis remonta há tempos antiquíssimos, mais de milênio. A planta também é conhecida em nossas terras como erva-doce. Famosa por render chá de gosto agradável e condimentar alimentos, seu uso mais corriqueiro explora suas inegáveis qualidades medicinais.

Outra utilização corrente da planta anis é na indústria farmacêutica, pois sua essência é  empregada para aromatizar medicamentos. Emprega-se também a erva para a fabricação de incensos e as frutas derivadas da planta são aproveitadas pela indústria de bebida para a fabricação de licores.

anis

O que é anis?

Anis é uma erva milenar nativa do oriente médio cultivada por gerações pelos egípcios, nativos das ilhas gregas e asiáticos. Com a introdução da erva no Império Romano, passou a ser popularizada nos países europeus, ganhando, assim, o mundo.

A planta pode alcançar até 2,5 metros de altura, dependendo do cultivo, e as folhas chegam até 40 cm de comprimento.

A planta anis tem como nome científico Pimpinela anisium e pertence à família Apiaceae. Praticamente todas as partes que a constituem são usadas para proveito do organismo humano ou para a produção e aprimoramento de produtos. As partes de maior proveito são as suas sementes, folhas e frutos.

Os frutos de sabor intenso e de aroma acentuado são empregados para a produção de licores, conforme mencionado acima, mas também servem para decorar doces, em especial em padarias e confeitarias.

No entanto, são as sementes da erva as mais populares por terem maior variação de aplicações, já que contêm qualidades medicinais.

Os benefícios do anis

São vários os benefícios relacionados ao consumo da planta, seja consumindo-a na forma de infusão de folhas e sementes, seja mastigando-a in natura.

É prática antiga na cultura popular, por exemplo, a recomendação para mulheres gestantes mastigarem as sementes por estas conterem proteínas de papel relevante para a formação dos bebês. Outra tradição antiga é a de se mastigar as sementes para lidar com problemas de soluço.

Diz-se ainda que as sementes do anis são úteis para resolver problema de mau hálito, auxiliar na digestão de alimentos, liberar flatos e até tratar de asma.

Usa-se o chá de anis como um xarope expectorante, que ajuda a expelir as secreções bronquiais.

Outras formas de utilização são por meio de cataplasmas ou na forma de compressas.

Além dos benefícios citados, a planta anis, também conhecida como anis verde, é recorrida para tratar de casos de:

  • Gastrite;
  • Acidez estomacal;
  • Gases presos;
  • Funções menstruais;
  • Problemas hepáticos ou renais;
  • Problemas digestivos;
  • Infecções na boca;
  • Insônia;
  • Depressão;
  • Olho seco.

Pessoas que tenham alergia aos componentes da planta não devem consumi-la, porque podem sofrer graves reações adversas. Além disso, é sempre recomendável fazer uma consulta prévia com um profissional da saúde.

anis

O chá de anis

Ao contrário de outras plantas, não é necessário a adição de açúcar no chá de anis, pois a erva é naturalmente adocicada.

Preparo do chá de anis:

  1. Separe 3 gramas de sementes e adicione em 1 xícara de água fervida;
  2. Deixe a infusão esfriando por pelo menos 5 minutos;
  3. Consuma uma xícara após cada refeição, com intervalo mínimo de 2 horas.

Cataplasma

As folhas aplicadas como cataplasma são usadas para aliviar contusões ou dores provocadas por seios empedrados.

Não tem muito segredo: faz-se uma pasta medicamentosa usando as folhas de anis e aplica-se no local a ser tratado.

Compressas

As compressas com as folhas de anis são recorrentes para tratar inflamações oculares e também conjuntivite.

Para usar na forma de colírio, faça o chá, coe e utilize-o como conta-gotas nos olhos.

Drops de anis

Como informado mais acima, a planta é milenar, de origem no oriente médio, migrou com o tempo para Ásia e Europa, esta última via Império Romano. Os benefícios que proporciona e as aplicações em diferentes produtos tornaram sua influência e impacto muito grandes na cultura popular.

Reflexo disso é a produção de itens como o drops de anis, também conhecido como bala de erva-doce. Essa bala se tornou muito popular na década de 80. Marcou a geração das crianças da época e sempre figura em listas saudosistas como uma das guloseimas que deveriam voltar com força no mercado.

anis

Anis-estrelado

Uma variante da família Apiaceae é o anis-estrelado, ou Illicium verum, nativo da China e Vietnã. O nome claramente vem do formato das folhas da planta que, de fato, lembra uma estrela.

Tem gosto e aroma muito parecidos com o anis de que tratamos, por isso, muitas pessoas as confundem, pensando que se tratam da mesma erva.

Uma espécie parecidíssima com o anis-estrelado, inclusive na forma, o Illicium japonicum, ou anis japonês, também causa confusão, com o agravante dessa espécie ser altamente tóxica.

Essa variante, o anis-estrelado, também é utilizada para cuidar de distúrbios digestivos, cólicas e tosse.

O fruto derivado do anis-estrelado serve para temperar caldos, marinadas, chás e sopas. É um ingrediente do “pó de cinco especiarias” usado na cozinha vietnamita e chinesa.

Apesar de o anis japonês ser considerado o mais tóxico, é preciso ter cautela com esse tipo de anis também, pois se consumido em excesso pode provocar reações adversas. Por esse motivo, não é aconselhado ministrar o chá dessa planta para crianças de colo.

Plantação de anis

O cultivo da planta necessita de ambiente de clima ameno, pendendo para clima moderadamente quente. Contudo, resiste a geadas leves. O terreno deve receber luz direta por algumas horas ao longo do dia. Detalhe que a erva deve ser plantada em local exclusivo, pois impede o crescimento de outras plantas.

O solo não deve ser muito ácido, pois a planta não se desenvolve bem nessa condição. O pH indicado tem que ser na faixa de 6 a 7. Recomendam-se solos bem drenados, que sejam férteis e também ricos em matéria orgânica.

O espaçamento das mudas deve obedecer distância de 25 a 30 centímetros entre uma e outra. Todas devem ser cobertas com uma camada fina de terra, que não exceda 0,3 centímetros.

Regue constantemente o solo, mas tenha cuidado para não deixá-lo encharcado, pois o excesso pode acabar prejudicando o desenvolvimento do anis, portanto, muita atenção nesse aspecto.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo